Projeto da USP analisa uso de óleos vegaetais em geradores convencionais de energia no Ceará

O segundo semestre é aguardado com ansiedade pelos pesquisadores do Cenbio - Centro Nacional de Referência em Biomassa, instituição de pesquisa ligada ao IEE - Instituto de Eletrotécnica e Energia da USP - Universidade de São Paulo, e por uma pequena comu

  
  

O segundo semestre é aguardado com ansiedade pelos pesquisadores do Cenbio - Centro Nacional de Referência em Biomassa, instituição de pesquisa ligada ao IEE - Instituto de Eletrotécnica e Energia da USP - Universidade de São Paulo, e por uma pequena comunidade do município de Quixeramobim, no Ceará.

A Fazenda Normal, localizada a aproximadamente 211 quilômetros de Fortaleza, foi escolhida como a sede do projeto. Se a teoria der certo na prática, o projeto Geração de Energia Elétrica a partir de Óleos Vegetais em Comunidades Isoladas no Estado do Ceará deverá levar luz ao interior do Nordeste a partir da mamona.

De acordo com o IEE, como a carência por energia elétrica na região é alta, os pesquisadores analisaram que óleo vegetal poderia ser o mais indicado para a região. A mamona se destacou por mostrar maior resistência ao semi-árido brasileiro.

Para garantir a produção de mamona que alimentará os geradores serão plantados até 200 hectares na região. Haverá ainda a instalação de uma microusina para a extração do óleo.

A produção obtida em solo cearense terá dois destinos, segundo o projeto elaborado pelo Cenbio. Metade será usada in natura e a outra parte será misturada ao álcool, para a formação de uma das formas de biodiesel.

O produto in natura não poderá ser utilizado em geradores tradicionais sem a adaptação de um kit ao equipamento. Por ser muito viscoso, a pasta extraída da mamona tem que ser aquecida antes de ser usada na engrenagem do motor. O projeto prevê a utilização dos dois sistemas no Ceará.

Quando entrarem em funcionamento, no segundo semestre, os técnicos vão analisar o desempenho e a viabilidade de cada um para definir qual é mais indicado para as condições da cidade de Quixeramobim.

Dados do IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística mostram que atualmente existem no Brasil 12 milhões de pessoas sem acesso à energia elétrica. Desse universo, 9,5 milhões estão no Norte e Nordeste. A maioria, 88%, vive na zona rural.

Fonte: Agência Fapesp


  
  

Publicado por em