2° Torneio Fort Dodge de Mergulho Canino acontecerá em Goiânia

Evento acontece no próximo domingo em Goiânia, com o número estimado de 100 cães, de duas raças diferentes e a inauguração da primeira piscina específica da modalidade A Fort Dodge Saúde Animal, uma das maiores indústrias veterinárias do mundo, apóia p

  
  

Evento acontece no próximo domingo em Goiânia, com o número estimado de 100 cães, de duas raças diferentes e a inauguração da primeira piscina específica da modalidade

A Fort Dodge Saúde Animal, uma das maiores indústrias veterinárias do mundo, apóia pelo segundo ano consecutivo, o Torneio Fort Dodge de Mergulho Canino e Estrutura. Com o número estimado em 100 cães das raças Pit Bull e Labrador participarão do 2o Torneio Fort Dodge de Mergulho Canino e Estrutura, programado para o dia 1o de junho (domingo), na Chácara Amossara localizada na rua 52, quadra 85, lote 02, setor Condomínio das Esmeraldas em Goiânia.

O torneio é aberto aos cães das raças Pit Bull e Labrador e terá a participação de animais de várias regiões do País.Além da competição específica de mergulho, será realizada a Exposição de Estrutura e Beleza, específica para a raça American Pit Bull Terrier, que terá a presença do juiz paulista Wagmar de Souza.Esporte ainda pouco difundido, o mergulho canino consiste no esforço feito pelo cachorro para trazer determinado objeto arremessado pelo seu dono para o fundo de uma piscina. O animal que conseguir capturá-lo a uma profundidade maior e o fizer em um menor número de tentativas vence a disputa. Desempenho físico e muscular aliado à pré-disposição (interesse pelo objeto), agregados à vacinação em dia e alimentação correta e saudável são as qualificações necessárias que o animal deve ter para a prática desta modalidade.

“O mergulho canino requer muita paciência, dedicação e amor ao cão”, comenta Márcio Silvestre, idealizador e organizador do evento.

“O mergulho traz satisfação tanto para o animal, que fica calmo e com bom condicionamento físico, quanto para o dono, que pode apreciar a performance do seu animal de estimação, e para os espectadores, que se encantam com esse esporte tão sadio”, justifica Silvestre.

Pioneiro no assunto e treinador de seu próprio animal, o pitbull Coi, de 3 anos, destaque das provas de mergulho, Márcio ressalta que esse esporte é uma natação reforçada, com grau de dificuldade maior e que exige aptidão, preparo físico, equilíbrio alimentar e, principalmente, saúde respiratória controlada dos cães.

Para este ano, o Torneio Fort Dodge de Mergulho Canino traz como novidade a inauguração da primeira piscina do mundo que possui arquitetura e dimensões voltadas exclusivamente para o treinamento e o desenvolvimento do mergulho canino. Com dimensão de 10m de comprimento e 5m de largura e profundidade de 2,5m.

Fort Dodge alerta: Cuidado com a tosse dos canis

A Traqueobronquite Infecciosa Canina, conhecida como “Tosse dos Canis” ou gripe canina, que afeta diretamente o sistema respiratório dos cães, representa uma ameaça ao bom desempenho dos animais no mergulho e em outras práticas esportivas.

Empresa líder em vacinas para pequenos animais, a Fort Dodge apóia o 2o Torneio de Mergulho Canino com a finalidade de conscientizar e orientar os donos de cães quanto aos perigos provocados pela “Tosse dos Canis”.

“Causada por um complexo de agentes, entre eles os vírus Adenovirus Tipo 2 e Parainfluenza, além da bactéria Bordetella Bronchiseptica, essa doença causa crises de tosse, que acontecem normalmente após algum
esforço físico.

Com isso os animais enfrentam dificuldade respiratória e ânsia de vômito, trazendo como conseqüências falta de apetite, apatia e perda de peso, impossibilitando assim que os animais participem de apresentações e competições”, explica o médico veterinário Eduardo Viscardi, Gerente de Negócios de Pequenos Animais da Fort Dodge.

A “Tosse dos Canis” pode ser evitada com a aplicação da vacina Bronchi-Shield III. Produzida pela Fort Dodge, Bronchi-Shield III é a primeira e única vacina intranasal do mercado que combate a ação dos três principais agentes causadores da enfermidade.

A vacina deve ser aplicada a partir dos 60 dias de idade, com reforços anuais. Comum entre cães de qualquer raça ou idade, a gripe canina pode ser contraída pelo contato com cães doentes, em exposições,parques públicos, pet shops, banho e tosa e até mesmo em um simples passeio.

Fonte: Texto Assessoria de Comunicação

  
  

Publicado por em