Selo de qualidade para o carvão estimulará o consumo responsável

O churrasco do fim de semana pode ganhar um sabor extra: o da responsabilidade social. Em até 60 dias, devem chegar ao mercado paulista os primeiros lotes de carvão vegetal produzido no Estado com o selo Premium. O selo é uma garantia de produção sem

  
  

O churrasco do fim de semana pode ganhar um sabor extra: o da responsabilidade social. Em até 60 dias, devem chegar ao mercado paulista os primeiros lotes de carvão vegetal produzido no Estado com o selo Premium.

O selo é uma garantia de produção sem uso de mão-de-obra infantil, com madeira de reflorestamento e com alto teor de carbono fixo, o que indica menor liberação de gases tóxicos e maior disponibilidade de calor.

Para isso, entidades representativas ligadas ao comércio do produto, como o sindicato do setor, dos postos de gasolina, associação de churrascarias e a Associação Paulista de Supermercados (Apas) assinaram dia 8/7 o ``Termo de Compromisso com a Qualidade do Carvão``, comprometendo-se em oferecer aos consumidores o Carvão Premium.

`Com o selo premium, o consumidor terá mais que a garantia de um produto de qualidade, ele terá a certeza da qualidade de vida de quem produz`, afirmou o presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Carvão Vegetal (Sincal), Arnaldo José Pieralini.

Para ele, a idéia é conscientizar os empresários e a população da necessidade de preservação do meio ambiente e do resgate das condições de trabalho e renda dos carvoeiros, estimulando voluntariamente a produção e o consumo responsável.

A cerimônia de lançamento do selo para o carvão aconteceu na manhã da terça-feira (8/7), na Secretaria de Agricultura, com a apresentação das normas técnicas do segundo produto do agronegócio a fazer parte do programa Selo de Qualidade ``Produto de São Paulo``, desenvolvido pela Secretaria Estadual de Agricultura e Abastecimento e que teve início no ano passado, com a certificação dos cafés industrializados.

O secretário Duarte Nogueira destacou que além de um produto ambientalmente adequado a regras de boa qualidade, a iniciativa deve `retratar benefícios para os municípios envolvidos na atividade carvoeira já que, regra geral, o setor tende à informalidade`.

Para a obtenção do selo serão avaliados ainda outros requisitos importantes dentro do processo de produção, como a granulometria, embalagem, origem da madeira e segurança do trabalho.

Certificação:

Sob responsabilidade da Coordenadoria do Desenvolvimento dos Agronegócios (Codeagro) e da Câmara Setorial de Produtos Florestais, órgãos ligados à Secretaria, o programa Selo de Qualidade Produto de São Paulo tem como principais objetivos possibilitar a agregação de valor dos produtos agroindustriais e promover a ampliação de sua oferta no mercado brasileiro e internacional.

O programa desenvolvido para o carvão vegetal conta ainda com o trabalho realizado pela Fundação Carlos Alberto Vanzolini (FCAV), entidade credenciada pela Secretaria para emitir os certificados de qualidade para os produtos envolvidos no programa - o café torrado e moído e, agora, o carvão vegetal.Também serão credenciados laboratórios científicos, que farão testes com as amostras dos carvões entregues pelas empresas interessadas em fazer parte do programa.

Mercado

José Roberto Veríssimo, do Carvão São José, empresa localizada na zona sul paulistana e há 50 anos no ramo, acredita que a certificação deve beneficiar toda a cadeia produtiva.

`Certamente, o consumidor vai desenvolver a consciência pelo produto produzido corretamente. Esperamos que o mercado dê preferência a um produto certificado.`

Para o presidente da Apas, Sussumu Honda, o setor de supermercados percebe as tendências do consumo, como no caso dos produtos orgânicos, e a questão dos custos não deve ser um impeditivo à comercialização.

`Pela qualidade e pela forma de produção, é um produto de alto valor agregado`, afirmou Honda.

Segundo o presidente do Sincal, cerca de 20 empresas produtoras estão previamente preparadas para conquistar a certificação. Elas participaram do Programa de Qualificação e Certificação da Industrialização de Carvão Vegetal (Pró-Carvão), do Sebrae-SP.

O programa, realizado em parceria com o sindicato e a Federação de Comércio do Estado de São Paulo (Fecomércio-SP), realizou um diagnóstico da cadeia produtiva do carvão proporcionando transferência de tecnologia para a valorização do produto e redução dos impactos ambientais e sociais.

Pesquisa realizada pelo Sebrae-SP e pela Escola Superior de Agronomia Luís Queirós, da USP, em 2000, concluiu que 56% dos produtores paulistas de carvão vegetal não possuíam registro no Ibama.

Produção

Segundo o Sincal, o Estado produz 10 mil toneladas/mês de carvão vegetal e o consumo chega a 18 mil toneladas/mês. Ainda segundo o sindicato, os principais pontos de venda do carvão produzido no Estado são: os açougues, onde são destinados quase 24% da produção estadual; os supermercados (23%); os postos de gasolina (17,5%) e as churrascarias (16,5%).

Existem no Estado cerca de 1,5 mil produtores de carvão e 1,4 mil empresas distribuidoras. Os dois principais municípios produtores de carvão vegetal são Salesópolis, na região de Mogi Mirim, e Pedra Bela, em Bragança Paulista.

Fonte: Sebrae-SP

  
  

Publicado por em

JOSE AUGUSTO FELIPPE FILHO

JOSE AUGUSTO FELIPPE FILHO

26/08/2008 16:55:17
DEMOROU !!!!!!!!!!!!!! VAMOS TRABALHAR COM RESPONSABILIDADE