Rota do Aço comemora sucesso e anuncia segunda edição

A primeira edição da Rota do Aço Regata de Vela Oceânica, que reuniu 36 veleiros em duas etapas (Vitória-Rio de Janeiro e Rio de Janeiro-São Francisco do Sul) num total de 1.171 quilômetros, terminou no domingo com a realização da festa de premiação do

  
  

A primeira edição da Rota do Aço Regata de Vela Oceânica, que reuniu 36 veleiros em duas etapas (Vitória-Rio de Janeiro e Rio de Janeiro-São Francisco do Sul) num total de 1.171 quilômetros, terminou no domingo com a realização da festa de premiação dos melhores velejadores da competição, que foi um verdadeiro sucesso. Tanto assim que os patrocinadores confirmaram a realização da segunda edição, em 2005.

A regata, um tributo à navegação de cabotagem, que reproduz o caminho das bobinas de aço produzidas pela Companhia Siderúrgica de Tubarão, em Serra (ES), até a fábrica de laminação da Vega do Sul, em São Francisco do Sul, teve um grande diferencial.

Os velejadores ganharam uma ajuda de custo que variou de R$ 3,5 mil a R$ 8 mil, dependendo do momento de inscrição na competição, além de terem concorrido a sete patrocínios de R$ 10 mil, distribuídos por sorteio.

Antes da grande festa, realizada numa área montada ao lado ao Museu Nacional do Mar, estava prevista uma regata comemorativa, com a participação de todos os veleiros inscritos.

Mas a chuva forte que caiu pela manhã e o mar agitado obrigaram o cancelamento do evento, que fazia parte dos festejos pelos 500 anos de fundação da cidade de São Francisco do Sul.

Os tripulantes do veleiro carioca Maximus/Ferrostal, campeão na classificação geral, foram os mais aplaudidos na cerimônia de premiação, que reuniu cerca de 400 pessoas. A embarcação, um IMX 45 pés, de propriedade de Hélio Lyra de Aquino Jr, totalizou apenas 3 pontos perdidos nas duas pernas da regata.

O comandante Gastão Brun, Forró/Demag, fita azul das duas etapas, também ganhou um prêmio especial, além do troféu de vice-campeão geral. Outro prêmio especial foi dado aos barcos de aço participantes, ao velejador mais jovem (Júlio César Gusmarques, de 14 anos, tripulante do Até Logo) e ao mais velho (Fernando Pimentel Duarte, de 74 anos, do Forró/Demag).

“O balanço final é fantástico porque todo mundo saiu feliz do evento, desde os velejadores até os patrocinadores”, comentou Pepito Colomer, da DS Comunicação, organizadora da regata.

“Tivemos 36 barcos na prova, o que é um sucesso absoluto em se tratando da primeira edição de uma competição.” Para 2005, a expectativa é de um número maior de participantes.

“Essa regata foi organizada em praticamente três meses. Para a próxima, teremos certamente mais tempo para trabalhar. Já estamos até preocupados com a infra-estrutura necessária para atender mais barcos e mais tripulantes.”

Satisfeito com o sucesso da regata, o presidente do grupo Arcelor do Brasil, Gérard Bernard, que foi o idealizador do evento, acha que existem caminhos para aprimorar ainda
mais a competição.

“Se fôssemos profissionais da vela, talvez não tivéssemos escolhido esse trajeto”, lembrou. “Mas a competição deu tão certo, agradando a todos, que não pode deixar de ser realizada novamente.”

O vice-almirante Carlos Afonso Pierantonio Gamboa, comandante do 8o. Distrito Naval, concorda com o executivo. Para ele, a regata tem tudo para se tornar um evento permanente no calendário de vela no Brasil.

“A competição reúne condições excepcionais de navegação”, disse. O apoio da Marinha proporcionou tranqüilidade para velejar com total segurança nas duas pernas.”

O secretário da Juventude, Esportes e Lazer do Estado de São Paulo e integrante da comissão de honra da regata, Lars Grael, destacou o sucesso da primeira edição da Rota do Aço.

“Nunca no Brasil tivemos uma regata de vela oceânica que em sua primeira edição agregasse volume tão grande de embarcações, combinando a qualidade de excelentes barcos e grandes velejadores”, lembrou. “Espero no ano que vem não ser o patrono e sim estar num barco como comandante.”

Ordem final de chegada no Capri Iate Clube, em São Francisco do Sul

1.) Forró/Demag 12h08min58 de quinta em 45h43min58
2.) Swister/Arcelor 14h05min13 de quinta em 47h 40min13
3.) Maximus/Ferrostal 15h01min51 de quinta em 48h36min51
4.) Marlim/Transpetro 20h57min15 de quinta em 54h43min15
5.) Obelix/Vega do Sul 21h20min51 de quinta em 54h55min51
6.) Mare Nostrum 23h21min39 de quinta em 56h56min39
7.) Inaê III/Alstom 23h26min23 de quinta em 57h01min23
8.) Lupiê II 1h09min06 de sexta em 58h44min06
9.) VMax-3 1h57min58 de sexta em 59h32min58
10.) Kerubim 3h26min21 de sexta em 61h01min21
11.) Martim Cererê 5h12min26 de sexta em 62h47min26
12.) Malolu/VAI MS 11h50min14 de sexta em 69h25min14
13.) Silence/Paul Wurth 16h37min54 de sexta 74h12min54
14.) Sous Le Vent V 16h46min58 de sexta em 74h21min58
15.) Até Logo 17h01min07 de sexta em 74h36min07
16.) La Nina/Norsul 18h01min03 de sexta em 75h 36min03
17.) Zimbro 23h04min37 de sexta em 80h39min37
18.) Rajada 23h32min15 de sexta em 81h07min15
19.) Albatroz/CST 23h43min20 de sexta 81h18min20
20.) Pimpinela 23h51min36 de sexta em 81h26min36
21.) Mood Índigo 23h51min38 em 81h26min38
22.) Namastê 1/Magnesita 23h53min40 de sexta em 81h28min40
23.) Gato Xadrez 23h54min18 de sexta em 81h29min18
24.) Nigrei 0h23min23 em 81h58min23
25.) Mobius 0h51min37 de sábado em 82h26min37
26.) Tinker Toy 1h04min37 de sábado em 82h39min37
27.) Picuiu 7h40min14 de sábado em 89h15min14
28.) Kanaloa 8h22min44 de sábado em 89h57min44
29.) Normandie 8h23min42 de sábado em 89h58min42
30.) Mestre Rosalino 17h10min14 de sábado em 98h 45min14
31.) Atoa 1/White Martins 17h17min10 de sábado em 98h52min10
32.) Dose Dupla/Acesita 17h27min02 de sábado em 99h02min02

-Lula chegou a motor na tarde de sexta, desistindo desta etapa

- Yanam, Txori e Nirvana não completaram a segunda perna

Classificação final da segunda perna (tempo corrigido)

Classe ORC

1.) Maximus/Ferrostal - 52h20min20
2.) Forró/Demag - 52h39min26
3.) Marlin/Transpetro - 53h55min35
4.) Inaê 3/Alstom - 53h58min25
5.) Swister/Arcelor - 54h46min21
6.) Martin Cererê - 62h01min32
7.) Malolu/VAI MS 63h30min15

Classe RGS

1.) Obelix/Vega do Sul - 53h55min12
2.) Kerubim - 62h12min23
3.) Sous Le Vent V 64h38min47
4.) Rajada 68h06min33
5.) Gato Xadrez 68h52min26
6.) Namastê 1/Magnesita 69h07min33
7.) Pimpinela 69h12min09
8.) La Nina/Norsul 74h35min43
9.) Zimbro 75h08min35
10.) Albatroz/CST 79h59min75
11.) Mestre Rosalino 82h30min32
12.) Atoa 1/White Martins 82h41min04
13.) Picuiú 83h41min36
14.) Normandie 84h29min55

Classe Aberta Monocasco

1.) Lupie II - 56h01min53
2.) Marenostrum 58h42min14
3.) Vmax3 - 62h40min33
4.) Nigrei 74h27min41
5.) Silence/Paul Wurth 74h48min25
6.) Mood Índigo/Belgo Mineira 75h10min41
7.) Tinker Toy 85h25min33
8.) Kanaloa 92h23min37

Classe Aberta Multicasco

1.) Até Logo 73h00min30
2.) Mobius 86h13min51
3.) Dose Dupla/Acesita 97h40min26

Resultado final da Rota do Aço

Classe ORC

1.) Maximus/Ferrostal, 3 pontos perdidos
2.) Forró/Demag, 7
3.) InaêIII/Alstom, 10
4.) Marlim/Transpetro, 13
5.) Swister/Arcelor, 14
6.) Martim Cererê, 17
7.) Malolu/VAI MS, 20

Classe RGS

1.) Obelix/Veja do Sul, 4 pontos perdidos
2.) Kerubim, 5
3.) Rajada, 11
4.) Sous Le Vent V, 18
5.) Pimpinela, 18
6.) Gato Xadrez, 18
7.) Zimbro, 23
8) Namastê 1/Magnesita, 23
9.) La Nina/Norsul, 28
10.) Albatroz/CST, 30
11.) Atoa1/White Martins, 31
12.) Mestre Rosalino, 34
13) Picuiú, 35
14.) Lula, 36
15.) Normandie, 40
16.) Yanam, 42

Classe Aberta Monocasco

1.) Lupie II, 3 pontos perdidos
2.) Maré Nostrum, 6
3.) VMax-3, 9
4.) Nigrei, 15
5.) Silence/Paul Wurth, 16
6.) Mood Índigo/Belgo Mineira, 20
7.) Txori, 22
8.) Nirvana, 23
9.) Tinker Toy, 23
10.) Kanaloa, 25

Classe Aberta Multicasco

1.) Até Logo, 3
2.) Mobius, 6
3.) Dose Dupla/Acesita, 9

A Rota do Aço :

Regata de Vela Oceânica foi uma realização da Arcelor, CST, Vega do Sul e Norsul, com organização da DS Comunicação e apoio da Gol Linhas Aéreas, Federação Brasileira de Vela e Motor (FBVM), da Associação Brasileira de Veleiros de Oceano (ABVO), da Marinha do Brasil, dos governos do Espírito Santo e Santa Catarina, das prefeituras de Vitória e São Francisco do Sul, do Iate Clube do Espírito Santo, do Iate Clube do Rio de Janeiro e do Capri Iate Clube.

Fonte: ZDL de Comunicação

  
  

Publicado por em