V Congresso Brasileiro de Sistemas Agroflorestais tem mais de 200 trabalhos inscritos

A preocupação com o meio ambiente, bem como o desenvolvimento de sistemas produtivos sustentáveis, que levem em conta produtividade biológica, aliado a aspectos sócio-econômicos e ambientais, estão cada vez mais em alta no cenário mundial. Com isso, pe

  
  

A preocupação com o meio ambiente, bem como o desenvolvimento de sistemas produtivos sustentáveis, que levem em conta produtividade biológica, aliado a aspectos sócio-econômicos e ambientais, estão cada vez mais em alta no cenário mundial.

Com isso, percebe-se uma conscientização da importância dos valores ambientais, econômicos e sociais das áreas florestais, proporcionando mudanças significativas e o surgimento de novas propostas para a utilização de novos sistemas de produção.

Diante destes fatos, os Sistemas Agroflorestais (SAFs) constituem-se em alternativas para aumentar os níveis de produção agrícola, animal e florestal.

Nessa perspectiva, a discussão do tema se torna mais do que necessária, e a cidade de Curitiba, no Paraná, foi escolhida para sediar o V Congresso Brasileiro de Sistemas Agroflorestais, entre os dias 25 e 28 de outubro.

Nesta edição, a Embrapa Florestas, Unidade da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária – Embrapa, vinculada ao Ministério da Agricultura,Pecuária e Abastecimento, e a Sociedade Brasileira de Sistemas Agroflorestais, em parceria com outras instituições, promovem o evento.

O último encontro, realizado em 2002, em Ilhéus/BA, contou com 467 inscritos entre profissionais, estudantes, produtores e empresários. Agora, em 2004, são esperados mais de 500 participantes.

O tema deste ano é “SAFs: desenvolvimento com proteção ambiental” e serão abordados os aspectos relacionados ao uso da terra com Sistemas Agroflorestais, bem como o seu papel no desenvolvimento brasileiro, no manejo da biodiversidade, na composição da paisagem e no sustento da vida.

Desde o início da década de 90, várias pesquisas foram desenvolvidas em módulos experimentais ou produtos isolados. Mesmo com avanços proporcionados por diferentes grupos de pesquisa e desenvolvimento, os SAFs ainda necessitam de maior discussão sobre os benefícios da adoção, enfocando os aspectos da
biodiversidade, dos serviços ambientais e dos aspectos sócio-econômicos.

Neste ano, o evento, que reunirá especialistas com notório conhecimento sobre o tema, recebeu a inscrição de 216 trabalhos, enviados por profissionais e estudiosos do Brasil, Colômbia, Cuba, Peru, entre outros.

A seleção dos trabalhos foi realizada segundo critérios de adequação ao tema central do Congresso e das áreas temáticas, assim como sua relevância e atualidade.
No final das análises, apenas 24 trabalhos não foram aprovados, o que representa 11% dos inscritos.

No total, 192 trabalhos foram selecionados e as diversas abordagens sobre o tema serão realizadas por meio de conferências, mesas redondas, trabalhos voluntários e de pôsteres. Durante os quatro dias de discussões, os temas estarão divididos nas seguintes áreas temáticas: Inovações de P&D, de ensino e extensão em SAFs; Desenvolvimento de sistemas integrados de produção;
Impactos sociais e econômicos de SAFs; SAFs e serviços ambientais; Política e economia de SAFs.

O V Congresso Brasileiro de Sistemas Agroflorestais tem como principais objetivos:

· dar continuidade aos encontros técnico-científicos sobre os Sistemas Agroflorestais no Brasil;

· proporcionar a troca de informações sobre Sistemas Agroflorestais entre pesquisadores, extensionistas, produtores e agentes ligados a políticas públicas;

· apresentar e discutir os avanços efetuados pela pesquisa, as experiências de campo e os trabalhos técnico-científicos;

· oportunizar a divulgação e o debate das iniciativas e experiências dos diferentes segmentos produtivos;

· avaliar a organização empresarial na estratégia do agronegócio de produtos agroflorestais.

SAFs: desenvolvimento com proteção ambiental

Desde o final da década de 80, os problemas ligados à degradação dos recursos naturais se acentuaram. Nesse cenário, o processo de produção agrícola, que em alguns casos propiciou o desmatamento da cobertura florestal através de derrubadas e queimadas, começou a exigir a adoção de sistemas alternativos de produção.

Com isso, surgiram propostas de racionalização do uso do solo. Dentre elas, destacam-se os Sistemas Agroflorestais – SAFs. Uma opção que combina benefícios produtivos, econômicos, sociais e ambientais.

Os SAFs referem-se às formas de uso da terra onde árvores e arbustos são cultivados junto a cultivos agrícolas, pastagens e/ou animais, visando múltiplos propósitos, e são uma opção viável de manejo sustentado da terra e aumento de produção agrícola, animal e florestal nas propriedades rurais.

Além disso, os projetos agroflorestais são uma alternativa para a oferta simultânea de madeira, alimentos e outros bens e produtos.

Os SAFs apresentam várias vantagens, frente a sistemas de monocultivos, tais como: utilização mais eficiente do espaço, redução efetiva da erosão, sustentabilidade da produção e estímulo a economias de produção com base participativa. Dado ao caráter de múltiplo propósito das árvores, com os SAFs se pode aproveitar as vantagens dos diferentes estratos da vegetação para diversificação da produção, do uso da terra, da utilização da mão-de-obra e da renda, agregação de valor econômico e a produção de serviços ambientais.

A utilização dos SAFs também ajuda a diminuir os custos de implantação e manutenção de áreas florestais, assim como garantem condições adequadas para o desenvolvimento das lavouras e o suprimento de madeiras para diversos fins.

Soma-se a isso, o plantio de árvores em lavouras e pastagens constitui uma forma de reposição, embora pequena, da cobertura florestal destruída pelo avanço da fronteira agrícola.

Assim, os sistemas agroflorestais, em suas diferentes modalidades – sistemas silviagrícolas, silvipastoris e agrossilvipastoris – caracterizam-se como alternativas ambientalmente corretas, economicamente atrativas e socialmente interessantes.

Programa do V Congresso Brasileiro de Sistemas Agroflorestais
25 a 28 de outubro de 2004/ Curitiba, Paraná

Tema:
SAFs: Desenvolvimento com Proteção Ambiental

Promoção:
Embrapa Florestas
Sociedade Brasileira de Sistemas Agroflorestais

Segunda-feira, 25 de outubro

14h00-18h00 - Inscrições e credenciamento dos participantes

19h30-20h00 - SESSÃO DE ABERTURA
Local: Auditório do Teatro Universitário - TUCA

20h00-21h00 - Conferência de Abertura

Tema: Os SAFs como estratégia de desenvolvimento sustentável Conferencista: Representante do Ministério do Meio Ambiente

21h00 - Coquetel

Terça-feira, 26 de outubro

08h00-09h30 - Inscrições e credenciamento dos participantes

09h30-10h15 - 1ª Conferência - Auditório do Teatro Universitário (TUCA)

Tema: SAFs e o desafio de compatibilizar os papéis de produtividade, proteção ambiental e justiça social
Conferencista: Herbert Cavalcanti de Lima - Diretor da Embrapa

10h15-10h30 – Coffee break

10h30-12h00 - 1º Painel - Auditório do Teatro Universitário (TUCA)

Tema: Políticas públicas para o desenvolvimento dos SAFs no Brasil
- Perspectivas do Ministério do Meio Ambiente
Painelista: Tasso Rezende de Azevedo
- Perspectivas do Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento
Painelista: Everaldo Anunciação Farias
- Perspectivas do Ministério do Desenvolvimento Agrário
Painelista: João Marcelo Intini

12h00-14h00 - Intervalo para almoço

13h00-14h00 - Sessão de apresentação de pôsteres
Local: Saguão principal da PUC

14h00-15h30 - 2º Painel - Auditório do Teatro Universitário – TUCA

Tema: SAFs e interfaces legais para implantação e exploração
Painelista: Jean Dubois - REBRAF
Painelista: Allan Ribeiro Abreu - IBAMA
Painelista: Muriel Saragoussi - Secretaria de Coordenação da Amazônia - MMA

15h30-15h45 - Coffee break

15h45-19h00 - Apresentação de trabalhos voluntários

Quarta-feira, 27 de outubro

08h30- 09h15 - 2ª Conferência - Auditório do Teatro Universitário – TUCA

Tema: SAFs e segurança alimentar em propriedades rurais Conferencista: Valter Bianchini - Secretário Nacional da Agricultura Familiar

09h15-12h00 - 3º Painel - Auditório do Teatro Universitário – TUCA

Tema: Produção, certificação e comercialização de produtos de SAFs

- Organização da produção e da comercialização de produtos de SAFs
Painelista: Alfredo Homma – Embrapa Amazônia Ocidental
- Qualidade da produção e agregação de valor aos produtos dos SAFs
Painelista: Amilton João Baggio - Embrapa Florestas

10h15-10h30 – Coffee break

10h30-12h00 - Certificação de produtos agroflorestais
Painelista: Pedro Jovchelevich – IBD Instituto Biodinâmico
Painelista: Paulo Henrique Mayer – ECOVIDA
Painelista: Eduardo Trevisan Gonçalves – IMAFLORA

12h00-14h00 – Intervalo para almoço

13h00-14h00 - Sessão de apresentação de pôsteres
Local: Saguão principal da PUC

14h00-15h30 - 4º Painel - Auditório do Teatro Universitário – TUCA

Tema: Monitoramento e avaliação de aspectos biofísicos e socioeconômicos de SAFs

- Indicadores biofísicos de SAFs
Painelista: Paulo Caramori - Iapar
- Indicadores sociais, econômicos e ambientais de SAFs
Painelista: Geraldo Stachetti Rodrigues – Embrapa Meio Ambiente
- Avaliação da sustentabilidade em SAFs
Painelista: Saulo Barbosa Lopes – Fundação Zoobotânica do Rio Grande do Sul

14h00-19h00 - Oficina – Auditório Carlos Ferreira da Costa

Tema: Os SAFs nas universidades: inserção curricular
Coordenadora: Acadêmica Evelin Branco Loureiro - UFPR/GEAE

15h30-15h45 - Intervalo

15h45-19h00 - Apresentação de trabalhos voluntários

Quinta-feira, 28 de outubro

08h30-09h15 - 3ª Conferência - Auditório do Teatro Universitário – TUCA

Tema: Serviços ambientais e processos decisórios em SAFs

Conferencista: Guilherme dos Santos Floriani - Coordenador Executivo do Instituto Peretê para o Desenvolvimento - Lages/SC.

09h15-12h00 - 5º Painel - Auditório do Teatro Universitário – TUCA

Tema: SAFs, serviços ambientais e valoração do conhecimento

- A experiência do Proambiente
Painelista: Luciano Mansur de Mattos - MMA
- Conhecimento local nativo sobre o manejo dos recursos naturais e seus aportes ao conhecimento científico
Painelista: Julio Alegre - Universidad Nacional Agraria La Molina - Peru

10h15-10h30 – Coffee break

- SAFs e biodiversidade: o uso em áreas protegidas
Painelista: Paulo Yoshio Kageyama - MMA
- SAFs e carbono: a experiência nas Américas
Painelista: Fernando C. Veiga Neto - The Nature Conservancy
- Valoração do conhecimento das populações tradicionais
Painelista: Carlos Frederico Marés de Souza Filho - BRDE

12h00-14h00 – Intervalo para almoço

14h00-16h00 - 6º Painel - Auditório do Teatro Universitário – TUCA

Tema: SAFs e aporte ao desenvolvimento regional

- SAFs com cacaueiro no Norte, Nordeste e Sudeste brasileiros
Painelista: Uilson Lopes - Ceplac/Cepec
- SAFs na Zona da Mata
Painelista: Irene Maria Cardoso - Centro de Tecnologias Alternativas da Zona da Mata - CTA
- Sistemas silvipastoris no noroeste do Estado do Paraná
Painelista: Anísio Menarim Filho – Emater-PR

16h00-16h15 - Intervalo

16h15-18h30 – Conclusões
Coordenação: Ivan Crespo Silva – Ceplac / UFPR

18h30 - SESSÃO OFICIAL DE ENCERRAMENTO
Local: Auditório do Teatro Universitário – TUCA

Sexta-feira, 29 de outubro

08h00-18h00 - Visita técnica - participação opcional, vagas limitadas

Núcleo Ambiental de Educação Ambiental da Reserva de Cachoeira, em Antonina, litoral do Paraná.

Sociedade de Pesquisa em Vida Selvagem e Educação Ambiental-SPVS

Local do Congresso:
Pontifícia Universidade Católica do Paraná - PUC/PR
Endereço: Rua Imaculada Conceição, 1155 - Prado Velho
CEP 80.215-901 - Curitiba, Paraná

Fonte: Assessoria de Comunicação - VCBSAF

Atenção: Este e-mail faz parte do mailing de divulgação da Área de Comunicação e Negócios da Embrapa Florestas,
Unidade da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária – Embrapa, vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e
Abastecimento. Caso não queria mais receber informações e divulgações da Embrapa Florestas, favor responder este e-mail
com o Assunto: Remover.
Obrigado.

Embrapa Florestas
Área de Comunicação e Negócios.

  
  

Publicado por em