Formandos da FEI criam projetos de geração de energia elétrica a partir de fontes alternativas

O projeto Poseidon produz eletricidade com o movimento das ondas marítimas capaz de alimentar geladeira, lâmpadas, ventilador e aparelho de televisão.

  
  

Estudantes do Centro Universitário da FEI (Fundação Educacional Inaciana) desenvolveram dois projetos de formatura com foco na geração de energia elétrica a partir de fontes alternativas.

O projeto Poseidon produz eletricidade com o movimento das ondas marítimas capaz de alimentar geladeira, lâmpadas, ventilador e aparelho de televisão.

Já o projeto Lombada Geradora de Energia é um obstáculo que, colocado no solo, aproveita a energia dos automóveis em movimento para geração de energia elétrica.

Essas são algumas das 10 inovações que serão apresentadas na 29ª ExpoMecPlena, mostra de projetos de formatura dos alunos do curso de Engenharia Mecânica Plena da FEI.

A exposição aconteceu no dia 16 de dezembro, a partir das 19h, no Ginásio de Esportes do campus São Bernardo (Avenida Humberto de Alencar Castelo Branco, 3.972, bairro Assunção).

O projeto Poseidon consiste num equipamento capaz de obter energia elétrica a partir do movimento das ondas marítimas. O sistema é composto por braço mecânico, de 20 a 30 metros de comprimento, acoplado a uma boia, em alto mar e responsável pela captação dos movimentos vertical e horizontal das ondas.

O sistema possui dois pistões hidráulicos que jogam fluido para a geração da turbina e da energia elétrica, armazenada em baterias de veículos. São gerados cerca de 235 watts, suficientes para alimentar quatro lâmpadas, um aparelho de televisão, uma geladeira e um ventilador. As baterias levam cerca de cinco horas para serem carregadas e garantem autonomia de 19 horas.

Outro trabalho dos formandos é a Lombada Geradora de Energia ou LGE . É uma estrutura metálica, que capta a energia cinética dos automóveis em movimento, para geração de eletricidade. A lombada inteligente pode substituir os obstáculos convencionais, como valetas, lombadas e tartarugas, pois também oferece resistência à passagem dos veículos e pode ser instalado em locais de forte fluxo de veículos. A energia gerada pode ser usada para alimentar semáforos, painéis de LED e iluminação das vias.

Forno a vácuo:

Para preservar as propriedades nutritivas dos alimentos, perdidas em preparações com temperaturas muito elevadas, os estudantes da FEI também criaram um forno com opção de cozimento em baixas temperaturas e pressões (a vácuo).

O projeto, chamado Saturamini, é uma adaptação de forno elétrico funcional, com capacidade para quatro panelas e funções de preparar ou cozinhar alimentos a vácuo.

Segundo os estudantes, existe equipamento similar, mas produzido na Espanha, que custa cerca de R$ 26 mil. A ideia é oferecer um equipamento de cocção a baixa pressão, que atenda ao mercado nacional, com melhor custo. Confira outros projetos :

Aerobarco

A proposta do projeto Cygnus é a Engenharia Básica de um airboat ou aerobarco, também denominado de Pantaneira, para a realização de resgates em regiões alagadas em geral ou margens de lagoas, represas e rios. A embarcação tem capacidade para cinco ocupantes e também pode ser usada para salvamento em acidentes nas marginais dos rios Pinheiros e Tietê, com acesso rápido pela via fluvial.

Incinerador de lixo hospitalar

O projeto H-Pyro é um incinerador de lixo hospitalar alimentado por combustível gasoso, com duas câmaras de combustão, e com o aproveitamento dos gases de exaustão para a realização de processo de co-geração de energia.

Veículo blindado

O Armadillo é um projeto de veículo blindado para uso em situações que oferecem risco ao patrimônio e que requer ações da polícia. É um veículo compacto, controlado remotamente, com capacidade para enfrentar obstáculos e entrar em locais estreitos. É equipado com jato de água e sistema de disparo de gás para dispersão.

Máquina de triturar pneus

Pensando nos aspectos econômico e ambiental, os formandos criaram o projeto Frac Tire, máquina de triturar pneus. A proposta é tornar viável a utilização do produto como matéria-prima para outros segmentos.

Sistema de climatização

O projeto Geostufa aproveita a baixa variação da temperatura do solo, independente da época do ano, por meio de bomba de calor. Este sistema tem como diferencial fazer esta troca de temperatura no condensador (resfriamento) ou no evaporador (aquecimento). Além de poder ser aplicado em regiões urbanas (hospitais, condomínios e shoppings), o sistema também pode ser usado para controlar a temperatura em zonas rurais (granjas, cultivo de flores e vegetais).

Colheitadeira de cana-de-açúcar

O projeto Motor Cane é de uma colheitadeira de cana compacta para pequenos e médios produtores. A ideia é reduzir a quantidade de mão de obra direta aplicada e os profissionais serem direcionados para outros segmentos.

Dispositivo de fadiga de contato

O projeto Contact é um equipamento para quantificar e qualificar o comportamento típico de diferentes materiais. A proposta do grupo é se aprofundar num tipo de ensaio pouco realizado por falta de equipamentos adequados: a fadiga de contato. A fadiga é um processo de dano irreversível de materiais que ocorre devido a tensões mecânicas.

Visite: www.revistaecotour.com.br

Fonte: Maria do Socorro Diogo

  
  

Publicado por em