Obstáculos difíceis e muita neblina marcam o 18o.Raid da Meia-Noite

A 18ª edição do Raid da Meia-Noite surpreendeu os competidores com atoleiros no início da trilha e muita neblina em alguns trechos do percurso.A prova,tradicionalmente, a mais difícil do ano organizada pelo Jeep Clube do Brasil em parceria com a Mesa Quat

  
  

A 18ª edição do Raid da Meia-Noite surpreendeu os competidores com atoleiros no início da trilha e muita neblina em alguns trechos do percurso.A prova,tradicionalmente, a mais difícil do ano organizada pelo Jeep Clube do Brasil em parceria com a Mesa Quatro Comunicações, teve 95 quilômetros de trechos cronometrados na região de Ribeirão Pires e
Paranapiacaba.

Com 70 jipes inscritos, o raid começou pontualmente à meia-noite, no Paço Municipal de Ribeirão Pires. A ordem de largada seguiu o número de porta dos veículos. Logo no começo da trilha, os competidores já enfrentaram uma subida que estava muito escorregadia, devido à chuva que caiu durante toda a semana. Os menos habilidosos e sem pneus especiais para lama precisaram de muita paciência e ajuda do pessoal de apoio para seguir caminho.

Depois de transpor a primeira dificuldade, cerca de um quilômetro adiante havia mais um grande atoleiro, onde os jipes que encalhavam eram puxados pelo guincho de um dos carros da organização.

“Com 10 minutos de prova, já encontramos uma fila de carros e ficamos nela durante uma hora. A trilha foi bem legal, mas a navegação ficou um pouco prejudicada por causa da neblina, que quando baixou ninguém conseguiu enxergar mais nada”, disse Reginaldo Costa, navegador de Andréa Lasevitch, do Troller número 15, que tinha como “Zequinha” Babi Lasevitch, mãe da piloto.

“Fizemos o curso de pilotagem off road do Jeep Clube do Brasil e este raid foi uma ótima oportunidade para colocarmos em prática tudo que aprendemos. Desci do carro, coloquei o pé na lama e ajudei o navegador a desatolar o jipe”, conta Babi, que junto com a dupla participou da etapa de Curitiba da Copa Troller Sudeste.

E foi também por causa da neblina que o jipe Niva, número 42, capotou no quilômetro 35. O piloto Antônio Nosch e o navegador Igor estavam contentes por terem conseguido sair ilesos.

Já o Niva teve o pára-brisa e um dos vidros laterais quebrados. “Estávamos em uma ponte muito estreita quando a neblina baixou. De um lado tinha a represa e do outro um brejo, onde caímos. O carro capotou duas vezes e ficamos de cabeça para baixo. Um competidor nos ajudou a desvirar o jipe e conseguimos continuar até o fim da trilha”, conta Nosch, que é de Mauá e está acostumado com as trilhas da região.

Antônio é mecânico e esta foi sua primeira prova como piloto do Niva, que era de um amigo que também participa dos raids do Jeep Clube do Brasil.

“Sempre participei das provas, mas como navegador. Meu amigo comprou um Troller e me vendeu o Niva. Esta é a segunda vez que este carro capota em um Raid da Meia-Noite”, conta o mecânico, que comemorou muito ao constatar que, pelo menos, os vidros elétricos do carro continuavam funcionando depois da capotagem.

Sem trecho extra

A organização tinha preparado uma prova sem muitas dificuldades, deixando os trechos mais complicados para o final, só para quem quisesse testar o veículo e a habilidade ao volante. No entanto, com a chuva durante a semana, a trilha ficou tão difícil que nenhum competidor quis enfrentar os oito quilômetros opcionais, só com trechos bem pesados.

“Imprevistos acontecem em toda prova. Procuramos fazer uma prova fácil, mas os carros enroscaram em lugares que não costumam apresentar problemas. Calculamos que cada veículo deveria percorrer a trilha em até cinco horas, mas nenhum competidor conseguiu sair neste tempo.

Assim é o Raid da Meia-Noite”, conta Ricardo Maia, diretor técnico do Jeep Clube do Brasil e responsável pelo levantamento do percurso do evento. O último carro saiu da trilha às 11 horas da manhã do último sábado.

Os resultados da competição só serão divulgados na próxima sexta-feira, durante a festa de fim de ano do Jeep Clube do Brasil. Os cinco primeiros colocados receberão prêmios. O primeiro lugar leva um jogo de quatro pneus da Goodyear; o segundo, um par de bancos San Marino; o terceiro e o quarto lugares, um kit off road (composto por luvas, cinta, polia e manilha); e o quinto, um cinto de segurança de quatro pontos.

O 18º Raid da Meia-Noite foi organizado pela Mesa Quatro Comunicações, em parceria com o Jeep Clube do Brasil. O patrocínio foi de Goodyear e Bardahl.

Fonte: ZDL de Comunicação

  
  

Publicado por em