Projeções indicam que cultivo de transgênicos pode crescer em 2004

A área global de cultivo de produtos transgênicos no mundo cresceu 15% em 2003 e a perspectiva é que continue crescendo em 2004 e nos anos seguintes. A projeção para os próximos cinco anos indica um crescimento contínuo na área global com cultivos geneti

  
  

A área global de cultivo de produtos transgênicos no mundo cresceu 15% em 2003 e a perspectiva é que continue crescendo em 2004 e nos anos seguintes. A projeção para os próximos cinco anos indica um crescimento contínuo na área global com cultivos geneticamente modificados, chegando a aproximadamente 100 milhões de hectares cultivados, com 10 milhões de agricultores envolvidos em, pelo menos, 25 países.

Esses dados foram apresentados pelo Presidente do Conselho Diretor do ISAAA – Serviço Internacional para a Aquisição de Aplicações na Agrobiotecnologia, Clive James, durante visita à Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia, uma das 40unidades de pesquisa da Embrapa, localizada em Brasília, DF, no dia 16 de julho.

Na opinião de James, haverá um aumento expressivo na quantidade global e na proporção de pequenos agricultores de países em desenvolvimento cultivando plantas geneticamente modificadas nesse período.A área global estimada para cultivos transgênicos em 2003 foi de 67,7 milhões, incluindo uma estimativa provisória de três milhões de hectares de soja transgênica no Brasil, aprovada para plantio no mesmo ano.Seis países : EUA, Argentina, Canadá, Brasil, China e África do Sul , foram responsáveis por 99% da área total de lavouras transgênicas, dois a mais do que em 2002.

Além desses, 10 países, incluindo Austrália, Índia, Espanha, Uruguai e Romênia cultivam cerca de 50 mil hectares de culturas transgênicas e outros dois , Colômbia e Honduras , relataram um crescimento ainda pouco significativo.

Em 2003, Brasil e Filipinas liberaram o cultivo de plantas geneticamente modificadas pela primeira vez. Em 2004, três produtos transgênicos desenvolvidos pela Embrapa foram liberados para testes de campo: o mamão transgênico resistente ao vírus da mancha anelar, que está sendo testado na Embrapa Mandioca e Fruticultura, em Cruz das Almas, Bahia; o feijão transgênico resistente ao vírus do mosaico dourado, cujos testes estão sendo conduzidos na Embrapa Arroz e Feijão, em Goiás; e a batata transgênica com resistência ao vírus “Y”, na Embrapa Hortaliças, em Brasília, DF.

James vê potencial para o desenvolvimento de produtos transgênicos no Brasil, especialmente considerando a área agricultável do país, que é de aproximadamente 180 milhões de hectares.

Os novos países produtores de plantas transgênicas do hemisfério sul, como o Brasil e a Índia, ampliarão a área plantada com algodão Bt (Bacillus thuringiensis) para resistência ainsetos e soja tolerante a herbicida.

Outros, como por exemplo, o Uruguai,aprovarão novos produtos, como o milho transgênico, que já está sendo cultivado em outros lugares. James afirmou que os mercados dos países que plantam transgênicos continuarão crescendo, com uma gama cada vez maior de produtos disponíveis.

Fonte: Embrapa Cenargen


  
  

Publicado por em