SOS Mata Atlântica lançou o Observatório Parlamentar Mata Atlântica

Segue a transcrição da Coletiva de Lançamento do Observatório Parlamentar Mata Atlântica. Entrevista com Mario Mantovani, diretor de Relações Institucionais da Fundação SOS Mata Atlântica. [10:57:07] - Evanildo da Silveira ( Repórter - O Estado de S.

  
  

Segue a transcrição da Coletiva de Lançamento do Observatório Parlamentar Mata Atlântica. Entrevista com Mario Mantovani, diretor de Relações Institucionais da Fundação SOS Mata Atlântica.

[10:57:07] - Evanildo da Silveira ( Repórter - O Estado de S. Paulo - SP ) pergunta para Mario Mantovani (SOS Mata Atlântica) : Bom dia. Para começar, o que vem a ser exatamente esse `Observatório`?

Mario Mantovani (SOS Mata Atlântica) responde: Evanildo, é uma tentativa de desmistificar o processo legislativo e mostrar, através do PL da Mata Atlântica e das leis correlatas, como nasce uma lei, como tramita, comissões, até o orçamento. E conquistar o princípio da transparência, ver quem está a favor, quais os outros interesses (bancada imobiliária, ruralistas etc. ), as chantagens, e dar conhecimento. Fazer do Observatório uma ferramenta de mobilização das entidades e do cidadão.

[11:03:43] - Amanda Madoenho ( Repórter - Adventure - SP ) pergunta para Mario Mantovani (SOS Mata Atlântica) :
Bom dia. Eu gostaria de saber qual é a atual situação da M.A. no sul da Bahia?

Mario Mantovani (SOS Mata Atlântica) responde: Amanda, estive em Ilhéus na sexta feira, num evento do IBAMA e dos novos prefeitos pudemos observar que a situação é muito grave e ainda não revertemos o grave quadro de degradação naquela região. Só para relembrar, no ano passado tivemos a tentativa de assassinato do Ambientalista Norberto em Marau. O pessoal ainda não foi preso. No inicio do mês apreenderam um carregamento
de Jacarandá da Bahia na Espanha extraído recentemente na região (Greenpeace) e o permanente conflito do Prodetur, um programa de desenvolvimento do turismo que conflita com a exploração imobiliária, etc. Resumindo, a situação de ameaça é permanente e só a Lei da MA pode
reverter esse quadro.

[11:08:45] - Ricardo Luiz Guimarães Ribeiro ( Diretor - Folha Marianense - MG - Mariana ) pergunta para Mario Mantovani (SOS Mata Atlântica):Existe um projeto ou modelo de desenvolvimento petista para o meio ambiente que encontra respaldo na atividade de vocês?

Mario Mantovani (SOS Mata Atlântica) responde: Ricardo, se considerar que o MMA é da Marina é do PT, por conseguinte... o esforço pela alteração do Programa de Proteção das Florestas Tropicais do G7 é um grande ganho e tem todo nosso apoio. Na semana que vem, vamos discutir o Programa Mata Atlântica do Governo Federal e buscaremos garantir os incentivos e apoios
previstos na lei da Mata Atlântica para os proprietários e municípios que têm Mata Atlântica.

[11:26:56] - Guilherme de Queirós Mattoso ( Editor - Nitideal.com.br - RJ - Niterói ) pergunta para Mario Mantovani (SOS Mata Atlântica) : bom dia para todos

Mario Mantovani (SOS Mata Atlântica) responde: Bom dia, estamos prontos para a nossa coletiva sobre o observatório parlamentar

[11:33:22] - Adriana Clautenes Lemos Soares ( Editor - Portal AZ - PI ) pergunta para Mario Mantovani (SOS Mata Atlântica) : Bom dia. Gostaria de saber de que forma o observatório parlamentar mata atlântica vai atuar?

Mario Mantovani (SOS Mata Atlântica) responde: Adriana, vamos tentar fazer desse trabalho uma ferramenta para tentar proteger os 7% que sobram da mata original e que estava presente em 17 estados e 3400 municípios e que continuamos em 2004 perdendo o equivalente a um campo de futebol a cada 4 minutos. Então, a proposta é, de forma didática, mostrar como nasce uma lei, como tramita o orçamento, e o PL da Mata Atlântica é o personagem principal bem como as outras leis que interferem diretamente nessa proposta. Aliás tem todo o histórico e ao contrário de outras leis ela foi construída e
atualizada ao longo dos 12 anos e regulamentada nos Conselhos Estaduais e no Conama e aprovada por unanimidade pelos deputados no final de 2003 e agora está no Senado com o Sen. César Borges que, se fizer alterações, volta para a Câmara e por isso vai apoiar uma campanha permanente por sua aprovação.

[11:38:57] - Ricardo Luiz Guimarães Ribeiro ( Diretor - Folha Marianense - MG - Mariana ) pergunta para Mario Mantovani (SOS Mata Atlântica) : Bom dia, Mario! Em que o `Observatório` difere do trabalho das outras ONG`s e como vocês pretendem envolver a imprensa?

Mario Mantovani (SOS Mata Atlântica) responde: Ricardo, esse trabalho é resultado de 12 anos de acompanhamento no Congresso Brasileiro, nas Assembléias dos 17 Estados, nos Conselhos Estaduais que regulamentaram os estágios sucessionais (florestas secundárias, estágio inicial etc..) e no Conselho Nacional de Meio Ambiente, diversos ministros, etc. Foi base de uma campanha permanente e a imprensa foi nosso aliado em todos os momentos.Aliás, avançamos por conta disso e melhor ainda não valorizamos as diferenças com ONGs, mas criamos a Rede de ONGs da Mata Atlântica com mais de 300 entidades que têm o PL como objetivo comum. Agora é continuar a pressão e a SOS, com seus mais de 100.000 sócios, possam ajudar a pressionar ainda mais o Congresso Nacional que já está em campanha eleitoral para 2006

[11:45:25] - Dionara Melo ( Repórter - Zero Hora - RS - Sucursal RS - Novo Hamburgo ) pergunta para Mario Mantovani (SOS Mata Atlântica).Gostaria de saber se entre os projetos catalogados tem algum que interfira diretamente nos remanescentes da Mata Atlântica, no caso do Rio Grande do Sul, o município de Riozinho?

Mario Mantovani (SOS Mata Atlântica) responde: Dionara, O PL da Mata Atlântica é vital para proteger os remanescentes, ele não tem caráter proibitivo, mas regulador e prevêem incentivos e garante os usos. Foi um dos grandes avanços na moderna legislação brasileira. Tivemos o cuidado de apontar as outras principais leis que possam interferir (transgênicos, por exemplo) para também serem acompanhadas e entendidas por todos. No caso de Riozinho que tem 90% da cobertura original florestal isso pode ser entendido como um patrimônio no caso do PL e poderemos ir buscar compensações (ICMS ecológico) e programas oficiais do MMA entre outros

[11:49:24] - Guilherme de Queirós Mattoso ( Editor - Nitideal.com.br - RJ - Niterói ) pergunta para Mario Mantovani (SOS Mata Atlântica) : De que forma a sociedade será informada e como ela poderá atuar fiscalizando os congressistas?

Mario Mantovani (SOS Mata Atlântica) responde: Guilherme, pretendemos manter atualizados permanentemente o acompanhamento das leis, principalmente na internet e nas mobilizações e campanhas que desenvolveremos no próximo ano, ainda vamos divulgar nas redes de ONGs temáticas e termos presença constante no Congresso Nacional; para isso precisamos ter como aliados os eleitores que em 2006 vão demandar esses candidatos. A corrida começou e queremos dar um peso nesta questão, já que meio ambiente é legal mas não interfere na pauta dos candidatos. Temos um longo caminho.

[12:13:06] - Adriana Clautenes Lemos Soares ( Editor - Portal AZ - PI ) pergunta para Mario Mantovani (SOS Mata Atlântica) : Atualmente são quantos projetos, leis em tramitação sobre o meio ambiente?

Mario Mantovani (SOS Mata Atlântica) responde: Adriana, não saberia te dizer agora, pois esse universo legislativo é sideral. Só para ter uma idéia no caso das leis que interferem com o Projeto de Lei da Mata Atlântica chegam quase a uma centena. É muito se considerarmos que o cidadão comum não entende porque uma lei tramita a 12 longos anos e com toda a divulgação.Imagine quantos interesses são encobertos nos acordos de lideranças e bancadas (ruralista, imobiliária, religiosas etc.) por não termos gente que entenda como funciona o Congresso Nacional.

12:16:59] - Fabiana Midhori Lopes ( Outros -www.ambientebrasil.com.br ) pergunta para Mario Mantovani (SOS Mata Atlântica) : A partir de quando o `Observatório` começa a funcionar efetivamente?

Mario Mantovani (SOS Mata Atlântica) responde: Fabiana, estamos fazendo isso a 12 longos anos e agora estamos disponibilizando isso a todos os cidadãos interessados em temas de interesses coletivos e esperamos a partir de agora manter permanentemente atualizado e como ferramenta de mobilização no Portal da SOS e nas Ongs das Redes.

[12:22:50] - Adriana Silva*** ( Freelancer - Freelancers ) pergunta para Mario Mantovani (SOS Mata Atlântica) : Bom dia Mário, Quais são as metas para conscientizar as pessoas a respeito deste projeto de Lei?

Mario Mantovani (SOS Mata Atlântica) responde: Adriana, primeiro é dar conhecimento, pois quem não conhece fica difícil. Esse assunto estava ligado diretamente às ONGs e às campanhas de abaixo assinados, o que queremos conquistar é o envolvimento desses segmentos e dos cidadãos para ajudarem a pressionar o Congresso Nacional e dar a transparência no processo Legislativo. Já que o nosso Projeto de Lei foi motivo de troca e chantagem de alguns deputados com o Executivo ao longo desse anos de tramitação, queremos atenção e fiscalização determinante nesse processo.

[12:31:32] - Luciano Dias* ( Repórter - Globo Online - RJ ) pergunta para Mario Mantovani (SOS Mata Atlântica) : Oba. Tudo bem? Bom Dia. Tenho duas perguntas: Quais os lobbies que barram as votações das leis de preservação do meio ambiente? O senhor pode dizer quais os mais atuantes e como a sociedade(as ONGs) pode barrar tais ações? O senhor acredita que o ímpeto desenvolvimentista de parte do governo pode criar problemas para preservação do meio ambiente, principalmente na Amazônia? Um exemplo: outro dia o JN mostrou uma matéria que o próprio governo ensinava técnica de queimada.

Mario Mantovani (SOS Mata Atlântica) responde: Luciano. Os lobbies são permanentes, e o problema é que são por baixo dos panos e, diferentemente de como nós trabalhamos no Conama, nos órgãos do Sistema Nacional de Meio Ambiente, eles não aparecem e estão sempre negociando em favor de grupos que covardemente não se apresentam. Tivemos recentemente o caso do Dep. Ricardo Izar, de SP, que tentou acabar com as áreas de preservação permanente nas áreas urbanas, por conta de parte do setor imobiliário, e que depois negou tudo. Mas nos já sabemos administrar essa pressão. A dos ruralistas foi muito grande no inicio do PL da Mata Atlântica e tiramos de letra. Quanto ao governo a coisa ainda é pior, pois você tem muitos governos (três níveis) e que se conflitam permanentemente. Dilma Roussef X Marina Silva X Roberto Rodrigues. Como é que um simples mortal vai saber se posicionar no caso das barragens ou transgênicos. Por isso nossa proposta de dar duplicidade ao projeto de lei.

[12:35:07] - Adriana Clautenes Lemos Soares ( Editor - Portal AZ - PI ) pergunta para Mario Mantovani (SOS Mata Atlântica) : Hoje os 7% restantes da mata atlântica se concentram onde? Recentemente tive a oportunidade de ir a uma cidade em região de serra aqui no Piauí chamada Pedro II, a cerca de 300k da capital Teresina, e soube lá que um grupo de biólogo e geógrafos descobriu e está estudando uma área com vegetação típica de mata atlântica. Gostaria de saber se vc tem conhecimento disso e se existe algum projeto que beneficie o Piauí.

Mario Mantovani (SOS Mata Atlântica) responde: Adriana, para ficar mais fácil acesse nosso portal que lá tem todos os municípios da mata atlântica. Mas parte desse bioma chega ate o Piauí e essa área tem uma zona de transição com vegetação semelhante, e o pouco que resta é desconhecido dos cientistas, da academia, dos governos e dos brasileiros. Podemos dizer que o Projeto de Lei traz benefícios principalmente para esses lugares que merecem cuidados especiais.

[12:38:27] - Lorenzo Aldé ( Chefe - Redação - O Eco - RJ ) pergunta para Mario Mantovani (SOS Mata Atlântica) : Bom dia, Mario, queria entender se o Observatório se limitará a este documento ou será lançado como uma atividade constante de monitoramento do Legislativo quanto à Mata Atlântica.

Mario Mantovani (SOS Mata Atlântica) responde: Lorenzo, pretendemos que seja atualizado constantemente e vamos incluir mais dados e posicionamentos de deputados e senadores. Alguma coisa diferente do que se
vai achar acessando o site do Congresso Nacional, pois comentaremos e daremos nossos encaminhamentos para conseguir melhores resultados. Ainda vai ser base de uma mobilização permanente pela sua aprovação.

12:41:37] - Dionara Melo ( Repórter - Zero Hora - RS - Sucursal RS - Novo Hamburgo ) pergunta para Mario Mantovani (SOS Mata Atlântica)
:
Existe algum projeto trancado na Assembléia Legislativa do Rio Grande do Sul?

Mario Mantovani (SOS Mata Atlântica) responde: Dionara, eu acompanhei na Assembléia Legislativa do RS a decisão do Projeto de Lei, a Reposição Florestal obrigatória e já faz mais de quatro anos. Hoje não saberia te dizer o que está rolando, pois estou concentrado no Congresso Nacional. Mas acredito que a Kátia, da ONG Amigos da Terra, de Porto Alegre, deve ter mais informações.

[12:46:42] - Evanildo da Silveira ( Repórter - O Estado de S. Paulo - SP ) pergunta para Mario Mantovani (SOS Mata Atlântica) : Quantos PL ou leis foram catalogadas e serão acompanhadas?

Mario Mantovani (SOS Mata Atlântica) responde: Evanildo, estamos acompanhando e monitorando diretamente os mais de 25 listados no Observatório ( Portal da SOS ) e nos dedicando a pressionar o Senado na figura do senador César Borges (aquele candidato derrotado de Salvador) para ver se ele sai de cima. Na relatoria do PL e para que, se tiver alterações,elas possam ir o mais brevemente para a Câmara dos Deputados, onde conseguimos a aprovação por unanimidade no final de 2003. Acredito que por ele estar envolvido com a campanha possa ter deixado de lado essa importante tarefa, como tem mais de 20 medidas provisórias trancando a pauta.

12:51:26] - Carolina Elia ( Repórter - O Eco ) pergunta para Mario Mantovani (SOS Mata Atlântica) : Para vocês que fizeram este levantamento, o que mais atrapalha a aprovação da PL? O observatório traz a posição de senadores ou do presidente da casa sobre essa demora de 12 anos?

Mario Mantovani (SOS Mata Atlântica) responde: Carolina, o que mais atrapalhou foi o fato da sociedade não estar envolvida, ou por não termos conseguido dar um peso político para essa questão. Fora isso as bancadas ruralistas, imobiliárias, CNI e os governos de estados - e em alguns momentos o governo federal-deram uma grande contribuição à degradação ambiental no País e por isso vamos tentar superar os nossos erros e continuarmos a mobilização da sociedade que agora tem mais uma campanha eleitoral para dar seu recado.

[13:02:30] - Lorenzo Aldé ( Chefe - Redação - O Eco - RJ ) pergunta para Mario Mantovani (SOS Mata Atlântica) :Em que estados registraram-se os maiores avanços na legislação de proteção da MA e incentivos fiscais a quem preserva? Há iniciativas bem-sucedidas que merecem inspirar outras regiões? Soluções originais que mereçam destaque?

Mario Mantovani (SOS Mata Atlântica) responde: Lorenzo, temos algumas iniciativas isoladas e que merecem ser avaliadas, senão vejamos o Paraná que criou o ICMS Ecológico no começo dos anos 90. No período do governador Jaime Lerner o Estado foi o campeão de desmatamento da Mata Atlântica. Mas o fato dessa boa idéia ser ampliada para diversos Estados está contribuindo para a preservação da Floresta e conseguimos incorporar essa idéia no Projeto de Lei.Temos ainda o caso de alguns municípios que criaram
o IPTU Verde e que, achamos, seja uma grande idéia e que esses municípios devam ser incentivados pelos Comitês de Bacias para consolidarem a proteção dos mananciais e temos recentemente o Caso das RPPNs (Reservas Particulares de Proteção Natural), que têm isenção de ITR e muitas linhas de incentivos para os proprietários rurais que se dispuserem a sua criação.Estamos ainda com as Certificações de Produtos agrícolas, florestal etc, que ganhariam reconhecimento com o Projeto de Lei e podem ser incentivados.

[13:07:29] - Vininha Felippo Carvalho ( Diretor a- Del Valle Editoria -SP: pergunta para Mario Mantovani (SOS Mata Atlântica) : Na sua opinião, os meios de comunicação estão investindo mais em jornalistas que tenham conhecimento em jornalismo ambiental ou mesmo seja um profissional que se preocupa em cobrir temas como esses, os verdadeiros jornalistas?

Mario Mantovani (SOS Mata Atlântica) responde: Vininha, infelizmente isso não vem acontecendo. Nós estamos com um prêmio de reportagens buscando valorizar os jornalistas. Mas particularmente estou mais preocupado em formar os jornalistas como profissionais para atuarem nas mais diversas editorias (Joelmir fala de meio ambiente em Economia, Heródoto Barbeiro na CBN tem atenção especial para o tema... ) e assim acho que conquistaremos mais espaços que com um jornalismo dirigido. Mas valorizamos demais esse tipo de especialização e ainda sim tem seu espaço.

[13:11:46] - Laércio Castro de Oliveira ( Freelancer - Freelancers )pergunta para Mario Mantovani (SOS Mata Atlântica) : Olá Mario. Em Santa Catarina é comum vermos construções de mansões em meio à Mata Atlântica, assim como é comum vermos aparecer aleatoriamente clareiras em meio à mata. É difícil atuar em áreas onde esse tipo de devastação é feita por gente de grande poder aquisitivo?

Mario Mantovani (SOS Mata Atlântica) responde: Sim, e precisamos ficar atentos. Há instrumentos para denunciar obras ou empreendimentos irregulares mas a fiscalização deve ser efetiva, ir ao local e cumprir com os procedimentos legais. Seja para quem for, sem receio de ser esta pessoa com poder aquisitivo. A lei é para todos.

[13:15:12] - Adriana Silva*** ( Freelancer - Freelancers ) pergunta para Mario Mantovani (SOS Mata Atlântica) : Mário, o projeto de Lei sendo aprovado qual vai ser o próximo passo para que tudo ocorra conforme o que está escrito, pois sabemos que mesmo sendo lei,existe uma burocracia muito grande para sair do papel?

Mario Mantovani (SOS Mata Atlântica) responde: Adriana, acredito que no caso da nossa lei venha a ser diferente, pois ela foi praticamente regulamentada em todos os Estados e nos espaços de política pública de meio ambiente. E, por ser uma campanha comum de mais de 300 ONGs e resultado de muita mobilização, tem tudo para ser colocada em prática imediatamente após a sua aprovação. O que devemos fazer é dar visibilidade e comunicar melhor sua aprovação.

[13:18:45] - Lorenzo Aldé ( Chefe - Redação - O Eco - RJ ) pergunta para Mario Mantovani (SOS Mata Atlântica) : Pode-se dizer que existe uma `bancada ambientalista` na Câmara? De que tamanho ela é?

Mario Mantovani (SOS Mata Atlântica) responde: Lorenzo, nós temos uma bancada ambientalista e acho que temos em torno de 70 deputados e alguns senadores - tirando aqueles que querem aparecer na fita! Podemos contar com quase 30, um bom número, mas precisamos de mais estrutura e respaldo na participação dos eleitores para dar peso aos temas que eles defendem. Para o próximo ano estaremos pondo algumas reuniões e vamos apresentar esses deputados e seus pensamentos no Observatório Parlamentar.

[13:24:25] - Vininha Felippo Carvalho ( Diretora - Del Valle Editoria - SP ) pergunta para Mario Mantovani (SOS Mata Atlântica) : Algumas leis foram criadas para defender a fauna, mas ainda não estão sendo cumpridas, os animais estão ficando estressados, perdendo peso e alguns
estão morrendo, devido ao aumento da presença humana em seu ambiente. Como assegurar a eles o equilíbrio em seu habitat?

Mario Mantovani (SOS Mata Atlântica) responde: Vininha, esse é o problema das leis. Garantir sua efetividade é o maior desafio e temos de estar organizados em grupos de interesse e ter a população ao nosso lado na defesa dessas conquistas. No nosso caso, se conseguirmos aprovar o PL da Mata Atlântica, vamos garantir a proteção de muitas espécies ameaçadas de extinção e o habitat nosso, da fauna e da flora.

[13:25:10] - Lorenzo Aldé ( Chefe - Redação - O Eco - RJ ) pergunta para Mario Mantovani (SOS Mata Atlântica) : A que tipo de interesse `religioso`, contrário ao meio ambiente, o sr. se refere?

Mario Mantovani (SOS Mata Atlântica) responde: Lorenzo, estava dando como exemplo o caso da Lei do Silêncio (vetada pela bancada evangélica).

[13:28:17] - Carolina Elia ( Repórter - O Eco - RJ ) pergunta para Mario Mantovani (SOS Mata Atlântica) : Ao responder a repórter Adriana Silva, você falou que o projeto lei foi motivo de troca de chantagem com o executivo. Você poderia citar um exemplo?

Mario Mantovani (SOS Mata Atlântica) responde: Carolina, temos alguns ruralistas que negam veementemente, mas que estão sugerindo trocar o Projeto de Lei da Mata Atlântica com a aprovação da redução da reserva legal na amazônia de 80% para 50%. Só para se ter uma idéia. E temos o fato mais grave dessa bancada, que é teimar em dizer que o Projeto de Lei da Mata Atlântica incide sobre toda a área de domínio da Floresta, apenas para causar tumulto pois ele tem como objetivo o uso e a proteção dos 7% remanescentes.

[13:30:56] - Carolina Elia ( Repórter - O Eco - RJ ) pergunta para Mario Mantovani (SOS Mata Atlântica) : Se a PL já estivesse aprovada, ela poderia ter evitado que o governo permitisse a derrubada de mais de 4 mil hectares de Mata Atlântica para a construção da hidrelétrica de Barra Grande? Como a PL regulamenta o uso e exploração da MA?

Mario Mantovani (SOS Mata Atlântica) responde: Carolina, é isso aí. Esse tipo de crime não ficaria impune, os Estudos e Relatórios de Impacto Ambiental seriam mais precisos e não precisaríamos deixar as coisas chegarem aonde chegaram por omissão e incúria. Todo o PL tem como objeto o uso e a proteção, e nesse caso garantiríamos a proteção.

[13:36:22] - Ricardo Luiz Guimarães Ribeiro ( Diretor - Folha Marianense - MG - Mariana ) pergunta para Mario Mantovani (SOS Mata Atlântica) : Como você avalia o nosso Código Florestal?

Mario Mantovani (SOS Mata Atlântica) responde: Sempre achei muito bom. Pena não ter sido cumprido e temos com isso um ótimo argumento, pois ele é até mais restritivo que o Projeto de Lei da Mata Atlântica. E olhe que não tinha ambientalista, ou biodesagradáveis, à época para dizerem que eram contra o desenvolvimento. A SOS está concentrando sua capacidade institucional para as questões da reserva legal e as áreas de preservação permanente, promovendo um resgate dessas duas figuras do código e sua restauração. Com isso, passaríamos a ter sob proteção quase 30% da área de mata atlântica, bem mais que os atuais 7%.

[13:41:52] - Evanildo da Silveira ( Repórter - O Estado de S. Paulo - SP ) pergunta para Mario Mantovani (SOS Mata Atlântica) : O que estabelece o PL da Mata Atlântica?

Mario Mantovani (SOS Mata Atlântica) responde: A disposição está descrita no corpo do PL e está disponível em nosso site www.sosmatatlantica.org.br. Destacamos que os estágios sucessionais da floresta (secundário, médio e avançado) estão bem definidos, evitando atropelos de interpretação e ações discricionárias na descrição. E pelo fato do PL ter tramitado por 12 anos, ele está atualizado com a Lei de Crimes, do SNUC (Sistema Nacional de Unidades de Conservação), importante que o PL não tem natureza proibitiva pois esta já está em outras normas legais.

[13:46:56] - Mario Mantovani (SOS Mata Atlântica) ( ENTREVISTADO ) FALA COM TODOS : Caros Amigos e jornalistas, agradecemos a atenção e informamos que lançaremos o Observatório na Comissão de Meio Ambiente da Câmara dos Deputados ainda hoje e estarei sempre à disposição para as eventuais dúvidas.

Organização: Voice Comunicação Institucional

  
  

Publicado por em