Scheidt é hexacampeão do centro-sul-americano

Um título a cada 11 dias. Essa é a média do hexacampeão mundial e duas vezes medalhista olímpico Robert Scheidt na temporada 2004. Na sexta-feira (13/2),ele venceu as três regatas disputadas em São Sebastião (SP) e conquistou o hexa do Campeonato Centro-S

  
  

Um título a cada 11 dias. Essa é a média do hexacampeão mundial e duas vezes medalhista olímpico Robert Scheidt na temporada 2004. Na sexta-feira (13/2),ele venceu as três regatas disputadas em São Sebastião (SP) e conquistou o hexa do Campeonato Centro-Sul-Americano da classe Laser.

Campeão também em 92, 93, 94, 97 e 2001, Scheidt tem agora 104 títulos na carreira, sendo 89 na Laser, e quatro no ano (já havia conquistado o tetra do Sudeste Brasileiro, o Cricket Match Race e o Campeonato Brasileiro pela décima vez na carreira).

O próximo compromisso do iatista é a Pré-Olímpica de Atenas, que acontece em Búzios, em março, quando ele precisa confirmar a vaga na Olimpíada da Grécia.

“Esse hexacampeonato mostra que estou em ótima fase. Ainda estamos na metade de fevereiro e são quatro títulos no ano. Espero continuar com essa forma até a disputa da Pré-Olímpica”, afirmou o velejador, de 30 anos, que é patrocinado pelo Banco do Brasil, Bingo Augusta, Varig e Volvo Car Brasil e integra a Equipe Petrobras de Vela.

Atual segundo colocado do ranking da Federação Internacional de Vela (ISAF), Robert venceu oito das nove regatas disputadas desde quarta-feira, descartou um segundo lugar e sequer vai entrar na água no sábado, quando será disputada a última prova da competição.

Ele terminou com oito pontos perdidos e não pode mais ser alcançado por nenhum adversário. Neste sábado, a briga pelo vice-campeonato será entre o argentino Diego Romero, o croata Mate Arapov e o esloveno Vasilij Zbogar.

“Foi outro dia desgastante, mas que terminou da melhor maneira possível, com mais um título. Acho que tive meu melhor dia no campeonato, velejando com ventos muito fortes e com vantagem já a partir da largada’, contou Scheidt, eleito pela ISAF o melhor velejador do mundo em 2001.

Além de chegar ao quarto título em 2004, Robert não deu chances ao português Gustavo Lima, que venceu o Mundial de Cadiz no ano passado por apenas um ponto de vantagem sobre o brasileiro.

“O Gustavo realmente não fez um bom campeonato, mas o importante é a forma como eu estou velejando. “Agora é descansar até o Carnaval e manter a parte física em ordem”, disse.

Fonte: ZDL de Comunicação

  
  

Publicado por em