Seminário estimulará a troca de informações sobre gerenciamento ambiental entre cidades

Dia 18 de outubro, Belo Horizonte receberá por ocasião da 7ª Conferência Latino-Americana sobre Meio Ambiente e Responsabilidade Social – Ecolatina 2007 representantes de governo, prefeitos de diversas cidades e demais pol&i

  
  

Dia 18 de outubro, Belo Horizonte receberá por ocasião da 7ª Conferência Latino-Americana sobre Meio Ambiente e Responsabilidade Social – Ecolatina 2007 representantes de governo, prefeitos de diversas cidades e demais políticos que participarão do 9º Seminário Nacional Gerenciamento Ambiental nos Municípios – Políticas Municipais e as Mudanças Climáticas. A idéia é promover a troca de experiências e informações entre municípios que possam ajudar a reduzir os impactos ambientais causados por atividades e condutas que insistem em rasgar quaisquer protocolos de desenvolvimento sustentável.

Com certeza, temas como a emissão de gases de CO2 na atmosfera, a manutenção de áreas verdes, problemas de saneamento básico, bem como tratamento de água e esgoto, entre outros, virão à tona. Todavia, o que se espera do encontro é que possam surgir idéias e novidades para melhorar a qualidade de vida dos cidadãos, antevendo o futuro do aquecimento global.

Cidades como São Paulo têm servido de exemplo para outras cidades sejam elas capitais ou do interior. A questão ultrapassa o simples rodízio de carros ou uma regulamentação mais incisiva da utilização de outdoors. Outras ações vêm sendo implementadas, como a obrigatoriedade de os eventos realizados nos 32 parques municipais compensarem as emissões de carbono com o plantio de árvores pela cidade e a realizar o manejo adequado dos resíduos gerados pelos eventos.

A Prefeitura também tem estimulado uma maior utilização das bicicletas no dia-a-dia do paulistano com a construção de ciclovias, promovido a inspeção nas frotas de ônibus, incentivado a participação para inclusão de biocombustíveis no Programa de Avaliação de Alternativas Energéticas, criado programas como o Biodiesel – 50, que estabelece a obrigatoriedade de distribuir no município apenas óleo diesel com teor máximo de enxofre na concentração de 50ppm. Ela prevê ainda a renovação da frota de ônibus para 2008 e vem desenvolvendo projetos de controle de gases de efeito estufa emitidos pelo lixo urbano, com vistas à venda de créditos de carbono.

Em Belo Horizonte, há inúmeros esforços na adoção de novas políticas ambientais. A cidade possui 55 parques municipais com mais de 7 milhões de m² e mais de 250.000 árvores em vias públicas. É uma das poucas cidades do país que possui um Comitê Municipal sobre Mudanças Climáticas e Ecoeficiência. O Comitê é coordenado pelo ambientalista e vice-prefeito de Belo Horizonte, Ronaldo Vasconcellos, que tem presença confirmada no seminário. Sobre as expectativas sobre o encontro ele afirmou: “São as melhores possíveis. O seminário será importantíssimo para trocas de informações, já que várias cidades estarão representadas”.

Sobre as ações ocorridas na capital mineira, o ambientalista disse que entre os esforços que vêm sendo feitos para minimizar os problemas ambientais consta a aprovação no início do ano de uma lei que obriga os veículos da administração direta e indireta, incluindo os terceirizados, a adicionarem 2% de biodiesel ao óleo diesel usado como combustível em seus veículos.

“Também está sendo promovida uma eficientização da iluminação pública. Já foram trocadas cerca de 82 mil lâmpadas de vapor de mercúrio pelas de vapor de sódio, quatro vezes mais econômicas e que proporcionam melhor qualidade de iluminação”, informou. Para Ronaldo Vasconcellos, estas são algumas demonstrações que Belo Horizonte é uma cidade modelo em relação às questões ambientais.

Curitiba e Betim investem em políticas ambientais

Curitiba também tem se esmerado no gerenciamento ambiental. A capital paranaense recebeu em setembro o plantio de árvores de 28 espécies nativas ao longo da Linha Verde e promoveu a revitalização do Horto levando em conta o conceito do Biocidade, programa lançado pelo prefeito Beto Richa em março deste ano, no qual é prevista a conservação e o resgate da vegetação nativa da região. O Biocidade, afirma o prefeito, é baseado em um conceito simples, mas com ações concretas que envolvem as diferentes áreas da administração municipal.

"A Linha Verde está dentro do conceito de que o desenvolvimento que gera qualidade de vida só é possível quando se leva em conta a necessidade de reduzir as perdas da flora e da fauna no meio ambiente urbano", disse Richa, que é um dos convidados para o 9º Seminário Nacional Gerenciamento Ambiental nos Municípios.

Outra iniciativa oportuna do prefeito foi a criação este ano do programa Câmbio Verde, que prevê a troca lixo reciclável por alimentos em áreas da periferia. "O programa melhora a alimentação das famílias, além de manter o ambiente limpo", afirmou Richa. Desde 2005, a Prefeitura abriu 24 novos pontos de Câmbio Verde, aumentando de 64 para 88 o número de postos de troca de lixo na cidade. Por mês, o Câmbio Verde recolhe 240 toneladas de lixo reciclável e distribuiu 70 toneladas de alimentos, beneficiando 8 mil famílias.

Já a Prefeitura de Betim, a 30 quilômetros de Belo Horizonte (MG) recebeu, no último dia 25, o prêmio Destaque ICMS Ecológico Saneamento é + de 100, em reconhecimento às ações ambientais desenvolvidas na cidade. O prêmio foi entregue pela Fundação Estadual do Meio Ambiente (Feam), por ter sido o primeiro município no Estado a ter um aterro sanitário licenciado.

Para o prefeito de Betim, Carlaile Pedrosa, outro convidado para o seminário, este é um reconhecimento por todo o investimento realizado desde 2001 na área de meio ambiente e também pela vontade dos funcionários. O ICMS Ecológico é um recurso calculado pela Feam e oferecido às cidades cadastradas que dispõem adequadamente o lixo.

Para receber o recurso, a administração municipal deve investir em aterro sanitário ou em unidade de triagem e compostagem de lixo que atenda, no mínimo, a 70% da população. Betim, hoje, recebe o investimento pelo aterro e também referente ao pátio de compostagem, que transforma compostos recebidos de restaurantes e empresas em material orgânico. O município também tem investido na manutenção da rede de esgoto e despoluição de bacias hidrográficas.

Para o seminário foram convidados, além de Beto Richa, Carlaile e Vasconcellos, que será o coordenador dos debates, o ministro das cidades Márcio Fontes de Almeida; Fernando Pimentel, prefeito da capital mineira e Gilberto Kassab, prefeito de São Paulo.

Serviços:

Evento: 7ª Ecolatina – 9º Seminário Nacional Gerenciamento Ambiental nos Municípios – Políticas Municipais e as Mudanças Climáticas

Data: 18 de Outubro de 2007

Horário: 8h30 às 18h

Local: Minascentro – End. Av. Augusto de Lima, 785. Belo Horizonte

Fonte: Press Comunicação Empresarial

Del Valle Editoria

Contato: vininha@vininha.com

Site: www.animalivre.com.br

  
  

Publicado por em