Projeto de recuperação de áreas degradadas no Rio Xingu entra na terceira fase

A terceira etapa do projeto de recuperação de áreas de preservação permanente e boas práticas agropecuárias na Bacia do Xingu já está sendo implantada. A informação foi dada pelo

  
  

A terceira etapa do projeto de recuperação de áreas de preservação permanente e boas práticas agropecuárias na Bacia do Xingu já está sendo implantada. A informação foi dada pelo pesquisador da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) Meio Ambiente Ladislau Araújo Skorupa.

O projeto foi lançado em agosto do ano passado na cidade de Querência, em Mato Grosso.

A etapa atual consiste na instalação de 14 unidades demonstrativas em fazendas da região mato-grossense onde o projeto está sendo implementado. “As unidades são áreas que os produtores, técnicos e estudantes podem visitar no campo, ver as tecnologias implantadas e obter informações que possam ser adotadas em outros lugares”, expkocu Skorupa.

Ele destacou outro ponto do projeto, que será trabalhado com as comunidades da região, a conservação da água. “A partir do tema água, da importância de conservação dos recursos hídricos, explorar a importância da conservação das nascentes, das matas ciliares e da própria água para uso humano”, explicou.

O projeto tem duração de três anos, e serão desenvolvidos sete subprojetos voltados à recuperação de matas de beira de rio (Áreas de Preservação Permanente-APP), integração lavoura-pecuária e lavoura-pecuária-floresta, monitoramento da qualidade da água, plantio direto de soja, planejamento e uso do solo, educação ambiental, manejo de pastagem e sistemas agroecológicos.

Fonte: Roberta Lopes / Agência Brasil

'

Editoria: Guto Bertagnolli

'

  
  

Publicado por em