O Brasil absorve menos de 5% da produção mundial de Pet.

Apesar das dificuldades enfrentadas por todos os segmentos industriais noBrasil,a indústria de reciclagem das embalagens de Pet cresceu 18% em 2002, comparado com o ano anterior. As recicladoras em operação no País geram muitos empregos: diretamente,

  
  

Apesar das dificuldades enfrentadas por todos os segmentos industriais noBrasil,a indústria de reciclagem das embalagens de Pet cresceu 18% em 2002, comparado com o ano anterior.

As recicladoras em operação no País geram muitos empregos: diretamente, são cerca de 2.000 pessoas empregadas nas recicladoras e, indiretamente, são maisde dez mil, entre catadores e sucateiros registrados.

Entre trabalhadores não registrados - um número difícil de mensurar - estima-se pelo menos 500 milpessoas dedicadas ao trabalho de coleta de materiais em todo o Brasil.

Esta evolução deve-se a dois fatores principais: por um lado há o trabalho deconscientização sobre o descarte de embalagens usadas por parte de governos, comunidades, organizações não-governamentais e entidades privadas espalhadas por todo o País, como a Abipet - Associação Brasileira das Indústrias do Pet, que congrega os fabricantes da resina Pet, fabricantes de embalagens de Pet e os Recicladores das embalagens pós-consumo.

Outro aspecto é o da constante pesquisa de desenvolvimento do mercado promovido pela indústria recicladora. São muitos segmentos que utilizam o Pet reciclado como matéria-prima: desde fibras têxteis até novas embalagens para produtos não alimentícios.

As embalagens de Pet são muito conhecidas pelas garrafas de dois litros de refrigerante, que hoje detém 70% desse mercado utilizando as garrafas de Pet emdiversas capacidades.

O Pet é uma resina termoplástica, um material atóxico e totalmente inerte, 100% reciclável. As características deste tipo de plástico proporcionam embalagens que se mostraram ideais para o mercado de bebidas e vemse expandindo com força para o setor de óleos comestíveis e de águas minerais.

No entanto, devido às inúmeras qualidades e benefícios deste tipo de plástico,como moldabilidade, possibilidade de retampamento evitando desperdício do produto, transparência e resistência , têm atraído outros segmentos, tornando sua reciclagem cada vez mais importante, tanto do ponto de vista econômico quanto do ambiental.

Segundo o presidente da Abipet, Alfredo Sette, o Brasil absorve menos de 5% da produção mundial de Pet. `Estamos na 33ª posição mundial em consumo per capita de embalagens de Pet e, paralelamente à tendência de sua utilização em diversos segmentos, cresce a necessidade de se desenvolver programas de incentivo à reciclagem`.

Os associados da Abipet representam 90% da indústria brasileira do setor e a entidade atua dentro dos conceitos da Responsabilidade Social e ProteçãoAmbiental, assuntos que são conduzidos dentro de Comissões Temáticas especialmente criadas.

Fonte: Demaio

  
  

Publicado por em