Brasil terá equipe na Race Across América

Pedalar os 4.800 km que separam as cidades norte-americanas de San Diego (Califórnia) e Atlantic City (New Jersey). Esta é o desafio do Extra Distance Team na Race Across America (RAAM), uma das mais difíceis provas de ciclismo do mundo, que atravessa os

  
  

Pedalar os 4.800 km que separam as cidades norte-americanas de San Diego (Califórnia) e Atlantic City (New Jersey). Esta é o desafio do Extra Distance Team na Race Across America (RAAM), uma das mais difíceis provas de ciclismo do mundo, que atravessa os Estados Unidos da costa oeste à leste.

A equipe brasileira tem o patrocínio do Extra Hipermercados e é formada por três funcionários do Grupo Pão de Açúcar, Michel Bögli, Márcio Milan e Cássio Brandão, mais um convidado, o empresário Zé Filho, que falaram sobre suas expectativas e preparação para o desafio na noite desta segunda-feira, em São Paulo.

A largada da prova será dia 21 de junho para duplas e quartetos. Um dia antes, 20, partem os atletas da categoria solo. Os participantes têm até o meio-dia de 2 de julho para chegar a Atlantic City.

Além dos quatro ciclistas, a equipe tem mais 12 pessoas que darão todo o suporte para que o quarteto consiga alcançar seu objetivo. Motoristas, massagista, mecânico, entre outros, completam o time brasileiro.

Além do Extra Hipermercados, a equipe conta com patrocínio de Água Mineral Schincariol, Bavária Sem Álcool, Bombril, TAM Linhas Aéreas, Fuji Bikes,Ritchey, Flying Horse, PowerBar, Families of SMA e tem o apoio da Nike.

O mais experiente do grupo é Michel Bögli, 34 anos, que parte para sua quinta participação na RAAM, voltando a competir na categoria quarteto.

“Estou bastante ansioso para esta prova. A situação é nova, desta vez a equipe está dividida, dois treinam em Fortaleza e dois em São Paulo, mas as expectativas são boas. Como já fui quatro vezes para a prova, passo o
máximo de experiência para os companheiros da equipe”, diz o coordenador do PA Club de Fortaleza (CE), que em 2001 venceu a RAAM nas duplas, junto com Zé Filho, outro integrante da equipe Extra Distance.

Bögli foi o vice-campeão solo do Extra Distance 800K, que aconteceu no final de 2003, resultado que lhe garantiu vaga na mesma categoria na RAAM. Embora a conquista desse título seja um dos sonhos esportivos do ciclista, ele tem o pé no chão.

“A categoria solo não é fácil. Precisaria treinar muito para conquistar este sonho. Como não tenho tempo disponível para isso agora, decidi não arriscar. Quem sabe no ano que vem”, explica.

Em sua segunda participação na prova norte-americana, Zé Filho está entusiasmado com o esquema montado para a equipe.

“A infra-estrutura será bem diferente. Da outra vez fomos com uma estrutura bem menor. Agora, com o apoio do Extra, vamos competir com as condições ideais”, afirma o empresário cearense, que foi convidado pelo amigo Michel, com quem treina toda semana, pedalando cerca de 700 km em Fortaleza.

Sobre a equipe, Zé Filho tem consciência da capacidade de cada componente. “O importante é respeitar os limites dos companheiros, pois cada um tem um nível diferente de preparação e o fato de estarmos em uma equipe de quatro pessoas não torna o desafio mais fácil”, completa o ciclista, que destaca a dificuldade de treinar em Fortaleza, devido aos ventos constantes e o forte calor.

Já para Márcio Milan, 55 anos, diretor comercial de commoditties, projetos especiais e assuntos corporativos do Grupo Pão de Açúcar, e Cássio Brandão, 41 anos, gerente de projetos especiais do mesmo grupo, a expectativa é grande para a estréia na Race Across America.

“Gosto muito de provas de longa distância. Minha experiência em competições de resistência é com maratonas e ultramaratonas. A participação em um dos mais tradicionais desafios de ciclismo do mundo é o resultado de um trabalho de divulgação deste esporte que começamos em 2002”, diz Milan. Ele foi, ao lado do empresário João Paulo Diniz, um dos idealizadores do Extra Distance, evento brasileiro inspirado na RAAM.

Milan partiu para as provas de endurance em 1995, motivado pelo programa de qualidade de vida da empresa. Começou com a maratona de Blumenau e não parou mais de correr. Já completou 19 maratonas, oito ultramaratonas e dois Ironman.

Começou a pedalar no final de 1997, para participar do Ironman Brasil, em Porto Seguro, no ano seguinte. Em 2002, tinha a intenção de fazer um treino entre Fortaleza e São Paulo para participar da RAAM.

João Paulo Diniz comprou a idéia e juntos idealizaram o primeiro Extra Distance, entre Fortaleza e São Paulo, com 3.790 quilômetros e participação de 17 ciclistas.Ainda no mesmo ano, organizaram mais um evento, com 310 quilômetros, entre a capital paulista e Araraquara, no interior.

O Extra Distance começou a despertar o interesse dos ciclistas e, principalmente, dos funcionários da empresa, por isso, mais uma pedalada foi organizada, desta vez entre São Paulo e Petrópolis (RJ), com 450 km e 32 participantes, em 2003.

No fim do ano aconteceu a primeira versão competitiva, o Extra Distance 800K, com 217 ciclistas inscritos, divididos nas categorias solo, dupla e quarteto. A prova foi validada pela organização da RAAM e pela Ultra Marathon Cycling Association (UMCA), entidade que promove as competições de longa distância. Cinco brasileiros da categoria solo conquistaram uma vaga para participar da RAAM 2004.

Cássio Brandão, que pedala desde a infância, só passou a levar o ciclismo a sério quando entrou para o Grupo Pão de Açúcar, há um ano.

“Estou muito ansioso. Esta será minha primeira participação em provas de longa distância. Minhas experiências são o Extra Distance São Paulo-Petrópolis e 800k, além do Desafio 24 horas de Fortaleza, sempre na categoria quarteto. Espero que a equipe consiga completar a prova, nosso objetivo principal”, ressalta Cássio, que considera o preparo psicológico fundamental para agüentar o desafio.

Com relação aos treinos, Michel Bögli e Zé Filho enfrentam juntos os ventos constantes e o forte calor de Fortaleza. Ambos pedalam entre 500 e 700 quilômetros em estradas por semana, além da preparação individual.

Bögli faz natação e corrida, já Zé Filho prefere ioga e kitesurf. Márcio Milan e Cássio Brandão também treinam juntos, sempre no fim de semana, em São Paulo, entre 90 e 260 quilômetros. Ainda como parte da preparação, Milan corre de manhã e pedala à noite, na Cidade Universitária (USP) e Cássio faz musculação e aulas de spinning (bicicleta fixa).

“Como a equipe está treinando dividida, a intenção é juntar todo mundo e fazer pelo menos dois treinos coletivos antes da prova, um em São Paulo e outro em Fortaleza, para afinar a sintonia e combinar os últimos detalhes antes do desafio”, explica Bögli, também responsável por toda a logística de viagem do grupo.

Fonte: ZDL de Comunicação

  
  

Publicado por em