Brasil realiza o primeiro leilão de energia eólica

Os empreendimentos que ofertarem os maiores deságios sobre o preço inicial assinarão contratos de compra e venda de energia com 20 anos de duração, válidos a partir de 1° de julho de 2012.

  
  

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) realiza, nesta segunda-feira (14), em São Paulo, na Câmara de Comercialização de Energia Elétrica, o primeiro leilão de reserva de energia eólica do país. De acordo com a Aneel, estão habilitados para o leilão 339 projetos de geração eólica. A habilitação foi feita pela Empresa de Pesquisa Energética (EPE).

Os 339 projetos totalizam capacidade instalada de 10.005 MW, o que corresponde a uma vez e meia a potência total do complexo hidrelétrico do Rio Madeira, em Rondônia, formado pelas usinas de Jirau (3.300 MW) e Santo Antônio (3.150 MW).

Os projetos, na sua maioria (213), estão localizados nos estados do Ceará e do Rio Grande do Norte, na região nordeste do Brasil, e somam potência instalada de 6.144 MW habilitados.

O leilão será realizado na modalidade de reserva, com contratação de um volume de energia além do que seria necessário para atender à demanda do mercado total do país.

Segundo a EPE, os empreendimentos que ofertarem os maiores deságios sobre o preço inicial assinarão contratos de compra e venda de energia com 20 anos de duração, válidos a partir de 1° de julho de 2012.

O preço mínimo definido pelo governo é de R$ 189 o MWh e a energia será adquirida pela Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), associação dos agentes do setor elétrico, que repassará o custo às distribuidoras. Vence a licitação a empresa que apresentar proposta com o maior deságio.

Embora o valor de R$ 189 por MWh seja bastante superior ao da energia de geração hídrica, que é, por exemplo, de R$ 71,4, para a hidrelétrica de Jirau, no rio Madeira, várias empresas do setor elétrico consideram-no baixo.

Fonte: Portugal Digital

  
  

Publicado por em