Príncipe dinamarquês entregou o Troféu de Melhor do Mundo a Robert Scheidt

O bicampeão olímpico e heptacampeão mundial Robert Scheidt recebeu nesta última terça-feira o troféu de melhor velejador do mundo em 2004 segundo a Federação Internacional de Vela (ISAF). A cerimônia, que aconteceu em Copenhague, na Dinamarca, também

  
  

O bicampeão olímpico e heptacampeão mundial Robert Scheidt recebeu nesta última terça-feira o troféu de melhor velejador do mundo em 2004 segundo a Federação Internacional de Vela (ISAF).

A cerimônia, que aconteceu em Copenhague, na Dinamarca, também marcou a premiação das gregas Sofia Bekatorou e Emilia Tsoulfa, medalhas de ouro na Olimpíada de Atenas na classe 470.

Eleito também o melhor do mundo em 2001, Scheidt recebeu o troféu das mãos do príncipe Fredrik, da Dinamarca.

“Ser eleito o melhor velejador do mundo em 2004 é sensacional. Estou muito orgulhoso do ano que tive.Gostaria de agradecer minha família, meus patrocinadores (Banco do Brasi, Medley Genéricos, Varig, Volvo Car Brasil e Petrobras) e meu técnico (Cláudio Bieckarck), que tanto me ajudaram na caminhada rumo ao topo do mundo na vela.”

Para ser novamente coroado como melhor do mundo, Robert superou todos os medalhistas de ouro em Atenas, inclusive os também bicampeões olímpicos Torben Grael e Marcelo Ferreira e o inglês Ben Ainslie.Também concorreram outros três velejadores de classes não-olímpicas.

Scheidt foi o mais votado entre as 115 federações nacionais filiadas à ISAF. Para apontar o vencedor, foi levado em conta o período entre setembro de 2003 e agosto de 2004. Nesse tempo, sempre na classe Laser, Scheidt foi vice mundial em Cadiz, na Espanha, e venceu os campeonatos Centro-Sul-Americano,Semana de Hyères, na França, Semana de Kiel, na Alemanha, Mundial de Bodrum, na Turquia, e Olimpíada de Atenas.

“A Laser é muito popular em todo o mundo, o que talvez explique o grande número de votos que recebi das federações nacionais. É a coroação da temporada, o maior prêmio do iatismo no mundo, o Oscar da vela”, disse Robert, que segue imbatível em 2004.

Na classe Laser foram dez títulos: campeonatos
Brasileiro, Sudeste Brasileiro, Centro-Sul-Americano, Cricket Match Race, Pré-Olímpica de Búzios, Mundial de Bodrum, na Turquia, Semanas de Kiel, na Alemanha, e Hyères, na França, Campeonato Grego e Olimpíada de Atenas. Em Oceano, Scheidt conquistou o Brasileiro da classe 40.7 com o veleiro baiano Odoyá. Já na Star, com o proeiro Bruno Prada, ele venceu as Taças Alberto Ravazzano e Oscar Weckerle e a Semana de Vela do Rio de Janeiro.

Além de Robert Scheidt, também foram eleitos duas vezes o melhor iatista do mundo o inglês Ben Ainslie,em 1998 e 2002, e o neozelandês Russell Coutts, em 1995 e 2003.

A premiação deste ano teve a participação de mais de 500 convidados de 50 países, incluindo velejadores internacionais e importantes personalidades do mundo da vela.

A apresentação ficou por conta do dinamarquês Jesper Bank, três vezes medalhista olímpico. Robert e as gregas Sofia e Emilia foram presenteados com um relógio Rolex e o troféu de melhor iatista do mundo, em forma do globo terrestre, mas com cinco velas representando os continentes.

Robert Scheidt volta ao Brasil na sexta-feira para a disputa do Campeonato do 7º Distrito de Star, que acontece de 12 a 15 de novembro, no Rio de Janeiro. No outro final de semana, o desafio do melhor do mundo será a terceira e decisiva etapa do Match Race Brasil, também na Cidade Maravilhosa.

Os melhores do mundo segundo a ISAF

1994 - Peter Blake (Nova Zelândia) e Robin Knox-Johnston (Inglaterra)
1995 - Russell Coutts (Nova Zelândia)
1996 - Jochen Schümann (Alemanha)
1997 - Pete Goss (Inglaterra)
1998 - Ben Ainslie (Inglaterra)
1999 - Mateusz Kusznierewicz (Polônia)
2000 - Mark Reynolds e Magnus Liljedahl (Estados Unidos)
2001 - Robert Scheidt (BRA)
2002 - Ben Ainslie (Inglaterra)
2003 - Russell Coutts (Nova Zelândia)
2004 - Robert Scheidt (BRA)

Fonte: ZDL de Comunicação

  
  

Publicado por em