Waldemar Niclevicz e o Projeto Mundo Andino

Uma das grandes atrações da Adventure Fair nesse ano é o Andino, um caminhão-home 4x4 construído pela Volkswagen especialmente para o montanhista Waldemar Niclevicz, para a execução do projeto de seus sonhos idealizado desde 1994, o Mundo Andino, uma expe

  
  

Uma das grandes atrações da Adventure Fair nesse ano é o Andino, um caminhão-home 4x4 construído pela Volkswagen especialmente para o montanhista Waldemar Niclevicz, para a execução do projeto de seus sonhos idealizado desde 1994, o Mundo Andino, uma expedição de três anos pela Cordilheira dos Andes (do Chile até a Venezuela) que estará partindo no próximo dia 07 de janeiro.

Paula Sarcinella

Waldemar pretende, junto à uma equipe de mais cinco pessoas, entre elas dois convidados, percorrer a Cordilheira e escalar suas montanhas, além de estudar as populações e geografia dos entornos. “É lá que ficam as maiores montanhas da América do Sul, e esconde picos belíssimos que ainda não foram explorados”- afirmou Waldemar durante sua palestra no Adventure Congress.

Fora a emoção da escalada, o projeto tem objetivos muito mais nobres. A idéia é traçar um perfil físico e humano da região, com a ajuda de diversos especialistas em aventura, pesquisadores e médicos. Niclevicz pretende, por meio de uma série de pesquisas e ações sociais, gerar melhorias nas condições de vida da população local e do meio ambiente, num verdadeiro desafio sócioambiental.

Serão 22 expedições em 30 meses a bordo do caminhão Andino, que impressiona pela estrutura e detalhes. Tudo foi minuciosamente estudado, construído e adaptado para as duras condições de clima e relevo dos Andes. O Andino foi projetado por Thierry Stump, o mesmo criador do veleiro Paraty II, de Amyr Klink, e posteriormente adaptado pelo engenheiro e também alpinista Irivan G. Burda, um dos seis componentes da equipe que estará a bordo do veículo.

Além do frio, da altitude, do espaço restrito e de todas as intempéries a que uma aventura como essa está sujeita, Waldemar afirma que a principal dificuldade para a viabilização desse belo projeto é a dificuldade em angariar apoio financeiro. “Minha principal preocupação agora é com o dinheiro. O mais desgastante, nesses dois anos desde o início da execução do projeto, é buscar patrocínio.”

Esse desabafo denuncia que, infelizmente, o empresariado brasileiro ainda não abriu os olhos para projetos de verdadeiro valor, que podem enaltecer a tão desgastada imagem do Brasil em outros países. Se Waldemar, tão reconhecido e com tamanha visibilidade na mídia por seus feitos no montanhismo não consegue o apoio financeiro necessário para a efetivação do Mundo Andino, o que podemos esperar para outros projetos igualmente nobres mas que ainda não se fizeram notar?

A expedição será relatada diariamente com vídeos e fotos na Internet, através do site oficial www.mundoandino.com.br e também no EcoViagem.

  
  

Publicado por em