Scheidt comemora o 11o título brasileiro de laser

Apesar da disputa simultânea da classe Star, o bicampeão olímpico e hepta mundial Robert Scheidt mostrou que continua mandando na Laser no Brasil. Nesta sexta-feira, em Ilhabela, litoral norte de São Paulo, Scheidt obteve mais uma marca histórica ao conqu

  
  

Apesar da disputa simultânea da classe Star, o bicampeão olímpico e hepta mundial Robert Scheidt mostrou que continua mandando na Laser no Brasil. Nesta sexta-feira, em Ilhabela, litoral norte de São Paulo, Scheidt obteve mais uma marca histórica ao conquistar o campeonato nacional pela 11ª vez, a oitava consecutiva.

O título desta sexta é o 117º da carreira do vice-líder do ranking mundial, sendo o 97º na classe que o tornou mundialmente conhecido.

“É sempre uma incógnita disputar uma competição deste nível após uma jornada olímpica como a do ano passado, e meu desempenho foi melhor que o esperado”, disse Scheidt, patrocinado por Banco do Brasil, Brasil Telecom, Medley Genéricos, Varig e porta-voz da Volvo Ocean Race. Os demais títulos nacionais do velejador foram conquistados em 1992, 1994, 1995, 1998, 1999, 2000, 2001, 2002, 2003 e 2004.

Nesta sexta, Scheidt venceu a primeira regata do dia, resultado que já lhe garantiu o título, uma vez que também vencera as sete provas anteriores. Segundo colocado na segunda regata do dia, atrás apenas do
argentino Diego Romero, Robert não participou da última regata do campeonato, que foi disputada no último sábado, já que tem direito a dois descartes. O vice-campeonato ficou com o catarinense Bruno Fontes .

“Fiquei bem animado com mais esse título, e agora só quero saber de descansar uma semana. O Mundial de Star está aí e já vou começar a pensar na competição”, disse o melhor velejador do mundo em 2001 e 2004 segundo a Federação Internacional de Vela (ISAF). Ao lado do proeiro Bruno Prada, Scheidt disputa o Mundial de Star em Buenos Aires, na Argentina, a partir de 12 de fevereiro.

A edição deste ano do Campeonato Brasileiro de Laser foi a 31ª da história. O segundo velejador mais vitorioso da competição é Peter Tanscheit, ídolo de Robert, que acumula cinco títulos (1987, 1989, 1990, 1991 e 1996).

“No início da minha carreira, jamais imaginava que teria mais que o dobro das conquistas do meu ídolo”.

Embora ainda tenha outras competições de Star e de Oceano previstas no calendário, Robert Scheidt disse também que ainda encontra motivos para disputar outras edições do Brasileiro de Laser.

“Independentemente da campanha olímpica, ainda sinto muito prazer em velejar no barco Laser. Por essa razão, posso dizer que ainda terei muitos Campeonatos Brasileiros pela frente.”

Antes de competir em Ilhabela, Scheidt foi bicampeão do Suunto Match Race de Laser, em Búzios, e vice do Sul-Americano de Star, também na Argentina.

Fonte: ZDL de Comunicação

  
  

Publicado por em