Projeto proíbe novas usinas nucleares no País

Tramita na Comissão de Minas e Energia o Projeto de Lei 3043/04, que proíbe a construção e operação de novas centrais de fissão nuclear (usinas nucleares) no País para geração comercial de eletricidade nos próximos 20 anos. O autor do projeto, deputado

  
  

Tramita na Comissão de Minas e Energia o Projeto de Lei 3043/04, que proíbe a construção e operação de novas centrais de fissão nuclear (usinas nucleares) no País para geração comercial de eletricidade nos próximos 20 anos.

O autor do projeto, deputado Antonio Carlos Mendes Thame (PSDB-SP), afirma que a produção de energia em usinas nucleares origina resíduos extremamente tóxicos e exige unidades complexas, o que as torna muito caras.

`Em caso de acidente nuclear, os riscos são grandes, pois os resíduos, ao serem lançados no ambiente, causam sérios problemas de saúde para o homem e conseqüências muito graves para a vegetação e para o solo`, enfatiza.

Na opinião do parlamentar, os altos custos e os imensos riscos para a saúde da população e para o meio ambiente são mais do que suficientes para justificar o fim da utilização da energia nuclear na geração comercial de eletricidade no Brasil.

Outras fontes

Mendes Thame lembra que o Brasil é rico em fontes renováveis de energia, como o sol, o vento, a água, a biomassa, entre outras.

“É o País que possui as melhores condições para liderar a transição do sistema energético fóssil e nuclear para um sistema baseado em energias limpas e renováveis`, garante.

Ele considera incoerente que, enquanto países desenvolvidos determinam o fim da energia nuclear e fazem grandes investimentos em fontes renováveis de energia, segmentos minoritários da sociedade brasileira insistem na importância da construção de usinas nucleares, em sua avaliação, caras e inseguras.

`Não se pode permitir que, mais uma vez, interesses minoritários prevaleçam no Brasil`, afirma.

Segundo o parlamentar, na Alemanha, que não é um país rico em fontes renováveis, uma nova lei estabelece o fim do uso de energia nuclear para fins de geração comercial de energia até 2020.

Além disso, não é permitida a construção de novas centrais nucleares de potência. Também foi aprovada naquele país, de acordo com o deputado, uma nova lei que cria grandes incentivos para a geração de energia a partir de fontes renováveis.

A matéria, que tramita em regime conclusivo, será apreciada também pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJC).

Fonte: Agência Câmara


  
  

Publicado por em