Vírus da Sars pode ter vindo de animal selvagem, diz cientista

Um importante cientista de Hong Kong disse que o vírus da Síndrome Respiratória Aguda Grave (Sars) pode ter chegado aos seres humanos por meio do consumo de carne de civeta, um animal selvagem considerado uma iguaria no sul da China. A descoberta pode

  
  

Um importante cientista de Hong Kong disse que o vírus da Síndrome Respiratória Aguda Grave (Sars) pode ter chegado aos seres humanos por meio do consumo de carne de civeta, um animal selvagem considerado uma iguaria no sul da China.

A descoberta pode ajudar a evitar que uma nova epidemia do tipo aconteça no futuro, disse Yuen Kwok-yung, chefe do Departamento de Microbiologia da Universidade de Hong Kong.

`Por meio de dados genéticos, descobrimos ser bastante provável que o vírus passou da civeta para os seres humanos`, declarou Yuen ao divulgar os resultados de pesquisas iniciadas há um mês por cientistas de Hong Kong e da China continental em busca da origem do vírus da Sars.

A civeta, também chamada de gato-de-algália, pertence a um grande grupo de mamíferos, em sua maior parte noturnos. De acordo com a Enciclopédia Columbia, as civetas não são gatos de verdade e sim relacionadas à família dos gatos.

Os moradores do sul do território chinês costumam comer animais selvagens, entre os quais a civeta, cobras e tartarugas.

Segundo Yuen, a civeta apresentava uma grande quantidade do vírus da síndrome em suas excreções e no aparelho respiratório.O animal, porém, era imune a ele.

No entanto, qualquer um que criasse ou que matasse a civeta corria o risco de ser contaminado se tivesse contato com as fezes ou o sistema respiratório dele. O animal é encontrado na África e na Ásia.

`Se alguém toca uma superfície contaminada com o vírus e depois toca uma membrana mucosa sua, há grandes chances de haver a contaminação`, explicou.

Apesar de a venda e o consumo de espécies ameaçadas ser ilegal na China, as autoridades toleram há muito tempo essa prática. Esses animais podem ser encontrados em vários mercados do sul do país.

Os primeiros casos da Sars apareceram na região, em novembro, e se espalharam pelo mundo a partir de março, contaminando 8.113 pessoas e matando, até agora, 688.

Segundo Yuen, os cientistas isolaram quatro amostras de vírus das fezes e das secreções respiratórias da civeta e eles eram `muito semelhantes` ao vírus encontrado em doentes da Sars.

Fonte: Reuters

  
  

Publicado por em