Região francesa decide banir transgênicos

A região francesa da Bretanha decidiu no dia 7/10 tornar-se livre de transgênicos. A província é a 15ª região da França a declarar-se contra os OGMs (organismos geneticamente modificados), mas é a primeira a adotar uma resolução referente ao tema. A B

  
  

A região francesa da Bretanha decidiu no dia 7/10 tornar-se livre de transgênicos. A província é a 15ª região da França a declarar-se contra os OGMs (organismos geneticamente modificados), mas é a primeira a adotar uma resolução referente ao tema.

A Bretanha deverá, assim, adotar medidas concretas em prol da agricultura sustentável, atendendo a uma demanda dos consumidores franceses. A indicação do Conselho Regional da Bretanha foi anunciada no dia seguinte à aprovação, pelo Senado brasileiro, de uma lei de biossegurança que pode liberar os transgênicos sem licenciamento ambiental , o que tem o potencial de contaminar a soja convencional produzida no Brasil.

A deliberação do conselho exclui as culturas transgênicas dos campos bretões, e além disso visa reduzir progressivamente a importação e comercialização de OGMs - especialmente aqueles destinados à alimentação animal.

`Esta é uma iniciativa de grande importância, principalmente porque a Bretanha produz entre 60 e 70% dos frangos e porcos de toda a França, e sua ração contém 25% de soja. Esperamos que os bretões promovam, assim, uma alimentação animal livre de transgênicos`, afirmou Arnoud Apoteker, responsável pela Campanha de Engenharia Genética do Greenpeace na França.

`Pela alimentação animal, os transgênicos acabam atingindo os consumidores que rejeitam os OGMs, pois a rotulagem francesa não inclui produtos de animais alimentados com transgênicos, como leite, ovos e carne`, disse.

O Conselho Regional da Bretanha deverá agora desenvolver uma grande colaboração com o Estado do Paraná, o segundo maior produtor de soja do Brasil, que declarou-se livre de transgênicos.

`O reconhecimento do trabalho do Paraná pela região da Bretanha é muito importante nesse momento em que existe grande pressão para a liberação dos transgênicos no Brasil.E
esperamos que essa decisão abra os olhos dos governantes brasileiros para o mercado de soja
convencional`, afirmou Ventura Barbeiro, engenheiro agrônomo da Campanha de Engenharia Genética do Greenpeace no Brasil.

`Essa deliberação francesa deve mostrar aos nossos deputados, que em breve votarão o Projeto de Lei de
Biossegurança, que temos muito a perder com a liberação dos transgênicos no nosso País`, disse.

`Hoje, nessa grande batalha contra o lobby das empresas de biotecnologia, que tentam impor seus produtos aos consumidores, a deliberação da Bretanha representa uma grande vitória`, disse Apoteker. `Agora é necessário criar uma cadeia de fornecedores de soja convencional exclusiva para a região.`

Fonte: Greenpeace

  
  

Publicado por em