Alan Adler, o maior adversário de Torben no Match Race Brasil

A tripulação comandada pelo velejador Alan Adler é considerada a maior adversária da equipe de Torben Grael,a atual campeã e favorita ao título, na disputa da segunda edição do Match Race Brasil, competição barco contra barco que reúne os maiores nomes da

  
  

A tripulação comandada pelo velejador Alan Adler é considerada a maior adversária da equipe de Torben Grael,a atual campeã e favorita ao título, na disputa da segunda edição do Match Race Brasil, competição barco contra barco que reúne os maiores nomes da vela brasileira.

A primeira etapa será disputada de 3 a 6 de junho, em Búzios (RJ). As outras duas etapas estão marcadas entre 16 e 19 de setembro, em Ilhabela, e entre 18 e 21 de novembro, no Rio de Janeiro.

Campeão mundial de Star e medalha de prata na J24 nos Jogos Pan-Americanos de Santo Domingo, Alan Adler contará com tripulantes experientes em sua equipe na tentativa de lutar pelo título do torneio.

O tático do barco, por exemplo, será o campeão olímpico de Laser, Robert Scheidt, que substitui Lars Grael, impedido de participar desta primeira etapa por causa
de compromissos no exterior. Outro campeão olímpico com presença garantida é Eduardo Penido, ouro na classe 470 em Moscou, em 1980, ao lado de Marcos Soares.

“As mudanças na tripulação prejudicam um pouco o entrosamento, principalmente nesta primeira etapa. Vamos começar do zero, mas com uma vantagem. Ao contrário do ano passado, quando a competição era nova para todo o mundo, agora é diferente”, comentou Alan Adler, vice-campeão em 2003. “A experiência adquirida neste tipo prova é importante.”

Maior adversário de Torben no Match Race Brasil e na disputa pré-olímpica de Star (é o primeiro reserva para Atenas na classe), Adler é amigo do atual campeão. Tanto assim que vai ser o técnico da dupla Torben e Marcelo Ferreira na Grécia.

Ele vai duas semanas antes do início dos Jogos para Atenas para treinar com o ganhador de quatro medalhas olímpicas durante o período de aclimatação.

“Vamos fazer testes de velocidade, analisar as condições de vento e de correnteza na raia oficial. São observações importantes para a disputa da Olimpíada”, disse o velejador, que é também diretor da Vela Brasil, empresa de
marketing esportivo criada com o propósito de desenvolver profissionalmente o iatismo e organizadora do Match Race Brasil.

Assim como em 2003, as regatas deste ano serão disputadas em quatro Bénéteau 40.7, rigorosamente iguais, que serão sorteados aos participantes. A competição terá algumas novidades, entre elas a participação de duas tripulações estrangeiras, a disputa da Copa Feminina e de uma regata Pro-Am.

O torneio reunirá oito tripulações, que vão brigar pelos R$ 40 mil em prêmios por etapa (serão R$ 120 mil no total). Em Búzios, as regatas classificatórias, semifinais e finais serão disputadas em frente ao Iate Clube, na Praia dos Ossos.

O Match Race Brasil é uma realização da Vela Brasil, com supervisão da Federação Brasileira de Vela e Motor (FBVM) e apoio da Prefeitura Municipal de Búzios e do Iate Clube Armação dos Búzios. O patrocínio é da Vivo, Motorola, UBS, Varig, Braskem e Volvo.

Fonte: ZDL de Comunicação

  
  

Publicado por em