Rodrigo Bastos compete pela primeira vez após a Olímpiada

Medalha de prata na modalidade fossa olímpica no Pan-Americano de Santo Domingo em 2003 e único representante do tiro esportivo brasileiro na Olimpíada de Atenas, Rodrigo Bastos volta a competir neste final de semana. O atirador paranaense, que é patr

  
  

Medalha de prata na modalidade fossa olímpica no Pan-Americano de Santo Domingo em 2003 e único representante do tiro esportivo brasileiro na Olimpíada de Atenas, Rodrigo Bastos volta a competir neste final de semana.

O atirador paranaense, que é patrocinado pela Companhia Brasileira de Cartuchos (CBC), será a principal atração da sexta etapa do Campeonato Brasileiro, que será disputado de sexta-feira a domingo no Clube Paranaense de Tiro, em Curitiba (PR). Rodrigo vai tentar o décimo título da competição.

“Será minha primeira disputa oficial desde os Jogos de Atenas. Estou com vontade de rever os amigos, contar a experiência que tive na Grécia e competir do lado de casa”, afirma Rodrigo, de 37 anos, que reside em Guarapuava (PR).

“Considero positivo o resultado que obtive em Atenas e, a partir de 2005, já começo a pensar em Pequim/2008.”

O Campeonato Brasileiro de Tiro Esportivo começa na sexta-feira e termina domingo, deve reunir aproximadamente 50 atiradores e terá disputas nas três modalidades olímpicas: skeet, fossa olímpica e fossa dublê. Rodrigo compete no sábado e domingo.

As etapas anteriores do Brasileiro aconteceram em Americana (SP), Brasília (DF), Bento Gonçalves (RS),Fortaleza (CE) e Belo Horizonte (MG). A final acontece de 3 a 5 de dezembro, novamente em Americana.

Rodrigo Bastos participaria inicialmente do Campeonato Sul-Americano, que também acontece neste final de semana, na Argentina.

“Por ser pouco depois da Olimpíada, acho que essa competição não será tão forte tecnicamente. Então optei pelo Brasileiro, que deve reunir bons adversários”, explica o atirador, bronze no Pan de Indianápolis/87, quarto colocado em Havana/91 e sétimo nos Jogos de Seul, em 1988.

Rodrigo reconheceu que o fato de ser o único atirador brasileiro na Olimpíada atrapalhou seu desempenho, mas já está com a cabeça nas próximas competições.

“A responsabilidade muito grande pesou um pouco em Atenas. Mas agora é olhar para frente. Estou treinando apenas o estritamente necessário, mas já pensando nas provas classificatórias para Pequim que começam em 2005”.

Janice Teixeira disputa Sul-Americano

Enquanto Rodrigo atira no Brasil, a gaúcha Janice Teixeira representa o país no Sul-Americano de Buenos Aires, na Argentina. A medalha de bronze na fossa olímpica no Pan de Santo Domingo compete sexta e sábado.

“Estou bem tranqüila e confiante para mais essa competição. Atirar na Argentina é sempre bom, fica aqui do lado. É um lugar onde gosto bastante de competir”, afirma Janice, de 42 anos, também patrocinada pela Companhia Brasileira de Cartuchos (CBC) e que reside em Bento Gonçalves.

Fonte: ZDL de Comunicação

  
  

Publicado por em