Sarney confere medalha do Congresso a Denner Giovanini , fundador da Renctas

Numa cerimônia realizada no Salão Nobre, o presidente do Senado, José Sarney, outorgou na terça-feira (4/11) a medalha do Congresso Nacional a Denner Giovanini, fundador e coordenador-geral da Rede Nacional de Combate ao Tráfico de Animais Silvestres (Ren

  
  

Numa cerimônia realizada no Salão Nobre, o presidente do Senado, José Sarney, outorgou na terça-feira (4/11) a medalha do Congresso Nacional a Denner Giovanini, fundador e coordenador-geral da Rede Nacional de Combate ao Tráfico de Animais Silvestres (Renctas).

Junto com o chinês Xie Zhenhua, diretor-executivo do Conselho Chinês para a Cooperação Ambiental, Denner Giovanini foi agraciado neste ano com o Prêmio Sasakawa, oferecido pelo Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiento (Pnuma).

Os dois laureados devem receber o prêmio das mãos do secretário-geral da ONU, Kofi Annan, no próximo dia 19, numa cerimônia que se realizará na Sociedade Histórica de Nova York.

Giovanini foi homenageado pelo trabalho que vem realizando para deter o tráfico ilegal de animais silvestres,inciativa que tornou-se um modelo para a América Latina e para o mundo. De acordo com Denner Giovanini, no Brasil 38 milhões de animais são retirados anualmente da natureza para serem vendidos.

Ao conferir a medalha, Sarney disse que o prêmio outorgado iguala Giovanini a Chico Mendes, o outro brasileiro que recebeu essa homenagem da ONU. E acrescentou que “a comparação é justa, pelo agigantamento a que uma pessoa pode se erguer na dedicação pessoal a uma causa.

Como Chico Mendes, Giovanini leva o Brasil à cena internacional, chamando a atenção para os nossos graves problemas, mas ao mesmo tempo para nossa capacidade de enfrentá-los, com a mobilização de toda a sociedade”.

Em seu agradecimento, Giovanini disse que estar no Senado recebendo essa homenagem “é algo que talvez uma pequena minoria consiga desejar, mas a grande maioria dos ambientalistas não consegue sequer sonhar”.

Ele também disse que esse momento significa uma nova descoberta - a de que todos os sonhos podem se concretizar.

- Receber essa homenagem do povo brasileiro, através dos seus legítimos representantes, além de ser uma honra imensurável, é um fato que marca para sempre a nossa história - disse ainda o ambientalista.

Ele prometeu se esforçar para transformar a medalha do Congresso num signo de amor à vida.

- Esta distinção será um eterno compromisso que terei com a biodiversidade. E ela será o reconhecimento de que não estamos sozinhos. Os traficantes da vida selvagem irão sentir a sua força e saberão que o Brasil está de olho
neles.

Discurso no Senado Federal em 04/11/03

Excelentíssimo Senhor Presidente do Senado Federal:Senador José Sarney -Excelentíssimos Parlamentares do Congresso Nacional Autoridades presentes,Senhoras e senhores: boa noite !

Primeiro gostaria de saudar à todos e dizer que este é um momento muito especial em minha vida. Estar aqui hoje é algo que talvez uma pequena minoria consiga desejar, mas a grande maioria dos ambientalistas não consegue sequer sonhar. Eu fazia parte desse segundo grupo. Este momento significa para mim uma nova descoberta: que todos os sonhos podem se concretizar, até mesmo aqueles que às vezes nem nos atrevemos a sonhar.

Receber essa homenagem do povo brasileiro, através dos seus legítimos representantes, além de ser uma honra imensurável é um fato que marca para sempre a nossa história.

Este fato torna-se ainda mais importante por que testemunhamos na história recente dessa instituição importantes e significativos avanços ambientais que o Congresso Nacional proporcionou ao nosso país.

Este ano será lembrado pela histórica atuação da CPI do tráfico de animais e plantas silvestres, que pela primeira vez em nosso país, investigou a fundo esse problema e apresentou soluções concretas para combater essa atividade que tantos prejuízos causam a nossa biodiversidade.

Aproveito esta oportunidade para prestar minhas sinceras homenagens a todos os membros que integraram a CPI, particularmente ao seu relator, Deputado Sarney Filho, que em seu relatório final apresentou mais do que uma síntese do problema, apresentou as linhas mestres que deveriam ser adotadas pela nossa sociedade para enfrenta-lo.

O Brasil, entre os muitos desafios que enfrenta, tem como um dos principais, encontrar o verdadeiro e justo equilíbrio entre o desenvolvimento e a preservação do meio ambiente.

Vivemos num país onde ainda existem fortes resistências, e às vezes até reações agressivas, contra aqueles que se dedicam a defender os recursos naturais. Fazer a opção de se colocar na frente dos que visam apenas o lucro fácil oriundo da destruição ambiental muitas vezes pode ser uma escolha entre a vida e a morte.

Vivemos num país onde muitos cidadãos fizeram essa opção, e não poderia deixar de citar neste momento um outro brasileiro que há 13 anos atrás também foi honrado com prêmio da UNEP: Chico Mendes.

Ele e tantos outros ambientalistas do meu país lutaram e continuam lutando para que o nosso mundo possa legar às futuras gerações uma vida mais digna e saudável.

Renegar prioridade à proteção do meio ambiente é admitir que ainda não se compreende o ciclo da vida. Grande parte dos problemas sociais, da miséria, da fome e das moléstias que assolam o nosso planeta tem origem, meio ou fim na intervenção equivocada que o homem promove na natureza.

O tráfico de animais silvestres sintetiza esse raciocínio: combater essa atividade criminosa significa impedir a disseminação de novas doenças, significa promover o combate às desigualdades sociais através da geração de renda alternativa para comunidades carentes, significa impedir que jovens ingressem na criminalidade, significa manter o equilíbrio dos ecossistemas e acima de tudo, significa conscientizar o ser humano de que devemos manter uma relação de profundo respeito com o meio em que vivemos.

A Renctas, rede brasileira de combate ao tráfico de animais silvestres, uma organização brasileira sem fins lucrativos, que ajudei a fundar e que atualmente coordeno, tem como missão principal impedir que o comércio ilegal de animais silvestres continue a colocar em risco de extinção as nossas espécies nativas.

Essa atividade ilegal que enfrentamos fatura cerca de U$ 2 bilhões de dólares por ano somente no Brasil. Em nosso país ela muitas vezes se associa ao tráfico de drogas e ao comércio ilegal de armas. Às vezes se confundem tanto, que não é raro araras, metralhadoras e cocaína fazem parte de uma mesma apreensão.

A biodiversidade dos países pobres ou em desenvolvimento é o maior seguro que eles possuem para garantir um futuro digno às suas populações. Ouro, petróleo e minérios garantem o progresso, mais os princípios ativos de plantas e animais das florestas tropicais ou das savanas africanas podem garantir a sobrevivência da humanidade neste planeta.

Para nada servirá o petróleo se não houver água, de nada adianta ter minas de ferro e ao mesmo tempo ter os campos produtivos assolados por pragas e de nada valerá acumular ouro, pois o mesmo não pode servir como remédio para aplacar o sofrimento causado pelas pestes. Somente a diplomacia e o respeito à soberania dos povos pode garantir o futuro dessas nações.

Quero neste momento fazer uma homenagem muito especial a todas as pessoas que acreditaram em mim e se prontificaram a partilhar comigo o meu ideal e a minha luta.

Meus sinceros e profundos agradecimentos à toda a equipe da RENCTAS que nunca se intimidou diante das nossas dificuldades.

Quero agradecer ao senador José Sarney e a todos os membros que compõe o nosso digno Congresso Nacional.

Por fim eu quero agradecer a minha família e aos meus amigos, que sempre compreenderam as minhas ausências devido a dedicação que tenho à missão que abracei.

A todos vocês, muito obrigado por partilhar comigo esse momento. Tenham certeza de que essa distinção do Congresso Nacional será honrada por mim. Mas do que nunca me esforçarei para dignifica-la e transforma-la num signo de amor à vida. Esta distinção será um eterno compromisso que terei com a biodiversidade. E ela será o reconhecimento de que não estamos sozinhos. Os traficantes da vida selvagem irão sentir a sua força e saberão que o Brasil está de olho neles. Muito obrigado.

Fonte: Renctas

  
  

Publicado por em