Torben Grael terminou invicto o Match Race no Brasil

Apesar de ter conquistado o título de campeão geral da competição antecipadamente, no sábado, o velejador Torben Grael mostrou realmente a “sede por vitórias” que caracteriza a sua carreira e ganhou, neste domingo,também a terceira e última et

  
  

Apesar de ter conquistado o título de campeão geral da competição antecipadamente, no sábado, o velejador Torben Grael mostrou realmente a “sede por vitórias” que caracteriza a sua carreira e ganhou, neste domingo,também a terceira e última etapa do Match Race Brasil, competição barco contra barco, que reúne veleiros Benneteau First 40.7.

Torben foi o campeão absoluto do torneio, vencendo as três etapas do evento, que reuniu nove medalhistas olímpicos e sete campeões mundiais do esporte. Pelo título deste domingo, ele faturou R$ 20 mil.

Com um domingo de muito sol e de ventos médios na Baía de Guanabara, no Rio de Janeiro, as regatas decisivas do Match Race Brasil enfeitaram o cartão postal da cidade, tendo o Pão de Açúcar, o Cristo Redentor, os aviões do aeroporto Santos Dumont e a ponte Rio Niterói como cenário de uma grande festa do esporte brasileiro.

Cerca de 50 embarcações e 800 pessoas acompanharam as disputas em volta da raia, além do público que estava no Aterro do Flamengo.

Nas águas da Baía da Guanabara, Torben mostrou ser o rei do match race. Ele venceu as três etapas, ganhando muito bem a competição.

“Quem vê de fora pensa que foi fácil, mas tivemos de trabalhar bastante para chegar a este resultado”, disse o dono de seis títulos mundiais e de quatro medalhas olímpicas, que venceu duas das regatas semifinais da série melhor-de-três contra Gastão Brun e duas na final contra Alan Adler, segundo colocado na etapa e na classificação final.

“Fiquei muito feliz com a evolução da tripulação desde a primeira competição, disputada em Búzios. A equipe ganhou entrosamento e aprendeu a dominar mais as regras deste tipo de competição.”

Com seis anos de experiência na modalidade, como tático do sindicato italiano Prada na disputa da Louis Vuitton Cup e na America´s Cup, Torben diz que sempre se aprende.

“Era tático no Prada e agora trabalho como timoneiro. Tudo deu certo.Fomos muito bem nas três etapas.” A tripulação campeã foi composta pelo timoneiro Torben Grael, o tático Marcelo Ferreira, na secretaria e cambada das velas estavam Antonio Carlos Paes Leme, Clínio de Freitas, Luís Carlos França Leite Simão, e Carolina Bejar, Ricardo de Freitas, no mastro, e Colin Gomm, na proa.

Alan Adler, vice-campeão do torneio, fez questão de elogiar o desempenho de Torben, seu adversário nas finais de Ilhabela e do Rio de Janeiro.

“A superioridade de Torben no Match Race Brasil foi indiscutível. Ele mereceu ganhar o título e estou feliz com o desempenho de minha equipe”, comentou Alan, de 39 anos, campeão mundial de Star em 1989 e medalha de prata no J24 no Pan-Americano de Santo Domingo. `O Torben está realmente de parabéns.”

Alan teve mais dificuldades nas semifinais. Perdeu a primeira regata para João Joca Signorini, e recuperou-se depois. “Faltou largar melhor nas duas regatas decisivas. Isso foi decisivo para nossa derrota. Já a disputa do terceiro lugar foi mais tranqüila, conseguimos velejar certinho e repetir a classificação da etapa de Ilhabela”, lembrou Joca, integrante da equipe olímpica brasileira na classe Finn.

“Tivemos problemas na primeira etapa porque caímos numa chave muito difícil, juntamente com o Alan e o Torben. Depois, com mais experiência e competindo em grupos mais equilibrados, conseguimos bons resultados.”

Joca disputa de 12 a 20 de fevereiro o Campeonato Mundial da Finn, também no Iate Clube do Rio de Janeiro. Ele começou a velejar nessa classe somente no início de 2002, mas no mesmo ano foi bronze na Pré-Olímpica de Atenas e ainda garantiu vaga para o Brasil na Olimpíada de Atenas no último Mundial.

Novidades para 2004 :

A competição vai crescer para 2004. A intenção é reunir dez tripulações, sendo as cinco primeiras deste ano, duas apontadas por seletivas nacionais, promovidas pela Federação Brasileira de Vela e Motor (FBVM) e três convidadas pela organização, preferencialmente do exterior, para valorizar ainda mais o nível técnico do torneio.

Outra novidade. Cada tripulação terá obrigatoriamente duas mulheres e, no primeiro dia do evento, haverá a disputa da Copa Feminina, reunindo dois barcos com as 20 mulheres participantes.

Com isso, o torneio ganha mais um dia e passa a ser disputado de quinta-feira a domingo, em três etapas, sendo a primeira em maio, a segunda em outubro e a última em novembro, provavelmente em Búzios, Ilhabela e Rio de Janeiro.

“Vamos seguir no nosso objetivo de popularizar a vela, de mostrar as características importantes de um esporte vencedor”, comentou Ênio Ribeiro, diretor da Vela Brasil, organizador do evento.

Resultados de domingo :

Semifinais

Torben Grael 2 x 0 Gastão Brun
Alan Adler 2 x 1 Joca Signorini

Disputa de terceiro lugar

Joca Signorini 2 x 0 Gastão Brun

Decisão do título

Torben Grael 2 x 0 Alan Adler

Classificação da etapa

1) Torben Grael

2) Alan Adler

3) Joca Signorini

4) Gastão Brun

5) Alex Welter e André Fonseca

6) Robert Scheidt e Marcos Soares

Classificação geral

1) Torben Grael, 30 pontos

2) Alan Adler, 22

3) Robert Scheidt, 13

4) Joca Signorini, 13

5) Gastão Brun, 7

6) André Fonseca, 7

7) Alex Welter, 5

8) Marcos Soares, 5

O Match Race Brasil é uma realização da Vela Brasil,com supervisão da Federação Brasileira de Vela e Motor (FBVM). O patrocínio é da Vivo, UBS, American Express e Helioblock.

Fonte: ZDL de Comunicação

  
  

Publicado por em