Sociedade Civil pede urgência na federalização do caso `Irmã Dorothy`

O Greenpeace e outras organizações da sociedade civil encaminharam no dia 25/2, uma carta ao Procurador-Geral da República, Cláudio Fonteles, solicitando agilidade no pedido de transferência das investigações e julgamento do assassinato da missionária Dor

  
  

O Greenpeace e outras organizações da sociedade civil encaminharam no dia 25/2, uma carta ao Procurador-Geral da República, Cláudio Fonteles, solicitando agilidade no pedido de transferência das investigações e julgamento do assassinato da missionária Dorothy Stang, para a Polícia Federal e Justiça Federal, respectivamente.

Fonteles se comprometeu publicamente a pedir a transferência imediata do caso para a esfera federal nos dias 13 e 14 de fevereiro, em Belém e Altamira.

Irmã Dorothy foi assassinada por pistoleiros em Anapu, no dia 12 de fevereiro, quando se dirigia ao Projeto de Desenvolvimento Sustentável (PDS) Esperança.

Acreditava num futuro pacífico e sustentável e defendia como poucos o patrimônio nacional dos ataques de grileiros, além de lutar incansavelmente por uma forte presença do Estado na Amazônia.

Há mais de 30 anos vivia na região da Transamazônica e dedicou quase metade de sua vida para dar voz às comunidades rurais, defendendo o direito à terra e lutando por um modelo de desenvolvimento sem destruição da floresta.

Fonte: Greenpeace

  
  

Publicado por em