Poeira e emoção marcaram a prova de motocross em Cianorte

Sobraram emoção e poeira na sexta etapa do Campeonato Brasileiro, disputada no domingo na cidade de Cianorte (PR). A maior surpresa da prova foi a vitória de Fábio César Quartucci, na 60cc, a primeira na carreira do jovem piloto. Nas demais categorias

  
  

Sobraram emoção e poeira na sexta etapa do Campeonato Brasileiro, disputada no domingo na
cidade de Cianorte (PR). A maior surpresa da prova foi a vitória de Fábio César Quartucci, na 60cc, a primeira na
carreira do jovem piloto.

Nas demais categorias, Wellington Garcia Mattos colocou uma mão na taça da 80cc ao conquistar a quinta vitória na temporada. Agora ele precisa de apenas um quinto lugar para ser campeão. Eduardo Saçaki, o ‘Japonês Voador’, ganhou a Open, Antonio Jorge Balbi venceu na 250cc. A 125cc foi decidida pelo júri.

Rafael Zenni, que chegou em primeiro lugar, foi desclassificado por atitude anti-desportiva e Kristofer Florenzano, considerado vencedor, suspenso por 30 dias em qualquer competição nacional por tentativa de agressão a Zenni após a bandeirada.

A categoria Open foi marcada pela vitória de ponta a ponta do ‘Japonês Voador’, que liderou toda a prova. Paranaense de nascimento, mas morando atualmente em Botucatu (SP),Saçaki revelou toda a sua emoção pela vitória.

“Ganhar ‘em casa’ é sempre mais legal. Eu vou guardar a roupa que eu usei em Cianorte junto com o troféu, pois esta terra vermelha do Paraná não sai de forma alguma”, afirmou.

60cc

Na categoria 60cc, a surpresa foi a vitória de Fábio César Quartucci, a primeira na carreira. O piloto emocionou o público que superlotou a Estação de Eventos de Cianorte, ao terminar a corrida chorando.

“Não consigo controlar a emoção e nem sei falar o que passa na minha cabeça. A única coisa que sinto é alegria”, afirmou o vencedor, que prometeu novas surpresas nas duas provas que ainda faltam para o encerramento do calendário. “Vamos buscar mais vitórias, o campeonato ainda não terminou”.

Mão na taça

O goiano Wellington Garcia Mattos ficou muito perto da conquista do título de campeão brasileiro com a vitória na 80cc, sua quinta na temporada 2004, e precisa de apenas
um 12º lugar na próxima etapa, em Cuiabá (MT), 28 e 29 de agosto, para poder comemorar a conquista com uma prova de antecedência.

Em Cianorte, Wellington caiu na largada e foi parar nas últimas posições. Com isso, o piloto goiano fez uma corrida de recuperação até o salto de chegada na primeira
colocação.

“Caí nas ‘costelas’, perdi um tempo, mas depois o sangue foi esquentando de novo e consegui passar o Thales faltando apenas uma volta. Terminei a corrida com dores nos braços e nas pernas, tamanho foi o esforço.

Para ser campeão brasileiro na 80 só preciso de um 12º lugar na prova de Cuiabá”, afirmou.

250cc

Na 250 se repetiu a ‘briga mineira’ entre Antonio Jorge Balbi e Massoud Nassar. Balbi foi o vencedor e Nassar, que chegou a andar em primeiro, terminou na terceira colocação, com João Paulino da Silva Júnior, o Marronzinho, entre os dois.

“Foi uma corrida bem difícil, principalmente porque a pista é bastante complicada. Prova disso foi a grande quantidade de tombos nos treinos de sábado. Mas no dia da corrida larguei bem e mantive meu ritmo até metade da prova.

Enquanto isso, fiquei estudando o melhor traçado e o próprio Massoud Nassar, que chegou a assumir a liderança na prova. Com essa vitória ampliei a vantagem no campeonato em relação a ele (136 pontos contra 103)”, disse Balbi.

125cc

O resultado da categoria 125cc foi definido pelo júri da prova, com a desclassificação de Rafael Zenni, que havia vencido a prova e a suspensão de Kristofer Florenzano por 30 dias de competições nacionais.

O atrito entre os dois começou na pista, quando Zenni - que vinha atrás de Florenzano acertou a moto do concorrente,derrubando-o, e terminou após a bandeirada, quando com o dedo em riste - discutiram e tiveram de ser contidos pelos fiscais de pista.

O juri entendeu que Zenni agiu de forma intencional ao derrubar o adversário e por isso foi desclassificado. Por outro lado, considerou atitude anti-desportiva a ação de
Florenzano, que empurrou o adversário após a bandeirada.O caso agora será analisado pelo Conselho Disciplinar da CBM.

`O motocross é um esporte de toque. Foi um choque na pista e eu quase caí também. Mas o Florenzano perdeu a razão quando ele quis me agredir após a corrida. Eu até tentei dar a mão para ele, mas ele não retribuiu`, acusou
Rafael Zenni após a corrida. Florenzano rebateu Rafael.

`Sempre tivemos brigas saudáveis e legais na pista. Mas certas palavras você tem que falar fora da corrida, não dentro do circuito`, afirmou Florenzano, acusando o concorrente de te-lo `xingado`.

`A decisão do júri serviu para dar exemplo aos pilotos porque não queremos que esse tipo de atitude aconteça mais nas provas nacionais. Agora, quando alguém pensar em brigar com outro piloto, ele vai pensar bem antes`,afirmou Denglar Pires, presidente do júri do Campeonato Brasileiro de Motocross.

Campeonato Brasileiro

Sexta etapa, em Cianorte (PR)

Resultados:

Open
1 – Eduardo Saçaki – 20 voltas
2 – Milton Becker – a 7s22
3 – Cássio Garcia – a 11s35
4 – Ricardo Raspa – a 1min11s35
5 – Leonardo Pedro Muller – a 1min12s47

60cc
1 – Fábio Quartucci – 10 voltas
2 – Gustavo Focchesato – a 18s28
3 – Hector Freitas Assunção – a 23s33
4 – Gabriel Montenegro – a 40s69
5 – Rodrigo Andrade Santana – a 1min15s79

80cc
1 – Wellington Garcia Mattos 14 voltas
2 – Thales Vilardi – a 2s17
3 – Jean Carlos Ramos – a 6s12
4 – César Augusto Popinhak – a 6s50
5 – Pedro Ramos – a 38s24

125cc
1 – Kristofer Florenzano – 20 voltas
2 – Marcello Ferreira de Lima – a 0s19
3 – Rodrigo Serlhost – a 0s21
4 – Rodrigo Dias Siqueira - a 1s04
5 – Daniel Tolentino Mattos – a 1s019

250cc
1 – Antonio Jorge Balbi – 20 voltas
2 – João Paulino da Silva Júnior – a 6s35
3 – Massoud Nassar Neto – a 13s96
4 – Roosevelt de Freitas – a 27s05
5 – Marcos Campos Cordeiro – a 1min41s83

Classificação do Campeonato Brasileiro

Open
1 - Milton Becker – 135 pontos
2 – Eduardo Saçaki – 118
3 – Cássio Garcia – 81
4 – Ricardo Raspa – 69
5 – Jaques Pich – 58

60cc
1 – Hector Freitas Assunção – 109 pontos
2 – Gabriel Gentil – 108
3 – Gustavo Focchesato – 85
4 – Gabriel Montenegro – 81
5 – Fabio Quartucci - 81

80cc
1 – Wellington Garcia Mattos – 138 pontos
2 – Jean Carlo Ramos – 92
3 – Lucas Cattoni – 84
4 – Thales Vilardi – 76
5 – Cesar Augusto Popinhak – 63

125cc
1 – Kristofer Florenzano – 126 pontos
2 – Marcello Ferreira de Lima – 96
3 – Rafael Zenni – 91
4 – Rodrigo Dias Siqueira – 72
5 – Rodrigo Serlhost – 55

250cc
1 – Antonio Jorge Balbi – 136 pontos
2 – Massoud Nassar Neto – 103
3 – João Paulino da Silva – 89
4 – Roosevelt de Freitas – 80
5 – Paulo Stédile - 67

O Campeonato Brasileiro de Motocross é organizado e promovido pela CBM (Confederação Brasileira de Motociclismo) e tem patrocínio da Honda, Mobil e Dunas Race. Co-patrocínio de Expresso Joaçaba, Yamaha e Pirelli.

Fonte: VipComm Assessoria de Imprensa

  
  

Publicado por em