Mulher entra para a história após vencer corrida de motovelocidade

A paulista Ana Lima, de 24 anos, da categoria 125 cilindradas, acaba de entrar para a história. Pela primeira vez uma mulher venceu uma corrida do Campeonato Brasileiro de Motovelocidade, competição que reúne os melhores pilotos de moto do país. A fa

  
  

A paulista Ana Lima, de 24 anos, da categoria 125 cilindradas, acaba de entrar para a história. Pela primeira vez uma mulher venceu uma corrida do Campeonato Brasileiro de Motovelocidade, competição que reúne os melhores pilotos de moto do país.

A façanha foi conquistada durante a sétima etapa da temporada 2004, disputada neste domingo no autódromo internacional Raul Boesel, em Pinhais, região metropolitana de Curitiba (PR).

Ana fez uma corrida sensacional. Depois de sair da quarta posição, ultrapassou Philippe Thiriet e Caio Tavares juntos na reta do boxes. Pulou para o segundo lugar e tentava
alcançar Gilson Pessoa, que disparou na frente em busca do bicampeonato por antecipação. Mas ele caiu numa curva e Ana assumiu a ponta. Gilson perdeu muito tempo para voltar para a pista em quarto lugar, atrás de Ana, Philippe e Caio.

Liderando o pelotão, Ana teve que mostrar perícia e audácia para suportar a pressão de Caio e Philippe, que tentavam alcançá-la, mas sem sucesso.

“Enquanto a corrida não terminava, ficava pensando em deus e conversando com o ‘papai do céu’ para que ele me desse forças”, contou.

A oração deu certo. Ana conseguiu manter o primeiro lugar até receber a bandeirada final. `Sinceramente eu esperava o quarto, o terceiro e até um segundo lugar, mas nunca
imaginei vencer no Paraná`, disse a simpática piloto, mãe de uma menina, vestindo uma camiseta branca com a frase `Esperança - O mundo todo tem`.

Faltou pouco :

Na categoria 125 4 Tempos, uma das mais disputadas do Campeonato Brasileiro devido aos grandes duelos no asfalto, o final feliz parecia ser de Gilson Pessoa. Até a prova no Paraná, o garoto de 17 de Brasília estava com 100% de aproveitamento: ganhou 11 corridas consecutivas, fez seis poles e marcou o primeiro tempo nos treinos livres e na tomada contra o cronômetro para definir o grid. Tinha o campeonato nas mãos devido à grande vantagem de pontos.

Mas com o tombo durante a prova, e depois a desclassificação por atitude anti-desportiva, o que fez com ele perdesse os pontos da quarta posição, a decisão da 125 ficou para a corrida de 7 de novembro, em Interlagos. Gilson Pessoa ou Philippe Thiriet? Um deles levará o campeonato.

Outras decisões :

Além da categoria 125, pilotos de outras categorias estavam disputando o campeonato. Na 500 cilindradas, a decisão também ficou para São Paulo entre Leandro Panades, segundo colocado na corrida de Pinhais e líder do campeonato, e Alecsandre Brieda, vice-líder da
temporada com diferença de apenas dois pontos para Panades. Na corrida de domingo ele terminou em quarto lugar.

Na Supersport, a expectativa era grande para Gilson Scudeler. Ele estava tentando o tricampeonato na categoria mais veloz do Campeonato Brasileiro. Os patrocinadores da equipe chegaram a preparar uma campanha de marketing para ser impressa nos principais jornais do país nesta segunda-feira, mas não será desta vez. Pablo Henrique acabou estragando a festa ao conquistar o primeiro lugar.

Cajuru ficou em segundo e Scudeler foi o terceiro. Para levar o terceiro título, ele precisa apenas terminar entre os sete primeiros em Interlagos. Na Supersport B, o goiano Edson Morales levou a melhor, mas quem lidera o campeonato é Adelmo Kaschak. A decisão temabém ficará para São Paulo.

Campeão :

A 250 cilindradas foi a única definida no domingo em Pinhais. João Nivaldo Girão, de Brasília, garantiu o título por antecipação. Essa foi a primeira temporada dele na 250, depois de encerrar com chave de ouro no ano passado a 125, quando também foi campeão.

O paulista já faz planos para o ano que vem. “Estou muito feliz e agora vou me preparar para correr na 500 em 2005”, disse ele.

125

1. Ana Lima – 33min45s510 (17 voltas)

2. Caio Tavares – a 4s24

3. Philippe Thiriet – a 4s26

4. Igor Calura – a 55s51

5. Raphaela Del Bosco – a 1min24s

250

1. Lázaro Junior – 32min39s727

2. João Nivaldo Girão – 32min54s874

3. Fabio Peasson – 32min54s888

4. Felipe Garcia – 32min55s186

5. Willian Pontes – 32min56s397

500

1. Marco Aurélio Brunheroto - 34min06s059

2. Leandro Panades – 34min06s142

3. Carlos Alberto de Campos – 34min06s395

4. Alecsandre Brieda – 34min06s431

5. Murilo Colatreli – 34min09s582

Supersport

1. Pablo Henrique Martin – 38min00s120

2. Adilson Cajuru – 38min00s295

3. Gilson Scudeler – 38min00s509

4. Luiz Carlos Cerciari – 38min11s722

5. Pierre Chofard – 38min22s007

125

1. Gilson Pessoa – 150 pontos

2. Philippe Thiriet – 132

3. Caio Tavares – 101

4. Ana Lima – 96

5. Débora Garcia – 55

250

1. João Nivaldo Girão – 128 pontos

2. Lazaro Junior – 95 pontos

3. Marciano Santim – 82 pontos

4. Felipe Garcia – 80 pontos

5. Willian Pontes – 72 pontos

500

1. Leandro Panades – 133 pontos

2. Alecsandre Brieda – 131 pontos

3. Murilo Colatreli – 103 pontos

4. Marco Aurélio Brunheroto – 90 pontos

5. Carlos Alberto – 77 pontos

Supersport

1. Gilson Scudeler – 152 pontos

2. Pablo Henrique Martin – 137 pontos

3. Luis Carlos Cerciari – 108 pontos

4. Adilson Cajuru – 87 pontos

5. Pierre Chofard – 67 pontos

O Campeonato Brasileiro de Motovelocidade é organizado pela CBM (Confederação Brasileira Motovelocidade) tem patrocínio da Honda e Mobil e co-patrocínio de Expresso Joaçaba.

Fonte: VipComm Assessoria de Imprensa

  
  

Publicado por em