Fundação BB investe em geração de renda para cooperativas de recicláveis

A Fundação Banco do Brasil entregou, ontem (24/10), em Brasília, 13 triciclos para entidades ligadas à Central de Cooperativas de Materiais Recicláveis do Distrito Federal e Entorno (Centcoop). Desde 2003, a Fundaç

  
  

A Fundação Banco do Brasil entregou, ontem (24/10), em Brasília, 13 triciclos para entidades ligadas à Central de Cooperativas de Materiais Recicláveis do Distrito Federal e Entorno (Centcoop). Desde 2003, a Fundação BB já investiu R$ 3 milhões na área de recicláveis, no Distrito Federal.

Os triciclos entregues pela Fundação BB à entidade têm motor de 20 HP movidos a diesel, com partida elétrica. Atingem 60 km por hora com consumo médio de 30 km por litro. A capacidade de carga é de 1,2 t. O investimento social na aquisição dos triciclos foi de R$ 221 mil (cada veículo foi comprado por R$ 17 mil).

A ação faz parte do Projeto “Rede de Comercialização – Estruturas Organizacionais e Administrativas”, realizado pela Fundação BB para incrementar a estrutura de operação dos associados da Centcoop. Além da distribuição dos triciclos, o projeto inclui, ainda, a montagem de infra-estrutura das cooperativas, aquisição de equipamentos, insumos, apoio administrativo e à comercialização, além de uniformes e equipamentos de proteção individual.

O projeto propõe, também, segundo o presidente da Fundação BB, Jacques Pena, dar sustentação ao Decreto 5.940, de 25.10.2006, que institui a coleta seletiva solidária nos órgãos públicos federais e a destinação do produto às associações de catadores de materiais recicláveis.

Compromissos – O gerente de Divisão da Fundação Banco do Brasil Jorge Streit diz que a entidade aposta no movimento dos catadores. “Queremos que as cooperativas de catadores trabalhem conjuntamente para que possam assumir compromissos maiores com o Governo Federal”, diz. Ele lembrou que, em setembro, 25 cooperativas conseguiram acessar mais de R$ 40 milhões do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para aquisição de veículos, máquinas e equipamentos.

“Muitas cooperativas não tinham condições de realizar a coleta ou alugavam caminhão para trabalhar. Agora, terão seu próprio veículo”, diz o presidente da Centcoop, Aldemy dos Santos da Silva. “A meta é aumentar o volume de recicláveis coletados e fortalecer uma rede de comercialização”, enfatiza.

Para o presidente da Associação dos Agentes Ecológicos da Vila Planalto (Ageplan), Francisco Adeildes “Cocó” Monteiro Lobato, o recebimento dos veículos inicia uma nova história na vida dos catadores. Ele acredita que, com os triciclos, o volume de material recolhido nas ruas será triplicado e haverá aumento da renda dos trabalhadores da categoria. “Os riscos de acidentes de trânsito serão, por outro lado, menores”, diz.

A diretora-geral do Serviço de Limpeza Urbana do Distrito Federal, Fátima Có, também presente à entrega dos veículos, disse que, com o fim da coleta seletiva no DF, em 2008, pretende remunerar os catadores de recicláveis, mas, para isso, “será preciso que os trabalhadores se mantenham organizados”.

Enquanto a assessora técnica do Núcleo de Catadores da Secretaria de Articulação Institucional e Parcerias do Ministério do Desenvolvimento Social, Luciane Vélez, acredita que os triciclos entregues pela Fundação BB às cooperativas vão fortalecer a categoria e também o trabalho de coleta seletiva nos órgãos públicos, o secretário Nacional de Saneamento do Ministério das Cidades, Leodegar Tiscoski, defende a profissionalização dos cerca de 800 mil trabalhadores do setor em todo o país.

Centcoop:

Atualmente, a Centcoop envolve diretamente 3,5 mil catadores organizados e mais de outros 13 mil indiretamente. A Central é responsável por receber e comercializar o material recolhido pelos catadores que trabalham em 15 associações e cooperativas do Distrito Federal. “O objetivo é tirar do caminho os atravessadores, que, muitas vezes, compram esse material das mãos dos catadores a preços baixos e o vendem a preços de mercado, ficando com o lucro maior”, explica o presidente da Fundação Banco do Brasil, Jacques Pena.

No futuro, a central também fará o beneficiamento desse material, transformando-o em matéria-prima para as empresas, agregando valor ao produto. Com a aquisição de triciclos e equipamentos, os trabalhadores poderão aperfeiçoar a coleta, a seleção e a triagem dos recicláveis e receber um volume maior de materiais provenientes da coleta seletiva.

A estimativa dos catadores é de que mais de 100 toneladas de recicláveis, entre plástico, papel, alumínio e metal, passem pela Centcoop a cada mês.

Fonte: Fundação Banco do Brasil

Del Valle Editoria

Contato: vininha@vininha.com

Site: www.animalivre.com.br

  
  

Publicado por em

Marcos

Marcos

11/05/2009 16:02:00
quero uma entrevista com trabalhadores da limpeza urbana.