Inaugurada central de tratamento e reciclagem de resíduos industriais no RS

Com a presença do governador do RS, Germano Rigotto, de conselheiros, diretores e convidados, a Klabin Celulose Riocell e a empresa Vida Produtos e Serviços em Desenvolvimento Ecológico inauguraram, às 10 horas de quarta-feira, dia 19 de março, uma modern

  
  

Com a presença do governador do RS, Germano Rigotto, de conselheiros, diretores e convidados, a Klabin Celulose Riocell e a empresa Vida Produtos e Serviços em Desenvolvimento Ecológico inauguraram, às 10 horas de quarta-feira, dia 19 de março, uma moderna unidade de tratamento e reciclagem de resíduos industriais, situada num horto florestal de 100 hectares, em Eldorado do Sul (RS), que reciclará 182,8 mil toneladas anuais de resíduos.

A inauguração da nova Central de Tratamento é um marco no setor não só pelo volume de material tratado anualmente mas principalmente pela grande eficiência do processo, que garante mais de 98% de reciclagem. As alternativas modernas de fermentação e secagem dos resíduos orgânicos e dos produtos calcários em áreas desenvolvidas especialmente para o tratamento de resíduos gerados pela Klabin Celulose Riocell resultam em uma atividade ainda mais segura para o meio ambiente com melhor qualidade do produto final.

Agregados a isso estão a geração de empregos e a fabricação de substratos para plantas que utilizam como fonte de matéria-prima recursos naturais renováveis.

Assim, esta atividade colabora para o desenvolvimento econômico da região, além de evitar a degradação de ambientes naturais como matas nativas, beiras de rio e ecossistemas de banhado que ainda hoje são destruídos para a retirada de matéria orgânica que compõem boa parte dos produtos similares existentes no mercado.

O investimento feito na central foi de R$ 2,8 milhões, cabendo R$ 1,9 milhão para a Klabin Celulose Riocell e R$ 900 mil para a Vida Produtos e Serviços em Desenvolvimento Ecológico Ltda.

O complexo a ser inaugurado compreende: 4 valas, com 11 mil metros cúbicos, para fermentação anaeróbica de lodo oriundo da estação de tratamento de efluentes da planta da Klabin; 2 áreas de armazenamento para lama de cal, dregs e grits; 2 áreas de polimento para secagem de fertilizante orgânico; 1 pavilhão aberto de 1.500 m2 de calcário; 1 pavilhão administrativo e de beneficiamento de 3.200 m2; 1 área de compostagem para casca de eucalipto; 5 leitos cobertos para secagem de lodo fermentado, com 18.000 m2 de estufas; 2 áreas para compostagem de lodo; 1 área para aterro de resíduos oriundos da coleta seletiva de lixo seco; 9 lagoas para tratamento de líquidos percolados; 1 tanque para sedimentação de líquido.

Os resíduos, após reciclados, são transformados em adubo orgânico, corretivos de solo e outros produtos destinados à agricultura, horticultura e jardinagem, sendo comercializados na região metropolitana de Porto Alegre.

A área que abriga a central de tratamento receberá o nome de Horto Florestal José A. Lutzenberger, em homenagem ao ecologista fundador da empresa Vida e parceiro da Klabin Celulose Riocell em práticas ambientalmente corretas.

A organização fundada por Lutzenberger sempre atuou no sentido de promover maior integração entre diversos setores da sociedade, aproximando diferentes tipos de indústrias entre si, bem como com a agricultura, a pecuária ou o paisagismo, numa luta por um desenvolvimento em bases realmente sustentáveis. Com o novo empreendimento, a Klabin Celulose Riocell dá continuidade ao trabalho iniciado com Lutzenberger em 1988.

Fonte: Estilo de Comunicação

  
  

Publicado por em