Programa Nacional de Qualidade da Madeira irá emitir CE Marking no Brasil

A ABIMCI - Associação Brasileira da Indústria de Madeira Processada Mecanicamente acaba de assinar um contrato com a certificadora européia BM TRADA, especializada em testes em produtos de madeira. O acordo irá permitir ao PNQM - Programa Nacional de

  
  

A ABIMCI - Associação Brasileira da Indústria de Madeira Processada Mecanicamente acaba de assinar um contrato com a certificadora européia BM TRADA, especializada em testes em produtos de madeira.

O acordo irá permitir ao PNQM - Programa Nacional de Qualidade da Madeira emitir a marca de conformidade CE Marking para os produtos de madeira brasileiros.

O selo será exigido a partir de abril do ano que vem para os itens de madeira de uso estrutural. De acordo com o presidente da Associação, Odelir Battistella, a ABIMCI dá um passo importante para garantir as exportações dos produtos de madeira para a Comunidade Européia.

`Confirmamos a seriedade do Programa junto ao mercado internacional`, afirma Battistella.

Com a assinatura do contrato, o PNQM passa a ser o representante da BM TRADA no Brasil. De acordo com o presidente da ABIMCI, as empresas já certificadas pelo PNQM saem na frente.

`Elas estão em vantagem e devem ser as primeiras a receber o CE, pois já têm um nível de qualidade do processo de produção que atende às exigências européias`, garante Battistella.

Segundo o vice-presidente do Comitê de Pinus, Paulo Roberto Pupo, o PNQM é o único controle de processo aprovado no país.

`Dentro de algumas semanas devem ser realizados os primeiros testes e em dois meses deveremos ter a primeira empresa brasileira com o CE Marking`, revela Pupo.Laboratórios credenciados irão realizar os testes no Brasil.

De acordo com a ABIMCI, além da importância de se ter um certificador autorizado dentro do país, o acordo beneficia os empresários por diminuir os custos do processo de certificação.

A diferença entre a contração direta com a BM TRADA e pelo acordo operacional da ABIMCI com a certificadora pode chegar a 60%.Participam do Programa 74 empresas.

Além das 21 do PNQM de Compensado de Pinus, são 34 participantes de Compensado de Madeira Tropical, oito no PNQM de Portas e 11 fornecedores.

Para se ter uma idéia dacredibilidade do Programa junto aos empresários do setor, as 21 empresas de Compensado de Pinus participantes representam 70% do mercado nacional.

Mercado:

Os países da Europa são um mercado representativo para o setor de madeira processada mecanicamente. Entre janeiro e agosto deste ano, por exemplo, cinco países - Reino Unido, Bélgica, Alemanha, Irlanda e Itália ficaram com 49,4% das exportações de compensado de Pinus do Brasil. De um total de mais US$ 189 milhões exportados durante esse período, US$ 93.578.869 foram para esses locais.

Fonte: Assessoria de Imprensa da ABIMCI

  
  

Publicado por em