Tráfico da fauna silvestre no Brasil corresponde a 10% do tráfico mundial

No Brasil, ainda predominam o desrespeito e a crueldade no tratamento dispensado aos animais, até mesmo no ambiente doméstico.O desrespeito aos animais é um dos temas da revista Família Cristã de janeiro. O tráfico da fauna silvestre, principalmente n

  
  

No Brasil, ainda predominam o desrespeito e a crueldade no tratamento dispensado aos animais, até mesmo no ambiente doméstico.O desrespeito aos animais é um dos temas da revista Família Cristã de janeiro.

O tráfico da fauna silvestre, principalmente no Brasil, responde por 10% do tráfico mundial. Anualmente, os traficantes nacionais movimentam 2 bilhões de dólares, retirando 38 milhões de animais de seu hábitat.

Essa prática ilícita também faz outras vítimas: as pessoas humildes que capturam esses animais para sobreviver.

Animais são capturados em áreas de grande biodiversidade, como o Pantanal, a Floresta Amazônica e a Mata Atlântica, para serem espalhados pelo país e pelo mundo. Sabe-se que 60% dos bichos ficam aqui e 40% são levados para vários países da Europa, Estados Unidos, Japão, China e Cingapura.

Os destinos são diversos: pet-shops, colecionadores particulares que usam os animais como troféus, pesquisas ilegais e até a indústria de artesanato e medicina popular.

Estimativas do CCZ (Centro de Controle de Zoonoses) de São Paulo (SP) indicam que 42% das famílias paulistanas têm cachorro ou gato. Nem todas, porém, estão dispostas a tratar esses bichinhos amigavelmente. Leis e princípios condenando tais práticas até existem, como mostra a Declaração Universal dos Direitos dos Animais, da Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura), aprovada em 1978. As entidades de proteção, porém, lutam para que saiam do papel.

Prender o animal com corrente curta e deixá-lo sob sol ou chuva, deixar a vasilha com a mesma comida o dia inteiro ou não levar o cão para passear também, são formas de lhe impor sofrimento que podem provocar doenças e neuroses.

O abandono de um animal também é crueldade. No
entanto, é comum que as crias sejam largadas nas ruas e nem sempre os abrigos são a melhor saída para os animais abandonados. Muitos desses locais vivem superlotados e acabam recusando novos hóspedes.

Essas dificuldades não indicam porém, que novos caminhos não tenham sido tentados. Os movimentos de proteção aos animais, por exemplo, estão centralizando suas ações em duas soluções que prometem bons resultados a longo prazo: a proibição de animais em circo (número de circos brasileiros que utilizam animais não ultrapassa 500, mas esse número já chegou a 3.500), a posse responsável e a esterilização.

Em São Paulo, a iniciativa conta com a parceria do CCZ, responsável pela captura diária de 60 cães,principalmente na periferia de São Paulo. De 2001 até outubro de 2004, foram esterilizados 74 mil cães e gatos, entre machos e fêmeas, um número ainda considerado baixo para a grande demanda.

Família Cristã

Editada pelo Grupo Revistas da Paulinas Editora, Família Cristã acompanha a história do País desde de dezembro de 1934, com uma ótica muito singular. Com 82 páginas, tem 250 mil leitores e traz, em seu conteúdo, reportagens sobre cidadania, política, bioética, terceiro setor, comportamento, saúde
e espiritualidade, entre outros temas.

Fonte: Core Comunicação

  
  

Publicado por em