Alem Rayes venceu a IV Copa América de Ciclismo

O uruguaio Alem Rayes venceu neste domingo pela manhã a IV Copa América de Ciclismo, disputada no circuito de 4.300 metros do Autódromo Internacional José Carlos Pace, em Interlagos. Ele completou os 34,4 quilômetros da prova em 45min40, com média de 45,1

  
  

O uruguaio Alem Rayes venceu neste domingo pela manhã a IV Copa América de Ciclismo, disputada no circuito de 4.300 metros do Autódromo Internacional José Carlos Pace, em Interlagos. Ele completou os 34,4 quilômetros da prova em 45min40, com média de 45,197 km/h.

O argentino Edy Cisneros foi o vice-campeão, seguido do paulista Armando Camargo, da equipe SAP/São Lucas/Mônaco, de Americana, o brasileiro mais bem colocado.

Alem Rayes, de 24 anos, comemorou bastante a vitória, a primeira no Brasil. Ele havia chegado muito perto do primeiro lugar no pódio na Copa da República de 2002, no Rio de Janeiro, quando foi ultrapassado na linha de chegada por Rodrigo de Melo Brito, o Morcegão, que foi o vencedor.

“Fiquei muito feliz pelo resultado porque mostra que meu treinamento está sendo bem feito”, disse o atleta, que também disputa a Volta Internacional do Estado de São Paulo como preparação para as etapas da Copa do Mundo,na Europa. “O nosso objetivo inicial é garantir vaga na Olimpíada para o Uruguai. Depois vamos lutar para ver quem representa nosso país na Grécia.”

Rayes elogiou o bom trabalho de sua equipe, que o colocou em condições de garantir a vitória no sprint.“Me poupei durante as voltas iniciais e guardei energia para a chegada. A estratégia de nossa equipe foi bem feita e deu certo.” Seu compatriota, Milton Wynants, medalha de prata na olimpíada em Sydney e ganhador de dois ouros no Pan de Santo Domingo, não veio ao Brasil para a competição.

O argentino Edy Cisneros, ao contrário de Rayes, esteve muitas vezes na frente do pelotão, cruzando em primeiro lugar no final da primeira e da quarta voltas.

“O segundo lugar foi muito bom. A prova foi muito dura e rápida, o que valorizou ainda mais o resultado”, comentou.

Armando Camargo, integrante da equipe brasileira na disputa dos Jogos Pan-Americanos de Santo Domingo, na República Dominicana, também não escondeu sua alegria pela colocação, embora torcesse por uma vitória brasileira.

“Claro que gostaria que o Brasil vencesse, mas estou feliz pelo meu resultado e pelo trabalho de minha equipe. Graças ao grupo, pude chegar bem no sprint e brigar por um lugar no pódio”, observou o ciclista, especialista em provas de velocidade, o único brasileiro entre os cinco melhores da prova.

Com 21 anos, Armando Camargo, chamado pelos amigos de Piá, espera brigar agora na Volta de São Paulo pelos prêmios de meta volante.

“Treinamos bastante e alcançamos o primeiro objetivo”, afirmou.“Vamos continuar a luta durante todas as etapas da Volta.”

A IV Copa América teve oito voltas no circuito do autódromo e foi disputada sob sol e calor de 28 graus. O catarinense Márcio May, líder do ranking brasileiro, tentou uma fuga na sexta volta e chegou a abrir boa vantagem, mas foi alcançado pelo pelotão principal.

A classificação da elite masculina foi a seguinte: 1º Alem Rayes (Uruguai), 45min40; 2º Edy Cisneros(Argentina), mesmo tempo; 3º Armando Camargo (SAP/São Lucas/ Mônaco/ Americana), mesmo tempo; 4ºRodrigo Mendieta (argentino da equipe São Bernardo), mesmo tempo; 5º Alejandro Borrajo (Argentina),mesmo tempo; 6º Antonio Nascimento(Memorial/ Santos), mesmo tempo; 7º Jean Carlos Coloca (Scott/Fadenp/São José dos Campos), mesmo tempo; 8º Fábio Bensi (Vimoto/Rio de Janeiro), mesmo tempo; 9º Emile Abrahom (Toshiba/ Estados Unidos), mesmo tempo; e 10º Raimundo Carvalho (Genes Bikes), mesmo tempo.

VOLTA POR CIMA

Na categoria elite feminina, a vitória foi da goiana Uênia Fernandes de Souza, que completou 21,5 quilômetros do percurso em 36min44, mais de um minuto de vantagem sobre o pelotão principal.

Depois de sofrer o pior acidente de sua carreira, ao ser atropelada durante um treinamento em Goiânia, em setembro, Uênia deu a volta por cima na Copa América, competição que marcou o seu retorno ao esporte. A atleta estava tão ansiosa para voltar às provas que nem esperou a liberação formal de seu médico.

“Já estava treinando forte, me sentindo bem e, por isso, resolvi correr”, contou a atleta, prima de Janildes Fernandes, medalha de prata no Pan-Americano de Santo Domingo, e de Clemilda Fernandes, campeã da prova em 2003. “Vou ter de tirar um pino da perna, provavelmente em fevereiro.”

Uênia sofreu fratura exposta na perna esquerda, além de um profundo corte no rosto. O acidente não abalou a vontade da ciclista, de 19 anos, de investir no esporte. Tanto assim que segue em fevereiro para a Itália, onde vai fazer testes para lutar por uma vaga na equipe Forno D’Asolo, da cidade de Montichiari D’Asti, perto de Turim, o mesmo clube de Clemilda Fernandes, terceira colocada na prova deste domingo,atrás da gaúcha Debora Cristina Gerhard, vice-campeã.

“Quanto mais brasileiras na Europa melhor para a modalidade”, comentou Clemilda. “A Janildes foi a primeira a ir, depois fui eu e agora a Uênia. Vamos disputar as etapas das Copa do Mundo e tentar aumentar as vagas do Brasil na Olimpíada.”

Clemilda garantiu uma vaga brasileira para Atenas no Mundial B de Ciclismo, disputado no ano passado, na Suíça. O Brasil pode ter mais duas vagas, dependendo da classificação do país no ranking da União Ciclística Inernacional (UCI).

A classificação da elite feminina foi a seguinte: 1º Uênia de Souza (Fupes Santos), 36min44; 2º Débora Gerhard (Scott/Fadenp), mesmo tempo; 3º Clemilda Fernandes (Fupes Santos), mesmo tempo; 4º Rosane Kirch (Avulso), mesmo tempo; 5º Janildes Fernandes (Michella Fanini), mesmo tempo; 6º Maria Lucilene da Silva (Alfa), mesmo tempo; 7º Carla Gardenal (Scott/Fadenp), mesmo tempo; 8º Marcilene Teixeira (Genes Bike), mesmo tempo; 9º Luciene da Silva (Avulso), mesmo tempo; 10º Patricia Moreira (Avulso), mesmo tempo.

A IV Copa América de Ciclismo é uma realização da Rede Globo, com organização da Yescom, supervisão da Confederação Brasileira de Ciclismo e Federação Paulista de Ciclismo. O patrocínio é da OI e Sedex, com apoio da Levorin, Rodan, Hertz e Prefeitura Municipal de São Paulo.

  
  

Publicado por em