Programa paranaense irá compor o primeiro módulo do Sinima

O Paraná foi convidado a compor, junto a outros sete estados, o primeiro módulo do Sistema Nacional de Informações sobre o Meio Ambiente (Sinima). O convite foi feito na quinta-feira (13/7) pelo Ministério do Meio Ambiente. O Estado deverá colaborar fo

  
  

O Paraná foi convidado a compor, junto a outros sete estados, o primeiro módulo do Sistema Nacional de Informações sobre o Meio Ambiente (Sinima). O convite foi feito na quinta-feira (13/7) pelo Ministério do Meio Ambiente.

O Estado deverá colaborar fornecendo dados obtidos através do Programa de Zoneamento Marinho, desenvolvido pela Secretaria do Meio Ambiente e Recursos Hídricos.

As informações farão parte do primeiro módulo do Sinima, o Sistema de Informações de Gerenciamento Costeiro e Marinho (Sigercom), que será colocado no ar em janeiro do próximo ano.

Além do Paraná, foram convidados também os estados do Amapá, Rio Grande do Norte, Paraíba, Ceará, Bahia, Pernambuco e Rio Grande do Sul.

O programa paranaense construiu um banco de dados georeferenciado composto por informações de diagnósticos do meio físico, químico e biológico, levantamento de maricultura e pesca, contaminação da água e ainda dados de navegação.

De acordo com o coordenador do Programa de Zoneamento Marinho, Paulo Roberto Castella, o formato das informações disponibilizadas pelo programa pode ser considerado inovador, uma vez que as cartas que compõem o diagnóstico propõem a classificação para normatização das atividades considerando as vocações naturais e sociais do ambiente marinho.

Costa Paranaense :

A costa paranaense possui 90 quilômetros de extensão e abrange seis municípios a beira mar, sendo considerado uma das áreas mais bem preservadas da costa brasileira.

O estado abriga duas das 18 áreas prioritárias para a conservação marinha no país , o complexo estuarino lagunar de Paranaguá e a planície costeira de Guaratuba.

O Paraná concentra ecossistemas marinhos de grande diversidade biológica, como manguezais, praias, restingas, marismas, costões rochosos e habitats submersos.

Entre as atividades realizadas no Projeto está o licenciamento ambiental para produção de ostras e mariscos e o monitoramento da qualidade ambiental em toda área costeira do Estado.

Fonte: Agência Estadual de Notícias do Paraná

  
  

Publicado por em