Assalto mudou a vida do triatleta Elisário, o Motorzinho

O destino mudou a vida de Eliziário dos Santos. De gerente de loja de material esportivo em São Vicente, litoral de São Paulo, ele passou a ser um dos mais respeitados triatletas do País. A mudança começou no dia 8 de março de 1995, quando a loja foi

  
  

O destino mudou a vida de Eliziário dos Santos. De gerente de loja de material esportivo em São Vicente, litoral de São Paulo, ele passou a ser um dos mais respeitados triatletas do País.

A mudança começou no dia 8 de março de 1995, quando a loja foi assaltada e acabou Eliziário atingido por três tiros. Uma das balas ficou alojada na medula espinhal, entre a quarta e a quinta vértebras, causando a perda do movimento das pernas.

Determinado, Motorzinho, como é conhecido Eliziário, passou a praticar o triatlo na categoria cadeirante.

No próximo domingo (10/8), ele disputa a terceira etapa do 13º Gatorade Triathlon Troféu Brasil`2003, em Nova Lima, na Grande Belo Horizonte, Minas Gerais. A largada para os cadeirantes, que percorrerão distâncias de 750 metros de natação, 20 km de ciclismo e 5 km de corrida, será às 8h25.

“Aprendi a nadar depois do incidente. Fazia hidroterapia, mas achei o ritmo lento. Perguntei ao professor se podia tentar nadar e ele me autorizou. Não demorou muito e eu já estava nadando mil metros. Parti para o triatlo em 1998.

Quando fui fazer a inscrição na corrida da Tribuna, em Santos, encontrei o Núbio de Almeida, promotor e organizador do Troféu Brasil.

Falei da minha intenção de participar de uma prova de triatlo e ele me deu total apoio”, disse o triatleta de 41 anos.

Depois do início dos treinamentos para as provas de triatlo, mais uma fatalidade aconteceu na vida de Motorzinho. Em 2000, o pai de Eliziário, Josino Amâncio dos Santos, foi morto quando fazia a segurança em uma
padaria em Santos.

“Nossa família é igual às outras. Existem milhares de casos semelhantes e a maior parte dos brasileiros já sofreu algum tipo de violência. Mas não gosto de reclamar ou de lembrar o passado. Acredito que quando Deus nos dá a vida é para buscar novos horizontes”, disse Eliziário, que tem mais nove irmãos.

Motorzinho treina, em média, sete horas por dia. Como todo deficiente, enfrenta problemas com transporte público.

“Sem dúvida, o transporte é uma das maiores dificuldades para o deficiente. Eu vou para a Unimonte, onde faço os treinos, sem utilizar qualquer meio de transporte. São 11 quilômetros de distância. A vantagem é que já começo o trabalho aquecido”, brincou.

A vida de Eliziário sempre esteve ligada aos esportes. Antes do assalto, ele dividia o tempo entre o trabalho na loja e o treinamento para corridas na categoria amador.

“O apelido de Motorzinho surgiu nessa época. As pessoas estranhavam um sujeito tão baixinho como eu, que meço 1m54, ser troncudo e correr tanto”, lembra Eliziário,patrocinado pela Foto Louzada e pela Unimonte.

Líder do Troféu Brasil em sua categoria, Eliziário nunca esteve em Belo Horizonte. O triatleta viaja de ônibus para a capital mineira na próxima sexta-feira à noite.

“O esporte proporciona que a gente conheça lugares diferentes. É a primeira vez que viajo para Belo Horizonte e estou ansioso para conhecer a cidade, que deve ser muito bonita”, finalizou.

A largada dos profissionais, que percorrerão distâncias olímpicas - 1,5 quilômetro de natação, 40 mil metros de ciclismo e 10 km de corrida, será às 9h30, em Alphaville Lagoa dos Ingleses.

Classificação do Profissional Masculino:

1) Oscar Galindez, 272,25
2) Ezequiel Morales, 222,75
Santiago Ascenço, 222,75
4) Marcus Ornellas, 213,25
5) Fred Monteiro, 203,25
6) Thiago dos Santos, 188,75
7) Rafael Moreno, 176,25
8) Tarcisio Machado, 168,5
9) Sergio Bunioto, 166,75
10) Diogo Sclebin, 160,75

Classificação do Profissional Feminino:

1) Gisele Bertucci, 240,75
2) Rita Correia, 210,25
3) Taísa Gentina, 197,75
4) Vanessa Cabrini, 181,75
5) Alessandra Silvestre, 180,75
6) Fernanda Garcia, 176,25
7) Mirian Yoko Mine, 169,25
8) Carla Moreno, 152,25
9) Fernanda Keller, 124,75
10) Sandra Soldan,121

O 13º Gatorade Triathlon Troféu Brasil`2003 distribui em cada etapa R$ 10 mil em prêmios para os profissionais.

Mais informações podem ser conseguidas no site, onde também podem ser feitas as inscrições para a mais tradicional competição da modalidade no Brasil. Até sábado, dia 9 de agosto, amadores pagam R$ 125, profissionais R$ 155; elite amador R$ 155, revezamento R$ 190 e executivo R$ 450.

As duas últimas etapas do Troféu Brasil de Triathlon’2003 serão em Santos, nos dias 14 de setembro e 23 de novembro.

O Troféu Brasil de Triathlon’2003 tem patrocínio de Gatorade. Apoios: Timex, Powerbar, AIB, Governo do Estado de Minas Gerais e Prefeitura de Belo Horizonte. Colaborações: Caesar Business, Fundação Dom Cabral,Alphaville, Prefeitura de Nova Lima, Polícia Rodoviária Estadual, Polícia Rodoviária Federal e Corpo de Bombeiros de Minas Gerais. Tevê oficial: SporTV. Realização: NA Promoções.

Fonte: Local da Comunicação ­

  
  

Publicado por em