Tomate resistente desenvolvido em Israel é adaptado ao clima brasileiro

De acordo com informações da Embrapa Hortaliças, a produção brasileira de tomates nos últimos 25 anos cresceu 122%, passando de 1,53 milhão de toneladas (1980) para 3,42 milhões de toneladas (2004). A atividade é importante, representando 22% de toda

  
  

De acordo com informações da Embrapa Hortaliças, a produção brasileira de tomates nos últimos 25 anos cresceu 122%, passando de 1,53 milhão de toneladas (1980) para 3,42 milhões de toneladas (2004).

A atividade é importante, representando 22% de toda produção de hortaliças do País, hoje estimada em 16 milhões de toneladas. No período, o tomate teve aumento de 92% na produtividade média, passando de 30,64 t/ha para impressionantes 59,1 t/ha.

Esses números indicam que o produtor está cada vez mais tecnificado e busca novidades tecnológicas para melhorar ainda mais a produtividade.

A Agristar do Brasil, empresa brasileira, líder em sementes para horticultura, também faz a sua parte e disponibiliza variedades de tomate voltadas para o aumento da produção e, conseqüentemente, maior lucro dos produtores.

Um exemplo é o Tomate Giovanna F1, desenvolvido em Israel pela Zeraim Gedera e adaptado às condições tropicais pela Agristar.

Essa variedade apresenta frutos uniformes, enfolhamento que proporciona boa proteção dos frutos, pencas de floração definidas, frutos de tamanho médio 8cm x 6cm, peso médio de 220 gramas e destaque na coloração.

“Fizemos muitos testes no Brasil com essa variedade, que se mostrou extremamente bem adaptada a todas as regiões produtoras. O Giovanna F1 é bastante tolerante a doenças bacterianas, como cancro bacteriano e Xanthomonas, e doenças fúngicas, como a requeima”, explica Fernando Aranda, especialista da Agristar.

Outro diferencial produtivo interessante é a durabilidade dos frutos. O Giovanna F1 tem como característica maior duração após a colheita e manutenção do sabor por mais tempo.

“Há duas décadas, o agricultor tinha menos de uma semana para colher e comercializar o tomate sob pena de o produto perder consistência e sabor. Com o intenso trabalho de melhoramento genético, desenvolvemos linhagens que agregam pós-colheita mais longa com a manutenção do sabor: frutos que duram até 15 dias em perfeitas condições e mantêm o sabor desejado pelo consumidor”, explica Fernando Aranda, exemplificando recente embarque de tomates Giovanna F1 de Caçador (SC) para Manaus (AM).

“A viagem demorou cerca de 10 dias e os frutos chegaram aos atacadistas amazonenses em perfeito estado e com excelente qualidade”, conclui.

Por ter todas essas características, o Giovanna F1 é uma das variedades de tomates híbridos mais competitivos do mercado.

“É a variedade que apresenta maior classificação AA – que traz maior rentabilidade ao produtor. Isso garante grande aceitação também entre os atacadistas. E isso é transformado em maior rentabilidade”, afirma Aranda.

Fonte: Texto Assessoria

  
  

Publicado por em

Carlos Eduardo P. L. Graziano

Carlos Eduardo P. L. Graziano

17/02/2009 14:18:51
gostaria de mais informações tecnicas sobre este Giovana F1, e tambem onde comprar. Obrigado

Equipe EcoViagem

Equipe EcoViagem

Olá Carlos, O Portal EcoViagem é um veículo de comunicação ao qual não tem vínculo com as empresas anunciantes. Para obter as informações necessárias, contate diretamente a empresa anunciante. Agradecemos seu contato. Portal EcoViagem
Luis Alfredo Slusarz

Luis Alfredo Slusarz

01/12/2008 19:09:47
muito me interessa esta variedade de Tomate, o Giovanna F1, justamente porque faço a produção agroecológica, orgânica, o que requer variedades ou hibridos com maior resistência às doenças. Preciso de maiores informações, inclusive como conseguir a semente. Sou de Palmeira, Estado do Paraná, estou a 85 Km da Capital. Em janeiro pretendo abrir uma loja para vender alimentos e insumos, inclusive sementes, para a produção orgânica. Me ajudem.