Torben Grael venceu a etapa de Ilhabela do Match Race Brasil

A tripulação comandada pelo velejador Torben Grael conquistou neste domingo à tarde o título invicto da segunda etapa do Match Race Brasil, competição barco contra barco, disputada em Ilhabela, no litoral Norte de São Paulo. O bicampeão olímpico da cl

  
  

A tripulação comandada pelo velejador Torben Grael conquistou neste domingo à tarde o título invicto da
segunda etapa do Match Race Brasil, competição barco contra barco, disputada em Ilhabela, no litoral Norte de São Paulo.

O bicampeão olímpico da classe Star terminou invicto a competição, com 100% de aproveitamento. Foram 11 vitórias em 11regatas, num verdadeiro show do velejador campeão de 2003 e vencedor da primeira etapa de 2004, também invicto, realizada em junho, em Búzios (RJ). A última etapa está prevista para o período de 18 a 21 de novembro, no Rio de Janeiro.

Depois de eliminar a equipe de Alan Adler nas semifinais por 2 a 0, a tripulação de Torben venceu na final o time de André Bochecha Fonseca também por 2 a 0. Apesar da superioridade do campeão, a decisão não foi fácil.

Na segunda regata das finais, por exemplo, a vitória só foi garantida nos últimos 200 metros, quando Grael conseguiu ultrapassar o barco de Bochecha, aproveitando um problema com a vela balão do líder. Na decisão do terceiro lugar, Daniel Glomb venceu Alan Adler por 2 a 1.

“Os concorrentes estão melhorando a qualidade técnica em match race e a tendência é encontrarmos cada vez mais dificuldades. Por isso, é muito bom comemorar mais uma vitória”, comentou Torben, que soma 22 vitórias seguidas neste ano.

“Eu e o Marcelo Ferreira também estamos cansados pela seqüência de competições desde a Olimpíada e não foi fácil chegar até aqui.”

Torben procurou, mais uma vez, dividir o sucesso com os integrantes de sua tripulação. “Minha equipe é maravilhosa. Ela cometeu poucas falhas e o resultado disso foram boas atuações”, lembrou o comandante, que, apesar dos elogios, é conhecido pelo rigor com que dirige o barco. “Às vezes, a gente passa um pouco da medida, mas o pessoal está acostumado.”

Ganhador do prêmio de R$ 20 mil pelo primeiro lugar, Torben teve a companhia do tático Marcelo Ferreira e de tripulantes experientes como Clínio de Freitas e Kiko Pellicano, ganhadores de medalha de bronze na Tornardo ao lado de Lars Grael em Seul e em Atlanta, respectivamente.

Quem fez parte da equipe campeã também foi Isabel Ficker, que foi a comandante do barco vencedor da Nívea Sun Match Cup.

“Fiquei muito feliz com as duas vitórias. Estou aprendendo muito e é um privilégio enorme estar na tripulação de Torben”, comentou a velejador paulista, de 20 anos, campeã mundial da classe 420 ao lado de Laura Zanni. “Dentro do barco, é um grande aprendizado ver o que ele sabe.”

PROFESSOR GRAEL :

André Bochecha Fonseca, velejador olímpico da classe 49er, comemorou o segundo lugar como se fosse o título.
“Perder para o Torben é uma grande honra, além de ser sempre um grande aprendizado”, observou o
catarinense radicado em Porto Alegre, de 26 anos.

“É um prazer velejar contra ele, que é um verdadeiro professor de vela no Brasil. Me sinto o primeiro colocado entre os participantes normais.”

Velejador mais premiado de toda a história olímpica e maior ganhador de medalhas do Brasil nos Jogos, com cinco conquistas em seis participações, Torben Grael vive um momento muito especial na carreira. Aos 44 anos, o velejador paulistano radicado em Niterói tem planos ousados e convites irrecusáveis.

Torben será, por exemplo, o comandante do Brasil 1, o primeiro barco nacional a participar da Volvo Ocean Race, a maior regata de volta ao mundo, que terá a largada em novembro de 2005, na Espanha, e chegada em junho de 2006, em porto ainda a ser definido, na Europa (provavelmente na Rússia).

Ele tem outros dois convites espetaculares no mundo da vela. Um para integrar a tripulação do Alinghi, embarcação suíça na defesa do título de campeão da America’s Cup, na Espanha, e outro para voltar a fazer parte do Sindicato Prada, da Itália, na disputa da Louis Vuitton Cup, seletiva para a America’s Cup. Os dois convites resumem o sucesso de Torben e poderiam ser comparados simplesmente como um chamado da Ferrari para um piloto disputar a Fórmula 1.

Torben deverá definir em breve o seu calendário e, conseqüentemente, as definições dos convites. “A escolha entre o Alinghi e o Prada não será apenas financeira. Tem muitas outras coisas envolvidas como a posição na tripulação e a possibilidade de tomar decisões”, comentou o velejador, que ganhou no início de setembro o Campeonato Brasileiro de Star, em Brasília, ao lado de seu fiel escudeiro e proeiro Marcelo Ferreira.

Resultados das semifinais

Torben 1 x 0 Adler
Adler 0 x 1 Torben

Fonseca 1 x 0 Glomb
Glomb 0 x 1 Fonseca

Resultados das finais

Torben 1 x Fonseca
Fonseca 0 x 1 Torben

Resultados da decisão do bronze

Adler 0 x 1 Glomb
Glomb 0 x 1 Adler
Adler 0 x 1 Glomb

Classificação final da Segunda etapa

1- Torben Grael, 10 pontos
2- André Fonseca 8
3- Daniel Glomb 6
4- Alan Adler, 5
5- Robert Scheidt, 4
6- Maurício Santa Cruz, 3
7- João Signorini, 2
8- Santiago Lange, 1

Classificação geral após duas etapas

1- Torben Grael, 20 pontos
2- André Fonseca, 11
3- Alan Adler, 9
4- João Signorini, 8
Maurício Santa Cruz, 8
Torkel Borgstrom, 8
7- Daniel Glomb, 7
8 - Robert Scheidt, 4
9- Gustavo Lima, 2
10 - Santiago Lange, 1

O Match Race Brasil é uma realização da Vela Brasil, com supervisão da Federação Brasileira de Vela e Motor (FBVM) e apoio da Prefeitura Municipal de Ilhabela e do Yatch Club de Ilhabela. O patrocínio é da Vivo, Motorola, UBS, Nívea Sun, Varig, Brasken, Volvo e Agfa.

Fonte: ZDL de Comunicação

  
  

Publicado por em