Yacht Clube de Ilhabela-SP sedia uma grande festa do iatismo brasileiro

O Yacht Club de Ilhabela vai se transformar desta sexta-feira até domingo no palco de uma grande festa do iatismo brasileiro. Com a participação de nove medalhistas olímpicos e de sete campeões mundiais será disputada a segunda etapa do Match Race Bra

  
  

O Yacht Club de Ilhabela vai se transformar desta sexta-feira até domingo no palco de uma grande festa do iatismo brasileiro.

Com a participação de nove medalhistas olímpicos e de sete campeões mundiais será disputada a segunda etapa do Match Race Brasil,competição de veleiros 40.7, numa verdadeira celebração da força do esporte.

O primeiro dia terá a disputa de 12 regatas, a partir das 10 horas. A expectativa é de uma temperatura de 27 graus e bons ventos.

Os organizadores definiram ontem, quinta-feira a formação dos dois grupos, com quatro comandantes cada, levando em conta os resultados da primeira etapa, disputada no final de maio, em Búzios, no Rio de Janeiro.

Os confrontos iniciais desta sexta e sábado vão ser dentro das chaves, com todos se enfrentando. Os grupos ficaram assim: A Torben Grael, João Signorini, Gastão Brun e André Bochecha Fonseca; B Robert Scheidt, Alan Adler, Alex Welter e Marcos Soares.

As tripulações tiveram a tarde desta quinta-feira para treinar na raia da competição, que terá como árbitro principal o norte-americano Jim Capron, que aproveitou a presença de todos os timoneiros para fazer um briefing sobre match race, um sistema de disputa barco contra barco.

As regatas serão realizadas num percurso de cerca de 5.000 metros e, dependendo dos ventos, a previsão é que cada prova demore cerca de 25 minutos.

Na competição, que reunirá os medalhistas olímpicos Torben Grael, Marcelo Ferreira, Robert Scheidt, Eduardo Penido, Alex Welter, Clínio de Freitas, Lars Grael, Kiko Pellicano e Marcos Soares, serão utilizados quatro veleiros Benneteau 40.7 de aproximadamente 13 metros, com sete toneladas e três velas: Capim Canela, Asbar III, Odoyá e Alucinante (Wiki Wiki será o reserva). Os barcos e as velas, cedidos pela organização, são rigorosamente iguais.

“Este tipo de competição é muito especial porque as regras são simples. É mano a mano, um contra o outro. Você tem de ter especial atenção para a largada e as manobras levam em consideração a marcação no adversário”, comentou Torben Grael, campeão de Búzios e o velejador mais experiente do Brasil em match race.

No fim de 2002, ele foi o tático do Sindicato Prada na disputada da Louis Vuitton Cup, em Auckland, na Nova Zelândia.

Na primeira etapa, Torben venceu a equipe de Robert Scheidt na série final. A tripulação de Alan Adler ficou em terceiro lugar, após derrotar a equipe de André Bochecha Fonseca.

O Match Race Brasil, que terá uma etapa ainda no Rio de Janeiro, de 21 a 23 de novembro, é uma realização da Vela Brasil, com supervisão da Federação Brasileira de Vela e Motor (FBVM). O patrocínio é da Vivo, UBS e American Express.

Fonte: ZDL de Comunicação

  
  

Publicado por em