Scheidt venceu uma regata no primeiro dia do Mundial de Cadiz, na Espanha

Se o objetivo do hexacampeão mundial Robert Scheidt é não desperdiçar pontos na fase classificatória do Mundial de Cadiz, na Espanha, a estratégia do velejador brasileiro funcionou nesta quinta-feira, primeiro dia de disputa do campeonato. Com um quar

  
  

Se o objetivo do hexacampeão mundial Robert Scheidt é não desperdiçar pontos na fase classificatória do Mundial de Cadiz, na Espanha, a estratégia do velejador brasileiro funcionou nesta quinta-feira, primeiro dia de disputa do campeonato.

Com um quarto lugar na primeira regata e uma vitória na segunda prova do dia, Scheidt ocupa a vice-liderança do Mundial, com cinco pontos perdidos. O primeiro lugar é do português Gustavo Lima, que venceu duas regatas e tem apenas dois pontos perdidos.

“Foi um começo bastante complicado. São muitos barcos e, por esse motivo, fomos divididos em quatro flotilhas (grupos). Na primeira regata fui quinto, mas um dos iatistas que chegaram na minha frente era de outra flotilha”, contou o iatista, de 30 anos, que é patrocinado pelo Banco do Brasil, Bingo Augusta, Varig e Volvo Car Brasil e integra a Equipe Petrobras de Vela.

“Já consegui uma vitória e isso me motiva ainda mais. O campeonato está apenas começando e muita coisa ainda vai acontecer”, completou Scheidt, que velejou neste primeiro dia de provas com ventos rondados, vindos da terra e com velocidade aproximada de 15 nós.

Nessa fase classificatória, que segue até o próximo sábado, os 174 iatistas inscritos na classe Laser disputam duas regatas por dia. O domingo é reservado para descanso e os velejadores mais bem colocados iniciam a disputa da flotilha ouro (grupo único) na segunda-feira, também com duas regatas. Outras duas provas acontecem na terça-feira e somente uma, a decisiva, na quarta-feira.

Robert Scheidt competiu no grupo B, que na primeira regata desta quinta-feira terminou com vitória do croata Mate Arapov, seguido pelo sul-africano Gareth Blanckenberg e pelo espanhol Luiz Martinez, amigo de Scheidt e com quem o brasileiro treinou em Cadiz em junho.

Na regata vencida pelo brasileiro, a segunda colocação ficou com o neozelandês Robin MacMillan, seguido pelo croata Milan Vujasinovic.

Dos outros quatro representantes brasileiros na classe Laser, o mais bem colocado é André Streppel, 18º colocado após um nono e um quarto lugares. Bruno Fontes é o 53º, Mateus Tavares o 91º e Leonardo Back o 129º.

Campeão mundial em Tenerife (Espanha/95), Cidade do Cabo (África do Sul/96), Algarrobo (Chile/97), Cancún (México/2000), Cork (Irlanda/01) e Cape Cod (EUA/02), Scheidt está embalado para ganhar o hepta, já que venceu os dois últimos campeonatos que disputou, o Pan-Americano de Santo Domingo e a Semana Pré-Olímpica de Atenas, que marcou ainda seu 100º título da carreira.

O Mundial de Cadiz é o primeiro a reunir de uma só vez todas as 11 classes olímpicas (Laser, Star, Europa, Finn, Tornado, Mistral masculino e feminino, 49er, 470 masculino e feminino e Yngling) em um mesmo local. Participam da competição mais de mil velejadores.

Fonte: ZDL de Comunicação

  
  

Publicado por em