Projeto de Implantação da Ferrovia Transnordestina tem viabilidade ambiental aprovada

O Ibama - Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis concedeu ao DNIT - Departamento Nacional de Infra-Estrutura de Transportes a licença prévia para o Projeto de Implantação da Ferrovia Transnordestina atestando sua viabilid

  
  

O Ibama - Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis concedeu ao DNIT - Departamento Nacional de Infra-Estrutura de Transportes a licença prévia para o Projeto de Implantação da Ferrovia Transnordestina atestando sua viabilidade ambiental.

O objetivo principal do empreendimento é reativar os pontos mortos da malha ferroviária existentes hoje na região Nordeste.

A construção da ferrovia é importante por interligar os pólos de produção agrícola, mineral e industrial da região e estes com as demais regiões do país.

O projeto, se totalmente concluído, além de permitir a interligação da Malha do Nordeste, pretende interligar grande parte da região com a hidrovia do São Francisco.

A ferrovia foi dividida em dois blocos. O primeiro, chamado de Bloco Norte, tem 176 Km de extensão e vai de Crateús a Piquet Carneiro, no Ceará.

O segundo, Bloco Sul, tem 349 Km de extensão e vai de Missão Velha, no Ceará, passando por Salgueiro e Parnamirim até Petrolina, em Pernambuco. Nesse segundo bloco haverá um ramal de 112 Km que interligará Araripina a Paranamirim, em Pernambuco.

Para a continuação do processo de licenciamento o Ibama exige que o DNIT apresente as Certidões de todos os Municípios interceptados pela ferrovia, comprovando a conformidade do empreendimento com as respectivas diretrizes de uso e ocupação do solo.

O DNIT também deve apresentar, no período de 180 dias, um estudo da demanda e da viabilidade para utilização futura da ferrovia no transporte de passageiros.

No mesmo prazo deve formalizar o Termo de Compromisso junto à Secretaria Executiva da Câmara de Compensação Ambiental do Ibama, para apoiar a conservação de remanescentes significativos do ecossistema da Caatinga.

Fonte: Ibama

  
  

Publicado por em

JOSE ANTONIO DOS SANTOS

JOSE ANTONIO DOS SANTOS

05/09/2011 23:38:42
Venho através da internet, acompanhando a construção da Ferrovia Norte-Sul, cuja será a linha mestra de interligação da Ferrovia Transnordestina entre outras. No governo Lula teve esse incentivo de construir ferrovias com modernidade e reativando outras ferrovias para o escoamento da produção acricola, com isso irá baratear o produto para o consumidor, mas também terá o carater de transportar passageiros em trechos determinados, por onde a ferrovia irá passar. Com o governo da presidenta Dilma não será diferente, cujo esta tendo continuidade neste projeto que é de suma importância para o país.