Olímpicos são atração no Match Race Brasil

A segunda edição do Match Race Brasil, competição entre veleiros 40.7, foi aberta na quinta-feira, no Iate Clube de Armação dos Búzios, no Rio de Janeiro. A primeira etapa da competição, disputada no sistema barco contra barco, terá como atração dez dos

  
  

A segunda edição do Match Race Brasil, competição entre veleiros 40.7, foi aberta na quinta-feira, no Iate Clube de Armação dos Búzios, no Rio de Janeiro. A primeira etapa da competição, disputada no sistema barco contra barco, terá como atração dez dos 14 velejadores que representarão o Brasil na Olimpíada de Atenas, em agosto.

A vela deu quatro das 12 medalhas olímpicas de ouro conquistadas pelo país em toda a história. Por isso, a esperança de um bom desempenho neste esporte na Grécia é muito grande.

Torben Grael, que competirá ao lado de Marcelo Ferreira na classe Star nos Jogos Olímpicos, tentará o icampeonato do Match Race Brasil. Ele comandará uma tripulação experiente em Búzios, com destaque para o tático Marcelo Ferreira e Kiko Pellicano. Torben vai tentar em Atenas a sua quinta medalha olímpica. Ele tem uma de ouro, uma de prata e duas de bronze.

“Apesar do foco neste início de temporada ser a classe Star, vamos tentar repetir a boa campanha do ano passado no Match Race, quando ganhamos todas as etapas”, comenta Torben, de 43 anos, dono também de seis títulos mundiais.

“Voltei terça-feira da Europa e agora é acertar um pouco o entrosamento da equipe durante a competição.”

Os outros olímpicos na competição são João Joca Signorini (Finn), Robert Scheidt (Laser), André Fonseca e Rodrigo Duarte (49er), Maurício Santa Cruz e João Carlos Jordão (Tornado), Fernanda Oliveira e Adriana Kostiw (470). As outras duas etapas estão marcadas entre 16 e 19 de setembro, em Ilhabela, e entre 18 e 21 de novembro, no Rio de Janeiro.

Novidades :

A participação de tripulações estrangeiras, a disputa da Copa Feminina e a realização de uma regata Pro-Am,reunindo profissionais e amadores, são algumas novidades do evento, que tem o objetivo de popularizar o esporte e atrair a atenção da grande mídia. Por isso, o torneio tem regras simples, regatas curtas e é disputado perto da costa para facilitar o acompanhamento do público.

O português Gustavo Lima, campeão mundial da classe Laser em 2003, e o argentino Torkel Borstrom, serão os comandantes das tripulações estrangeiras, convidadas especiais dos organizadores. Assim como no ano passado, as regatas serão disputadas em quatro Bénéteau 40.7, rigorosamente iguais, que serão sorteados aos participantes.

Já a Copa Feminina será disputada por quatro tripulações de quatro velejadoras em barcos J24. As comandantes serão Isabel Ficker, Isabela Malpighi,Caroline Bejar e Fernanda Oliveira. Já o Pro-Am será uma regata de flotilha, reunindo os quatro Bénéteau, no sábado à tarde.

Os barcos serão comandados por Torben Grael, Alan Adler, Robert Scheidt e Gustavo Lima. As tripulações serão compostas por três profissionais e sete ou oito amadores convidados.

Outra novidade é a participação de duas tripulações classificadas numa competição eliminatória, promovida pela Federação Brasileira de Vela e Motor (FBVM), em maio, na praia do Flamengo, no Rio de Janeiro.

O torneio, chamado de Brasil Match Cup, reuniu 12 tripulações em barcos J24 e as embarcações comandadas pelo paranaense Daniel Glomb e pelo carioca Maurício Santa Cruz garantiram vaga.

Além de Torben Grael, Gustavo Lima, Torkel Borstrom, Daniel Glomb e Maurício Santa Cruz, os outros comandantes serão Alan Adler, vice-campeão do ano passado, Joca Signorini e André Bochecha Fonseca. As oito equipes vão brigar pelos R$ 40 mil em prêmios por etapa (serão R$ 120 mil no total). Em Búzios, as regatas classificatórias, semifinais e finais serão disputadas em frente ao Iate Clube, na Praia dos Ossos.

Organizado pela Vela Brasil, empresa de marketing esportivo criada com o único propósito de desenvolver profissionalmente o iatismo, o Match Race usa as mesmas regras da Louis Vuitton Cup, classificatória para a America’s Cup, a competição de vela mais tradicional do mundo, com mais de 150 anos de história.

`A essência do Match Race é chegar à frente do adversário, sendo a tática de `marcar` o outro mais importante do que buscar a velocidade pura`, define Alan Adler ex-campeão mundial da classe Star, ganhador da medalha de prata na classe J24 nos Jogos Pan-Americanos de Santo Domingo, em 2003, e diretor da Vela Brasil. “Um dos grandes segredos é conseguir a melhor largada possível.”

O Match Race Brasil é uma realização da Vela Brasil, com supervisão da Federação Brasileira de Vela e Motor (FBVM) e apoio da Prefeitura Municipal de Búzios e do Iate Clube Armação dos Búzios. O patrocínio é da Vivo, Motorola, UBS, Varig, Braskem e Volvo.

As 12 medalhas olímpicas do Brasil

Ouro

Moscou/80
470 - Eduardo Penido/Marcos Soares
Tornado - Alex Welter/Lars Björkströn

Atlanta/96
Laser - Robert Scheidt
Star - Torben Grael/Marcelo Ferreira

Prata

Los Angeles/84
Soling - Torben Grael/Daniel Adler/Ronaldo Senft

Sydney/2000
Laser - Robert Scheidt

Bronze

México/68
Flying Dutchman - Reinaldo Conrad/Burkhard Cordes

Montreal/76
Flying Dutchman - Reinaldo Conrad/Peter Ficker

Seul/88
Star - Torben Grael/Nélson Falcão
Tornado - Lars Grael/Clínio de Freitas

Atlanta/96
Tornado - Lars Grael/Kiko Pellicano

Sydney/2000
Star - Torben Grael/Marcelo Ferreira

Fonte: ZDL de Comunicação

  
  

Publicado por em