Sudeste teve 42 tecnologias sociais certificadas pela Fundação Banco do Brasil

A Fundação Banco do Brasil anunciou no dia 27/8, pela manhã, em Brasília (DF), a relação de tecnologias sociais certificadas na quarta edição do Prêmio de Tecnologia Social 2007. No país

  
  

A Fundação Banco do Brasil anunciou no dia 27/8, pela manhã, em Brasília (DF), a relação de tecnologias sociais certificadas na quarta edição do Prêmio de Tecnologia Social 2007. No país, 120 práticas inscritas foram certificadas. A maior parte das inscrições foi enviada da região sudeste (42), seguida do nordeste (36) e sul (22). O centro-oeste teve 12 tecnologias sociais certificadas e o norte, oito.

A premiação é concedida, a cada dois anos, para identificar, certificar, premiar e difundir tecnologias sociais. O conceito compreende produtos, técnicas ou metodologias reaplicáveis, desenvolvidas na interação com a comunidade, que representem soluções efetivas de transformação social.

O total de 782 inscritos na maior premiação do terceiro setor foi recorde em relação aos anos anteriores. Em 2005, foram feitas 636 inscrições e, em 2003, 634. O número registrado em 2001 foi de 523. O crescimento de 2007 em relação a 2001 foi de 49,5%.

O tema educação gerou o maior grau de interesse, com 358 propostas submetidas. Em seguida vieram renda (131), meio ambiente (114) e saúde (93). Aqueles que receberam um menor número de inscritos foram: alimentação (33), água (30), habitação (15) e energia (8). Desse total, 32 tecnologias sociais foram certificadas na área de educação, 27 na renda, 22 em meio ambiente e 15 em saúde. Alimentação gerou 14 certificações, água cinco e habitação quatro. O tema de energia teve uma certificação.

A próxima etapa do prêmio é a escolha das finalistas, que serão analisadas segundo critérios de mérito, efetividade e resultado alcançado. Todas as 24 tecnologias sociais selecionadas nessa fase receberão o troféu de “Finalista do Prêmio Fundação Banco do Brasil de Tecnologia Social – edição 2007”.

Resultado :

A fase seguinte é a de julgamento, quando as tecnologias finalistas selecionadas serão analisadas segundo critérios de inovação, exemplaridade, transformação social e potencial de reaplicabilidade. Haverá pontuações para cada critério e a tecnologia com maior pontuação média, em cada categoria, será declarada vencedora.

O resultado final será conhecido em novembro e cada uma das oito instituições vencedoras receberá R$ 50 mil. Os recursos devem ser destinados a atividades de expansão, aperfeiçoamento ou reaplicação da tecnologia social premiada.A premiação foi dividida em oito categorias: “Região Geográfica – N/NE/CO/SE/S”, “Aproveitamento/tratamento de rejeitos/resíduos/efluentes de processos produtivos”, “Direitos da Criança e do Adolescente” e “Gestão de Recursos Hídricos”.

Para o gerente de Parcerias, Articulações e Tecnologia Social da Fundação BB, Luis Fumio Iwata, as tecnologias sociais certificadas revelam o engajamento das organizações brasileiras na busca do desenvolvimento socioeconômico do país.

A quarta edição do Prêmio Fundação Banco do Brasil de Tecnologia Social é realizada em parceria com a Petrobras, com apoio da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), e a KPMG Auditores Independentes.

Fonte: Gerência de Comunicação e Mobilização Social da Fundação BB

Del Valle Editoria

Contato: vininha@vininha.com

Site: www.animalivre.com.br

  
  

Publicado por em