Lars Grael confirma participação na Rota do Aço

O velejador Lars Grael confirmou participação na primeira edição da Rota do Aço Regata de Vela Oceânica,que será disputada de 6 a 14 de março, com largada no Iate Clube do Espírito Santo, parada no Rio de Janeiro e chegada em São Francisco do Sul (SC).

  
  

O velejador Lars Grael confirmou participação na primeira edição da Rota do Aço Regata de Vela Oceânica,que será disputada de 6 a 14 de março, com largada no Iate Clube do Espírito Santo, parada no Rio de Janeiro e chegada em
São Francisco do Sul (SC).

Ganhador de duas medalhas olímpicas de bronze, Lars fará parte da tripulação do Saga, ao lado do também medalhista olímpico Kiko Pellicano e do comandante Erling Lorentzen.

Presidente da comissão de honra da Rota do Aço, que tem ainda o navegador Amyr Klink, Lars é o secretário da Juventude, Esportes e Lazer do Estado de São Paulo, mas sempre que pode participa de competições.

No ano passado, por exemplo, ele foi tático da embarcação comandada por Alan Adler nas três etapas do Match Race Brasil e velejou também no Klimax durante a Semana Internacional de Vela de Ilhabela.

“Esta é uma competição especial e original, que teve o apoio imediato de toda a comunidade náutica do país. Tanto assim que recebeu um grande número de inscritos”, lembrou o velejador. “Como homem do mar e secretário de Estado, estou muito feliz com essa iniciativa, que tem também uma grande conotação ambiental.”

Lars Grael participou do lançamento oficial da competição, em janeiro, em Vitória. Na oportunidade, avisou que gostaria de integrar a tripulação do Saga e viabilizar a sua participação na regata. O velejador teve sua carreira de atleta olímpico interrompida justamente em Vitória, quando perdeu a perna direita num acidente em 1998.

“Tenho muito carinho por essa cidade, principalmente porque consegui sobreviver a um acidente gravíssimo. Ganhei minha vida de novo na capital do Espírito Santo e vai ser muito bom competir outra vez.”

As duas medalhas olímpicas de bronze foram conquistadas por Lars na classe Tornado: em Seul, em 1988, em companhia de Clínio de Freitas, e em Atlanta, em 1996, ao lado de Kiko Pellicano.

O Saga é um barco brasileiro, várias vezes campeão, que vai certamente elevar ainda mais o nível técnico da competição, que reproduzirá o caminho feito pelas bobinas de aço entre a Companhia Siderúrgica de Tubarão (CST), em Serra (ES), até a indústria de transformação de aço Vega do Sul, em São Francisco do Sul (SC). A unidade, recém-construída, será inaugurada nos próximos meses pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

A Rota do Aço terá 634 milhas náuticas(1.174 quilômetros) e será dividida em monocasco e multicasco. A competição será disputada em três etapas, com a primeira marcada para o dia 6 de março.

Os veleiros vão cobrir 260 milhas náuticas entre Vitória e Rio de Janeiro, de onde partirão para a segunda etapa da competição, percorrendo mais 365 milhas até o Capri Iate
Clube, em São Francisco do Sul. A terceira terá nove milhas náuticas, ligando o Capri Iate Clube ao centro da cidade, no dia 14 de março.

A Rota do Aço :

Regata de Vela Oceânica, que até esta sexta-feira havia recebido a inscrição de 58 veleiros, é uma realização da Arcelor, Companhia Siderúrgica de Tubarão, Vega do Sul e Norsul, com organização da DS Comunicação e apoio da Federação Brasileira de Vela e Motor (FBVM), da Associação Brasileira de Veleiros de Oceano (ABVO), da Marinha do Brasil, dos governos do Espírito Santo e Santa Catarina, das prefeituras de Vitória e São Francisco do Sul, do Iate Clube do Espírito Santo, do Iate Clube do Rio de Janeiro e do Capri Iate Clube.

Fonte: ZDL de Comunicação

  
  

Publicado por em