Brasileiros garantem bons resultados em canoagem no Oriente Médio

Além de o local das provas apresentar um percurso muito técnico, com um grande volume de água, o clima quente e seco deixou as provas mais difíceis e emocionantes.

  
  

Aconteceu no último final de semana o Campeonato Mundial de Rafting R4, em Al Ain, nos Emirados Árabes Unidos que contou com a participação de 85 times de 28 países de todo o mundo. Este foi o primeiro evento da modalidade, na história, a ser realizado no país e é o maior a ser sediado no Oriente Médio.

O Brasil participou com 5 equipes das categorias Sub 19 Masculino, Sub 23 Masculino e Feminino e Open Masculino e Feminino, e manteve o bom desempenho da última edição do Campeonato, realizado em Foz do Iguaçu, em 2014.

O Campeonato foi realizado no Wadi Adventure, o primeiro canal artificial do Oriente Médio e as equipes disputavam quatro tipos de provas (Sprint, Head to Head, Slalom e Downriver), a equipe com a maior pontuação geral garantiria o lugar mais alto do pódio.

Além de o local das provas apresentar um percurso muito técnico, com um grande volume de água, o clima quente e seco deixou as provas mais difíceis e emocionantes. Como explica Rebeca Fernandes, supervisora da modalidade junto à CBCa “ O canal estava com características fortes de rios de volume, que exigem uma leitura especial”. Mesmo com essas características adversas os brasileiros conseguiram ótimos resultados.

O evento encerra o calendário de 2016 da modalidade / Divulgação

Das cinco categorias com participação de brasileiros apenas o Open Feminino não garantiu uma medalha. A equipe formada pelas atletas do clube Brotas 40º Graus terminaram a competição com 534 pontos, apenas três pontos atrás das Chinesas, que fecharam o top 10 da categoria. Grã-Bretanha, República Tcheca e Japão terminaram a competição nas três primeiras posições, respectivamente.

Na categoria Sub 19 Masculino o Brasil conquistou o bronze ao terminar a competição com 808 pontos, Rússia (824) e Alemanha (946) completaram o pódio geral da categoria. Os atletas do Sub 23 Masculino também conquistaram uma medalha para o Brasil. Os atletas venceram a prova do Sprint de sua categoria e terminaram a competição com a prata e uma pontuação geral de 874, vinte e um pontos atrás dos tchecos.

As duas medalhas de ouro vieram no Sub 23 Feminino e no Open Masculino. As atletas do clube Meninas do Rio venceram as provas de Head to Head e Slalom e terminaram no lugar mais alto do pódio com 895 pontos, a mesma pontuação das atletas britânicas.

A outra medalha de ouro veio com certa folga na pontuação, 937 pontos para os brasileiros, 792 para os tchecos e 785 para os nossos vizinhos da Argentina, que terminaram a competição com o bronze. O Brasil se tornou bicampeão mundial nas duas categorias, com esses resultados.

Rebeca Fernandes se mostrou satisfeita com os resultados mas já volta o seu olhar para o futuro “Todos deram o seu melhor e já retornam para casa pensando no próximo mundial, do ano que vem. O comitê de Rafting promove competições em rios diferentes e que tirem os atletas da zona de conforto, isso está ajudando no crescimento do esporte em competições internacionais. Bons resultados e lugares no pódio sempre são positivos, mas a renovação e evolução técnica do Rafting Brasileiro nos últimos 10 anos é o que deve ser realmente comemorado”.

O evento encerra o calendário de 2016 da modalidade. Os atletas, que já estão no Brasil, terão uma semana de descanso e depois iniciam os treinos para o Campeonato Mundial de Rafting R6 que acontecerá em outubro de 2017 na cidade de Miyoshi, no Japão.

Visite: www.revistaecotour.tur.br

Fonte: Confederação Brasileira de Canoagem

  
  

Publicado por em