Nilceu , `The Flash`, justifica apelido e vence a Copa América

O paranaense Nilceu Aparecido dos Santos justificou no domingo o apelido “The Flash”, adquirido depois de garantir várias vitórias nos últimos metros das provas. Campeão da 9 de Julho, do Meeting Internacional de Goiânia e do Desafio Extra de

  
  

O paranaense Nilceu Aparecido dos Santos justificou no domingo o apelido “The Flash”, adquirido depois de garantir várias vitórias nos últimos metros das provas. Campeão da 9 de Julho, do Meeting Internacional de Goiânia e do Desafio Extra de Fórmula-1 em 2004, Nilceu abriu a temporada 2005 com uma grande vitória na Copa América de Ciclismo, disputada por 238 atletas na categoria elite masculina, no Autódromo de Interlagos, em São Paulo.

Estreante na equipe Scott/Marcondes César/Fadenp/São José dos Campos, ele completou os 33,6 quilômetros de percurso em 45min52seg, numa excelente média de 43,9 km/h.

Depois de dois anos afastado das competições por doping, o atleta de 27 anos confirmou estar passando por uma das melhores fases da carreira.

“Fiquei muito feliz porque mudei de equipe e continuei vencendo. E ganhar na estréia é muito bom”, comemorou o atleta, que surgiu na linha de chegada como um raio, ultrapassando o argentino Cristian Leon, da equipe Monti, que já se preparava para comemorar a vitória. “Me guardei para a chegada e arrisquei tudo o que podia para vencer.”

Um exemplo da chegada disputadíssima é que Leon registrou o mesmo tempo de Nilceu nos resultados oficiais. Vitórias como essa, obtidas no fotofinish, são a especialidade do ex-ciclista da Memorial/Santos, que tem muita velocidade no sprint.

“Sempre decido o melhor momento de atacar no final. Estou bem preparado fisicamente e a chegada sempre foi o meu forte”, comentou o atleta da equipe líder do ranking da Confederação Brasileira de Ciclismo (CBC).

Com a vitória de Nilceu, o Brasil agora tem três primeiros lugares contra dois obtidos por estrangeiros na competição. O próximo desafio do ciclista será a Volta Internacional do Estado de São Paulo, que começa dia 16 e vai até o dia 23.

“A Volta é outro tipo de competição e exigirá muito trabalho de equipe”, analisou.

A Copa América, que distribuiu R$ 21 mil em prêmios, reuniu cerca de 600 atletas em todas as categorias e mostrou muito equilíbrio na elite masculina. Vários atletas se revezaram na liderança durante as oito voltas do percurso. Um momento decisivo ocorreu no início da terceira volta quando vários atletas se envolveram num acidente, tirando muitos ciclistas da prova. Arlindo Ferreira da Silva Neto, de Osasco, por exemplo, saiu de ambulância da pista, foi atendido no ambulatório do autódromo, mas não teve nenhuma lesão séria. Duas equipes consideradas favoritas, Extra e Memorial, perderam cinco atletas na colisão, ficando enfraquecidas para a disputa do título.

Outra vítima foi o catarinense Márcio May, da equipe de São José dos Campos, que também acabou desistindo. Márcio representou o Brasil na Olimpíada de Atenas, em agosto, assim como o paranaense Luciano Pagliarini, que também correu a Copa América, terminando em 33º. Lugar, representando a equipe italiana Liquigas Sports/Milano.

“Fiz uma prova tranqüila, só para manter o ritmo. Não posso me arriscar a sofrer um acidente sério”, lembrou o ciclista, confirmado na última hora para a competição.

Festa da família Fernandes

Terceira edição da categoria feminina na Copa América e terceira vitória de representantes da família Fernandes, de Goiânia. Depois de Janildes, em 2003, e de Uênia, em 2004, desta vez a vitória foi de Clemilda Fernandes. Ela escapou do pelotão antes da metade da prova e completou os 21 quilômetros em 35min47seg, com média de 35,2 km/h. Débora Cristina Gerhard, de São José dos Campos, terminou em segundo lugar, a 24 segundos da vencedora.

“Comecei a temporada 2005 assim como terminei a de 2004, com bons resultados”, comemorou a atleta, de 26 anos, que defende a equipe italiana de Cirio Forno D´Asolo. “O importante é que consegui mais uma vitória para a nossa família.”

Clemilda obteve três vitórias na Europa em 2004, incluindo um GP na França. “Espero manter o ritmo em 2005. O meu objetivo agora é me preparar para tentar uma medalha no Pan-Americano de 2007, no Rio de Janeiro”, concluiu a atleta.

Resultados:

Elite masculina

1. Nilceu Santos (Scott/Marcondes Cesar/Fadenp/São José dos Campos), 45min52s

2. Cristian Leon (Monti/ARG), mesmo tempo

3. Marcos Novello (São Lucas/Mônaco/SAP/Flamengo), 45min53s

4. Rodrigo Mendieta (São Bernardo/ARG), 45min57s

5. Raul Turano (Monti/ARG) – mesmo tempo

6. Rodrigo Morcegão Brito (Extra), mesmo tempo

7. Mac Donald Trindade Fernandes (Cesc/Nossa Caixa/Levorin/Rede Plaza/Dádiva), mesmo tempo

8. André Pulini (São Lucas/Mônaco/SAP/Flamengo), mesmo tempo

9. Roberto Pinheiro da Silva (Seleção Nordeste/RN), mesmo tempo

10. Neilson Fernandes Silva (Garra/GO), mesmo tempo

Elite feminina

1. Clemilda Fernandes (Cairu), 35min47s

2. Débora Gerhard (Scott/Marcondes Cesar/Fadenp/São José dos Campos), 36min11s

3. Janildes Fernandes (Cairu), 38min24s

4. Rosane Kirch (F.E. Londrina/Vzan), 38min25s

5. Uênia Fernandes (Cairu), 38min33s

Open Speed – 1.- Valmir da Silva

Open juvenil masculino – 1.- Carlos Manarelli

Open juvenil feminino – 1.- Sandra Fernandes da Silva

Open infantil masculino – 1.- Gilmar Elias Batista Júnior

Open infantil feminino – 1.- Raquel Lemos Borges de Figueiredo

Kids masculino – 1.- Vítor Campos Santos

Open Masters – 1.- Nivaldo Santana de Abreu

MTB Free Power – 1.- Márcio Ferreira Ditai

Speed Free Power – 1.- Alberto Delila Santiago

A V Copa América de Ciclismo foi uma realização e organização da Rede Globo de Televisão e Yescom. A supervisão foi da Federação Paulista de Ciclismo, Confederação Brasileira de Ciclismo e União Ciclística Internacional, com apoio da Prefeitura do Município de São Paulo, do Governo do Estado de São Paulo e da Secretaria da Juventude, Esporte e Lazer do Estado de São Paulo. O patrocínio foi da Oi, Sedex, Goodyear, Wizard e Siemens.

Fonte: ZDL de Comunicação

  
  

Publicado por em