Emoção marca a volta de Vanderlei Cordeiro

O paranaense Vanderlei Cordeiro de Lima, ganhador da medalha de bronze na maratona da Olimpíada de Atenas, teve recepção de herói na sua volta ao Brasil, na quarta-feira, em São Paulo. Recebido com aplausos no Aeroporto de Cumbica, o atleta foi festej

  
  

O paranaense Vanderlei Cordeiro de Lima, ganhador da medalha de bronze na maratona da Olimpíada de Atenas, teve recepção de herói na sua volta ao Brasil, na quarta-feira, em São Paulo.

Recebido com aplausos no Aeroporto de Cumbica, o atleta foi festejado como um grande campeão, recebendo a solidariedade dos brasileiros por ter sido atrapalhado por um manifestante irlandês quando liderava a prova de domingo.

Como prêmio pela performance, Vanderlei recebeu das mãos do presidente do Comitê de Marketing do Pão de Açúcar, João Paulo Diniz, um cheque de R$ 200 mil, bônus destinado pela empresa aos seus atletas que ganhassem medalha de ouro em Atenas.

Em entrevista coletiva, Vanderlei ficou emocionado. Não se considera herói brasileiro nem internacional por causa do imprevisto enfrentado. “Acho que a ficha ainda não caiu. Sou um cara simples, humilde e continuo como sempre fui. O que consegui foi fruto do meu trabalho, com garra persistência e determinação”, comentou o fundista, de 35 anos, da equipe Pão de Açúcar, BM&F, Nike e São Caetano.

“Meu sonho era ganhar a medalha olímpica, indepentemente da cor.” Como reconhecimento ganhou bônus de medalha de ouro de todos os patrocinadores.

O corredor agradeceu o apoio recebido dos patrocinadores nos últimos anos, disse ter recusado propostas oportunistas às vésperas da Olimpíada e chorou ao dizer que nunca correu por dinheiro.

“O atleta vive da superação, é acostumado com a dor constante e aprende muito no dia a dia, com as dificuldades”, afirmou, garantindo que não guarda mágoa do manifestante irlandês que o derrubou.

“Disse depois da prova e repito agora: não tenho raiva nem mágoa dele. Não fiquei frustrado também por não conseguir a medalha de ouro. Realizei o sonho de conseguir uma medalha olímpica”, completou o bicampeão pan-americano.

Com a agenda lotada, incluindo pedidos de entrevistas de várias emissoras de TV do exterior, Vanderlei seguiu no início da tarde para Maringá, no Paraná, onde recebeu mais homenagens e onde gostaria de arrumar um “tempinho” para pescar, mostrando as raízes interioranas de um ex-bóia-fria, nascido na cidade de Cruzeiro do Oeste.

“A gente não perde nada por ser humilde. Vou ter para sempre a orgulho e a glória desta Olimpíada, mas faço questão de manter a minha vida comum de atleta e de pessoa.”

Vanderlei, que fez uma preparação especial na altitude na cidade de Paipa, na Colômbia, fez questão de agradecer também ao seu treinador, Ricardo D’Angelo, que o orienta desde 1992. O atleta contou ter recebido uma carta de seu técnico na saída da Vila Olímpica, quando se dirigia para a largada da prova, em Marathon.

“Ele me escreveu coisas maravilhosas, dava dicas sobre a corrida e recomendava que arriscasse caso estivesse bem. Embora não fosse o técnico oficial da delegação,
ele me ajudou muito nos poucos momentos que estivemos juntos em Atenas.”

Ele garantiu que seu próximo compromisso será a Maratona Pão de Açúcar de Revezamento, marcada para o dia 26, em São Paulo, quando pretende integrar a equipe do empresário Abílio Diniz, presidente do Conselho de Administração do Pão de Açúcar. “Quero pedir a autorização do presidente para correr com ele”, brincou o atleta.

Abílio Diniz, por sua vez, fez questão de agradecer o desempenho do corredor. “Estamos muito felizes pela alegria proporcionada pelo Vanderlei, que soube superar os imprevistos pelo caminho. Ele é mais um motivo de orgulho por ser brasileiro”, comentou, convocando o atleta para compor sua equipe na prova de revezamento.

João Paulo Diniz também elogiou o comportamento do atleta. “Vanderlei teve uma atitude de grande campeão ao continuar na prova, mesmo depois de ser derrubado. O Grupo Pão de Açúcar acredita em seus atletas e, por isso, apóia o esporte há muito tempo. Este é um compromisso desta empresa, que ama o esporte”, disse.

O senador Aloizio Mercadante (PT) também participou da coletiva e agradeceu o corredor. “Muito obrigado pelo desempenho. Você expressa alma do povo brasileiro. A forma como entrou no estádio, com os braços abertos, mostrando humildade, mexeu com a sensibilidade de todos.”

Fonte: ZDL de Comunicação

  
  

Publicado por em