Você sabia que o recolhimento de óleo lubrificante de automóveis e máquinas é obrigatório por lei?

O recolhimento do OLUC é feito desde 1993 quando a prática tornou-se obrigatória. Nesta época, apenas 11,46% do óleo consumido no país era encaminhado à reciclagem

  
  
O recolhimento do OLUC é feito desde 1993 quando a prática tornou-se obrigatória. Nesta época, apenas 11,46% do óleo consumido no país era encaminhado à reciclagem

A separação e o descarte correto do lixo são fundamentais para o equilíbrio e preservação do meio ambiente. Através da reciclagem é possível reaproveitar materiais e produtos sem causar prejuízos à natureza e à saúde humana, entretanto, o Brasil ainda precisa melhorar esta realidade. Segundo pesquisas realizadas e divulgadas pela Abrelpe (Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais) em 2010, cerca de 6,7 milhões de resíduos sólidos urbanos não tiveram o descarte correto no ano em questão.

Outro dado alarmante, apurado em 2011 pelo Ibope (empresa privada de pesquisa da América Latina), aponta que aproximadamente 70% das cidades brasileiras não separam o lixo, sendo um dos motivos, a falta de serviços em coleta seletiva. Com base em levantamentos feitos pela empresa, em novembro do mesmo ano, 85% da população separaria o lixo acumulado nas residências caso existisse o trabalho de coleta seletiva nos municípios.

E não é só o lixo comum que precisa ser descartado corretamente. O óleo lubrificante, usado em maquinários, engrenagens e motores de veículos - além de estopas e frascos contaminados com OLUC (Óleo Lubrificante Usado e Contaminado) também necessitam de coleta específica e tratamento adequado para que a destinação correta poupe o ecossistema da poluição. Empresas especializadas neste tipo de serviços estão à disposição da população, desde a década de 90. “Para as pessoas se conscientizarem cada vez mais da destinação dos resíduos é preciso que o serviço de coleta esteja realmente ao alcance da população e que seja feito de forma eficiente e adequada em todas as esferas públicas”, enfatizou o gestor industrial da Lubrificantes Fenix, Rodrigo Domene.

Você sabia?
O recolhimento do OLUC é feito desde 1993 quando a prática tornou-se obrigatória. Nesta época, apenas 11,46% do óleo consumido no país era encaminhado à reciclagem. Depois da edição da resolução 9 do Conama (Conselho Nacional de Meio Ambiente – 1993) muitas empresas passariam então a se preocupar mais com a reciclagem e, desde então, os índices de óleo recolhido aumentam ano a ano.

Os procedimentos de coleta dos resíduos e o rerrefino do Oluc contribuem com a conservação de ecossistemas, rios e mares, pois, através de processos físicos/químicos específicos os metais são retirados do lubrificante. Além de não impactar a natureza, o óleo rerrefinado pode ser utilizado para o mesmo fim e, dependendo de como é empregado, seu desempenho pode ser ainda melhor.

Fonte: Gargantini

  
  

Publicado por em