Robert Scheidt é novamente finalista do Prêmio Brasil Olímpico

Pela quarta vez em cinco anos, o velejador Robert Scheidt é finalista do Prêmio Brasil Olímpico, uma iniciativa do Comitê Olímpico Brasileiro (COB) para apontar o melhor atleta do país do ano. Hexacampeão mundial e dono de duas medalhas olímpicas (ouro

  
  

Pela quarta vez em cinco anos, o velejador Robert Scheidt é finalista do Prêmio Brasil Olímpico, uma iniciativa do Comitê Olímpico Brasileiro (COB) para apontar o melhor atleta do país do ano.

Hexacampeão mundial e dono de duas medalhas olímpicas (ouro em Atlanta/96 e prata em Sydney/2000)na classe Laser, Scheidt vai disputar o prêmio com o ex-tenista e amigo particular Fernando Meligeni e o jogador de vôlei Giovane.

No feminino, a disputa será entre a ginasta Daiane dos Santos, a jogadora de basquete Janeth e Juliana Veloso, dos saltos ornamentais.

Os vencedores serão definidos por meio de votação pela internet, até 14 de dezembro. O anúncio dos premiados acontece em 15 de dezembro, no Rio de Janeiro.

“É uma honra concorrer ao prêmio de melhor atleta do ano mais uma vez. Isso comprova que 2003 foi um ano muito bom. Apesar de não ter conseguido o hepta mundial, fui tricampeão pan-americano,pentacampeão da Semana de Spa, na Holanda, e conquistei o 100º título de minha carreira na Semana Pré-Olímpica de Atenas”, afirma o iatista, patrocinado pelo Banco do Brasil, Bingo Augusta e Varig e integrante da Equipe Petrobras de Vela.

Para conquistar o prêmio do COB pela segunda vez, Scheidt sabe que não terá facilidade para superar os‘adversários’.

“Tanto o Giovane quanto o Meligeni tiveram performances boas em 2003, mas só o fato de eu estar na final já é motivo de satisfação”, diz.

Os finalistas do Prêmio Brasil Olímpico foram escolhidos por um colégio eleitoral formado por dirigentes,personalidades do esporte e jornalistas, com base em uma lista tríplice indicada pelas Confederações Brasileiras esportivas. Além de concorrer ao prêmio de melhor atleta do ano, Scheidt foi eleito o melhor velejador de 2003.

Esta é a quinta edição do Prêmio Brasil Olímpico, e Scheidt está na final pela quarta vez (foi primeiro em 2001 e finalista em 2000 e 2002). O tenista Gustavo Kuerten venceu em 1999 e 2000 e o jogador de vôlei Nalbert ficou com o prêmio no ano passado.

Em 2003, Scheidt disputou dez competições na classe Laser e conquistou seis títulos (Paulista pela oitava vez, Brasileiro pela nona, Semana Pré-Pan-Americana de Porto Alegre, pentacampeonato da Semana de Spa, na Holanda, tricampeonato no Pan de Santo Domingo e campeão da Pré-Olímpica de Atenas). Ele foi ainda vice da Semana de Kiel, na Alemanha, e no Mundial de Cadiz, na Espanha, quarto na Europa Cup,também na Holanda, e sétimo na Semana Olímpica de Hyères, na França.

Fonte: ZDL de Comunicação

  
  

Publicado por em