Paterlini é bicampeão do Extra Distance 800k

Júlio Partelini (Memorial/Paterlini Bike) novamente foi o mais rápido na maior prova de ciclismo endurance do país, o Extra Distance 800K, disputado neste fim de semana em São Paulo. O santista correu na categoria solo e completou o desafio em 27h38min25s

  
  

Júlio Partelini (Memorial/Paterlini Bike) novamente foi o mais rápido na maior prova de ciclismo endurance do país, o Extra Distance 800K, disputado neste fim de semana em São Paulo. O santista correu na categoria solo e completou o desafio em 27h38min25seg, com média de 29,3 km/h.

Nas duplas, Quintino Cordeiro e Sérgio Bunioto (DHL-BK Sports) chegaram em primeiro, em 24h20min08seg e 33,33 km/h. Nos quartetos, os campeões foram Marcos Novello, Renato Valler Filho e os irmãos Rodrigo e Renato de Lucas (Team Sem Limite), em 21h41min12seg, com média de 37,3 km/h.

A largada da prova foi no Hipermercado Extra Tietê, na região Leste de São Paulo. João Paulo Diniz (Extra Distance/Flying Horse), membro do Conselho de Administração do Grupo Pão de Açúcar, deu início à prova.

Ele participou da categoria solo e saiu às 6 horas de sábado.Na mesma categoria competiram 22 ciclistas. Nas duplas foram 17 equipes e nos quartetos, 71, num total de 341 concorrentes.

Os competidores passaram por importantes rodovias do interior paulista como Ayrton Senna, Dom Pedro I, Anhangüera, Washington Luiz, Marechal Rondon e Castelo Branco, por onde retornaram à capital.

O final da prova aconteceu na manhã deste domingo, com chegada no Extra Anhangüera, onde todas as equipes comemoraram o término do desafio com muita champanhe.

Apesar de pequenos trechos de estradas sem acostamento, o que atrapalhou mais foi a forte chuva que caiu durante a madrugada, acompanhada de muito vento. Na categoria solo, a briga ficou entre os brasileiros Júlio Parterlini e Michel Bogli (Pão de Açúcar Club/Adidas), e o austríaco Valentim Zeller (Team Americas).

“Desta vez o percurso foi bem mais difícil, com muitas subidas e bastante vento. Treinei muito este ano e acabei rendendo abaixo do que esperava. A chuva forte na madrugada atrapalhou bastante”, contou Parterlini, que não estava se sentindo bem no início da prova e até fez uma rápida parada de 17 minutos para jantar.

Até a metade da prova, Paterlini e Michel estavam atrás do austríaco, que chegou a abrir 42 minutos sobre os adversários, mas não agüentou o ritmo e abandonou a competição.

“Depois da parada, aos poucos fui me animando e na metade da prova alcancei o Michel, que estava bem atrás do austríaco. Logo ele desistiu e eu o Michel corremos juntos até o final”, contou Partelini.

Na categoria solo, os melhores colocados por faixa etária e tempo mínimo ganharam vaga na Race Across América (Raam) 2005, 2006 e 2007. Parterlini garantiu seu lugar na prova norte-americana no ano passado, com a vitória do Extra Distance.

Ele pretende participar da prova nos EUA no ano que vem. “Agora quero buscar mais alguns patrocínios para correr a Raam de 2005 na categoria solo. Se não conseguir dinheiro suficiente, quero correr em equipe, se possível ao lado do Michel e do Zé Filho (um dos integrantes da equipe brasileira do Raam em 2004)”, completou.

Michel Bogli, que também repetiu a colocação do ano passado, ficou feliz de ter corrido junto com Partelini na última metade do percurso. “A presença do Paterlini me motivou bastante.

Em 2003, a prova foi solitária para nós dois. Agora foi bem mais legal. Eu e o Paterlini fizemos companhia um para o outro e isto nos ajudou a buscar o austríaco. Não parei nenhuma vez durante um período mais longo. Só parei dez vezes para um xixi rápido e não precisei nem descer da bike”, revelou o paulista radicado em Fortaleza, coordenador técnico do PA Club de Fortaleza.

“O percurso deste ano foi muito difícil. Conseguiram montar uma prova bem complicada, mas bem mais bonita do que a de 2003, com piso mais bem acabado. Acho que poderíamos repetir este percurso para 2005, pois muita gente no solo desistiu e ficaria motivada para treinar e superar todos os obstáculos na próxima edição”, completou Bogli.

Na categoria duplas, os campeões foram o professor de educação física Quintino Cordeiro e seu sócio Sérgio Bunioto. A dupla fez uma estratégia de revezamento rápido, em que cada um pedalava de uma a uma hora e meia por vez.

“Fizemos isso justamente para abrir uma vantagem na fase inicial. Na metade da prova, a chuva atrapalhou muito. Tudo ficou alagado e não conseguíamos ver nada, aumentando o risco de quedas. Fomos abrindo vantagem para os adversários e viemos forte até o final”, disse Cordeiro.

Outro destaque das duplas foi a equipe Brasil Telecom/ Unimonte/ Powerbar, formada pelos atletas paraolímpicos Rivaldo Martins e Roberto Carlos Silva. Rivaldo é amputado da perna esquerda e pedala utilizando uma prótese. Roberto é amputado do braço direito e não usa prótese. Ambos costumam disputar provas de triatlo e participaram das paraolimpíadas de Atlanta e Sidney. Rivaldo foi o único ciclista brasileiro nas Paraolimpíadas de Atenas.

“Esta prova foi muito dura. Erramos o caminho logo no começo e isso acabou tirando nosso ritmo. Viemos com o objetivo de completar o percurso. A prova foi difícil, mas disputar um ironman é muito mais”, contou Rivaldo.

A estratégia da dupla foi revezar de 30 em 30 minutos durante o dia e de duas em duas horas à noite. “Peguei chuva de madrugada, com muito vento lateral forte e acabei caindo. Largamos com um ritmo muito forte e isso acabou prejudicando também”, disse Roberto Carlos.

O Team Sem Limite, quarteto masculino campeão, foi puxado por Marcos Novello, ciclista que participou dos Jogos Pan-Americanos de Santo Domingo, e no início da prova fez a média surpreendente de 47 km/h.

“Nossa tática foi pedalar uma quilometragem que não desgastasse os membros da equipe, mas sempre em um ritmo forte. Estou treinando para a prova de contra-relógio da Volta de São Paulo, em janeiro, e por isso forcei bastante”, disse Novello, que participou da primeira edição do Extra Distance em 2003 e sua equipe ficou em nono na geral e oitavo na categoria quarteto masculino.

Para o ciclista, a prova deste ano foi mais dura do que a de 2003. “Desta vez tinha muito sobe e desce, o que desgasta muito. Sem contar o vento forte e as duas horas de chuva na madrugada, no pior trecho de estrada do percurso”, contou Novello, integrante da equipe de ciclismo de Americana e medalhista de prata e bronze no Pan-Americano de Ciclismo. Ele busca patrocínio para continuar se dedicando ao esporte.

Outro integrante da equipe foi o triatleta Rodrigo de Lucas, que já disputou um ironman e considera mais difícil o desafio de pedalar 800 quilômetros.

“O pior é ficar sem dormir. No ironman largamos e fazemos a prova direto, sem parar. Este pedala e pára acaba com qualquer um”, disse Rodrigo, que correu ao lado do irmão gêmeo Renato.

Nos quartetos, o destaque foi a participação da atleta olímpica e medalhista pan-americana Janildes Fernandes, que treina e compete na Itália. A ciclista fez parte da equipe Chevrolet, junto com João Uras, Alessandro Taltassori e Carlos Ferraro.

Mesmo sendo a única mulher da equipe, ela acabou ditando o ritmo durante a prova e garantindo o segundo lugar entre os quartetos mistos.

“O desafio foi muito difícil. A prova é realmente muito complicada e vai ficar para minha história”, disse a ciclista ao subir a rampa de chegada.

Classificação do Extra Distance 800 k (resultados extra-oficiais)

Solo

1º - Júlio Paterlini (Memorial/Paterlini Bike), 27h38min25 (média de 29,3 km/h)

2º - Michel Bogli (PA Club/Adidas), 27h39min09 (média de 29,3 km/h)

3º - Carlos César da Silva (Hot Wheels), 28h58min07 (média de 28 km/h)

Dupla

1º - Quintino Cordeiro e Sérgio Bunioto (DHL/BK Sports), 24h20min08 (média de 33,3 km/h)

2º - Fernando Sales e Delfim Quintas (ACF/Vit Shop/Power Full), 24h37min16 (média de 32,9 km/h)

3º - Ronaldo Mattar e Marcos Faria (TBW Brasil) , 26h03min30 (média de 31,1 km/h).

Quarteto Masculino

1º - Renato Valler Filho/Marcos Novello/ Rodrigo de Lucas/Renato de Lucas (Team Sem Limite), 21h41min12 (média de 37,3 km/h)

2º - Adriano Martins/Rodolfo Batista/Amilton de Souza/ Armando Camargo Filho (RAM/ KHS/ Elite Bike Campinas), 21h42min59 (média de 37,3 km/h)

3º - Marcelo Butenas/Vicente Mello/Fabrizio Giovannini/ Eduardo Shikasho (Natura/Butenas Assessoria), 21h49min48 (média de 37,1 km/h).

Quarteto Misto

1º - Camila Rodrigues/Marcos Teixeira/Henrique Nayume/Danilo Terra (Fuji Bikes/Ritchey/Ribeirão 2), 23h09min35 (média de 35 km/h)

2º - Janildes da Silva/João Uras/Alessandro Taltassori/Carlos Ferraro (Chevrolet), 24h17min48 (média de 33,3 km/h)

3º - Daniela Figueiredo/Antenor Veiga/Rui Avancini/Urwalei Oliveira (Piraque), 25h04min18 (média de 32,3 km/h).

O Extra Distance 800K foi uma iniciativa do Extra Hipermercados e contou com patrocínio de GU Energy Gel, Bombril, Flying Horse, água mineral Schincariol, Bavária sem álcool, Fuji Bikes, Toyota e Visa. A organização foi da Gaoytto de Luca Marketing e Eventos Esportivos.

Fonte: ZDL de Comunicação

  
  

Publicado por em