Brasileira será a primeira mulher a desafiar uma pororoca de caiaque

Esse fenômeno da pororoca é dado pela formação que acontece a partir da invasão do mar nos estuários e segue entrando no rio contra a correnteza, o que leva à geração das grandes ondas

  
  

No dia 15 de abril a atleta brasileira Roberta Borsari irá viajar ao estado do Amapá para ser a única mulher no mundo que já enfrentou o fenômeno da pororoca em um caiaque e utilizar pela primeira vez que esse tipo de equipamento na formação do rio Araguari. “Vários surfistas já foram à pororoca do Araguari, mas um caiaque fechado será a primeira vez e o desafio será muito grande”, destaca a atleta. Para conseguir enfrentar as intermináveis ondas do local, Roberta terá o suporte do atual recordista mundial em tempo de surf na onda de uma pororoca, Sérgio Laus, e de todos os seus anos de prática no kayaksurf.

Além da força das águas, a principal adversidade a ser enfrentada pela atleta é o uso do caiaque nessa situação. “Como o equipamento é fechado teremos maior dificuldade na logística do resgate e se tiver que nadar será muito complicado”, comenta a kayaksurfer. Roberta ainda ressalta que haverá uma maior dificuldade para emergir caso seja virada pelas ondas, pois elas têm grande duração e as águas são barrentas.

Esse fenômeno da pororoca é dado pela formação que acontece a partir da invasão do mar nos estuários e segue entrando no rio contra a correnteza, o que leva à geração das grandes ondas. Essa subida do mar pelo rio chega a ter velocidades superiores a 40 quilômetros por hora e elevações que ultrapassam 4 metros de altura. O próprio nome do fenômeno também mostra sua outra característica, pororoca tem o significado de “estrondo destruidor” em tupi.

Para enfrentar esse desafio, Roberta mantém uma rotina de treinos e participa de campeonatos nacionais e internacionais. Sua última conquista aconteceu no 25º Festival Anual de Paddle de Santa Cruz (EUA), realizado em 19/3 e 20/3, no qual a atleta fez parte do pódio de kayaksurfers. Borsari também carrega o título de ser uma das dez melhores do mundo no kayaksurf e a melhor, entre homens e mulheres, do esporte na America Latina. Como pioneira, já encarou a prática do kayaksurf no Brasil e a foi uma das primeiras mulheres a fazer canoagem em águas brancas no país.

Mais informações sobre o esporte e a atleta podem ser obtidas em www.kayaksurfclub.com.br.

Fonte: AD Comunicação & Marketing

  
  

Publicado por em